Harry Wilson: a possível solução caseira para as dores de cabeça de Klopp

Joia do Liverpool merece oportunidades na próxima temporada

harry wilson
CHESTER, ENGLAND - JULY 07: Harry Wilson of Liverpoolduring the Pre-season friendly between Chester FC and Liverpool on July 7, 2018 in Chester, United Kingdom. (Photo by Lynne Cameron/Getty Images)

Destaque do Derby County na temporada 2018/2019, Harry Wilson é dono de muitas atuações de gala, e tem condições de ser o reserva polivalente imediato que Jürgen Klopp está procurando para o time do Liverpool. Com a camisa dos Rams, Wilson marcou 16 gols e serviu seus companheiros três vezes em 43 jogos.

Harry Wilson: a possível solução caseira para as dores de cabeça de Klopp 

Nos Reds desde 2014, Wilson vem sendo emprestado pelo clube para ganhar experiência (Foto: Reprodução/Getty Images)

Movimentação e posicionamento 

Wilson tem como uma de suas características as arrancadas. Sua movimentação mais vista nos jogos gira em torno da condução da bola dos lados do campo em direção ao centro, possibilitando assim fazer uma função similar a de Salah.

A diferença mais significativa entre os dois neste tipo de jogada é que o primeiro segura a bola por mais tempo que o segundo.

Com esse deslocamento constante para a faixa central, surge a dúvida: será que Wilson conseguiria substituir Firmino caso fosse necessário?

Como visto em alguns jogos, Mané, Salah e até Wijnaldum foram improvisados na posição, já que Klopp tentava achar um substituto imediato ideal para o brasileiro.

A verdade é que o camisa 9 é quase insubstituível, já que o sistema de jogo do time circula muito em torno dele. Além de sua função de puxar os zagueiros, que deixa os pontas mais livres e não é feita com qualidade por qualquer atleta — nenhum dos três citados acima conseguiu com perfeição, inclusive.

SIGA A PL BRASIL NO YOUTUBE

CRAQUES QUE NUNCA GANHARAM A PREMIER LEAGUE

Leia mais: Como Declan Rice pode se encaixar na seleção inglesa 

Contudo, apesar de não jogar nessa posição, o número 7 dos Rams, se fosse treinado para se adaptar ao estilo, conseguiria sim fazer a mesma função de Firmino. O galês não distribui tanto o jogo em pequenos espaços como o brasileiro faz quando sai da área, mas consegue reter bem a bola, dá bons lançamentos e passes de primeira, e também finaliza bem de longa distância.

É evidente que, por ser um ponta de origem, Harry Wilson não possui o costume de jogar de costas. Mas, em diversas situações das quais recebe a bola nos flancos e a carrega para o meio-campo, o jogador acaba sendo marcado e gira sobre seus oponentes, o que faz com que ele abra espaços para seus companheiros infiltrarem e bagunce as linhas adversárias, assim como o camisa 9 dos Reds.

Diante disso, com treino e adaptações, Harry certamente poderia quebrar esse grande galho para Klopp quando fosse preciso.

Cobranças de falta

Outra característica do jovem é a precisão nas cobranças de falta. É interessante destacar que a maioria das bolas paradas cobradas pelo jogador são no contrapé do goleiro, com a finalidade de deslocá-lo.

No Liverpool, Wilson contribuiria bastante nesse quesito, já que Alexander-Arnold e Shaqiri são os únicos no elenco que cobram faltas com eficiência.

Passes e finalização

Também é interessante ser citado que Harry Wilson não joga só no ataque. O jovem, que pode atuar tanto nas pontas, quanto centralizado, também consegue ser um substituto para os jogadores de meio-campo do Liverpool.

Sua classe nos passes é a característica mais notória ao vê-lo fazer jogadas no setor. Como pode ser visto na imagens abaixo, junto do deslocamento nas variadas porções do campo, o número 7 usa muito bem o curto espaço que tem ao conseguir encaixar um lançamento e uma assistência pra finalização.

No meio-campo, o galês pode atuar em qualquer parte. Como um meia mais aberto, ele geralmente arranca com a pelota para o centro, muitas vezes arrumando situações de um contra um, e abusa das finalizações (eventualmente oferta um passe que quebra as linhas de defesa do oponente). Ele não é um jogador que distribui o jogo a todo tempo, mas faz a redonda correr com passes de primeira.

 Quando atua centralizado, sua velocidade nos passes o faz arrumar tabelas com os companheiros, abrindo espaços na defesa adversária. Além de finalizações de longa distância, uma de sua principais valências.

De fora da área, Harry Wilson finaliza com maestria. Em muitas situações, a mesma técnica de deslocar o goleiro utilizada nas cobranças de falta é aplicada pelo jovem. Com potência e muita direção, o ponta com certeza é um dos finalizadores de maior notoriedade da Championship.

O Efeito Lampard

(Foto: Reprodução/Getty Images)

A história de Wilson com o Derby começou junto com a de Frank Lampard. Vitorioso como jogador, o inglês decidiu iniciar uma nova trajetória no futebol, agora como técnico. Lampard implementou um sistema baseado na posse de bola, com o foco na pressão para tomar a redonda. Wilson se adaptou ao estilo de jogo proposto pelo seu novo treinador? A resposta é sim.

Mudanças na maneira de jogar do camisa 7 dos Rams aconteceram por causa do novo estilo de jogo implementado por Lampard. Com o treinador inglês, Wilson diminuiu sua média de dribles por partida.

Além de uma queda na sua quantidade finalizações e passes(tanto assistência pra finalização, quanto passes normais), pois o jogo do Derby é mais uniformemente distribuído entre os jogadores do setor no qual o galês atua.

Defensivamente, graças ao sistema de jogo fundamentado na pressão, a quantidade de desarmes de Harry Wilson aumentou consideravelmente, e o número 7 tem se destacado bastante nesse quesito.

Conclui-se, portanto, que, mesmo tendo batido na trave nos playoffs da Championship, Harry Wilson é a solução para os problemas enfrentados por Klopp.

Versátil, o galês precisa ser testado pelo técnico alemão e será um ótimo reserva imediato.