Henderson reduz salário pela metade e tem cláusula curiosa para fechar com gigante europeu

4 minutos de leitura

Após grande passagem pelo Liverpool, o meio-campista Jordan Henderson teve uma transferência polêmica para o Al-Ettifaq, da Arábia Saudita, na última janela de transferências. Seis meses depois, “se arrependeu” e está perto de voltar à Europa.

Isso porque, segundo o jornalista italiano especialista em mercado de transferências Alfredo Pedullà, o veterano inglês está a detalhes de fechar sua transferência para a Juventus, em um curioso acordo de empréstimo.

A transferência de Henderson para a Juventus

O meio-campista já havia “se oferecido” para alguns gigantes europeus, como o Bayern de Munique e a própria Juve, e, segundo Pedullà, está em negociações avançadas sobre seu empréstimo para os italianos.

A Velha Senhora já aceitou as condições de um empréstimo, que tem alguns pormenores curiosos: duração de 18 meses — ou seja, até o final da próxima temporada — e uma cláusula que permite que Henderson deixe o clube já no próximo mês de junho, se quiser.

Allegri, técnico da Juventus (Foto:Icon Sport)

Além disso, o clube italiano não pagaria pela transferência, e contaria com a redução drástica do salário do jogador. Henderson aceitou diminuir seu salário mais do que a metade para receber “apenas” 1,5 milhões de euros líquidos, em comparação com os 3,2 milhões que recebe atualmente.

Mais do que o acordo do clube, o jornalista afirma que há total aprovação técnica do comandante da Juve, Massimiliano Allegri. Henderson completará 34 anos em junho.

Saída da Arábia Saudita e ‘esquecimento' da Premier League

No verão passado, o inglês escolheu ir para o Al-Ettifaq treinado por seu amigo Steven Gerrard por cerca de 14 milhões de euros, mas logo se arrependeu, não só pelo futebol, mas pelo clima e os estádios pouco cheios no país.

A Juve está realmente considerando e aceitou todas as condições. Simplesmente porque o meio-campista tem vontade de encerrar sua passagem pela Arábia, mesmo que isso signifique fazer importantes concessões financeiras.

henderson
Foto: Icon Sport

Dadas as altas cifras do salário do jogador, caso o meio-campista deixe o clube nos primeiros dois anos de seu contrato — o que inclui o cenário atual –, ele precisaria pagar uma conta de impostos de aproximadamente 7 milhões de libras.

Henderson ainda tem contrato com o clube saudita até julho de 2026 e está “impossibilitado” de voltar à Premier League por motivos fiscais e trabalhistas: a grosso modo, como o inglês deixou seu país em julho, eles não poderiam trabalhar no Reino Unido novamente até o começo de 2025, e nem simplesmente voltar seis meses depois da sua saída.

A legislação do Reino Unido também cobraria quantidades exorbitantes de impostos, que levaria a uma grande perda de dinheiro para Henderson caso ele queira voltar ao seu país. Esse problema não existe em países da União Europeia, como a Itália, por exemplo.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]