‘Me torno um zumbi’: Haaland revela técnica para fazer gols e conta primeiro conselho de Guardiola

6 minutos de leitura

Erling Haaland é o grande nome do Manchester City. Nunca é demais repetir que em sua primeira temporada na Premier League o norueguês bateu uma série de recordes de artilharia, foi escolhido como Melhor Jogador da Europa da temporada 2022/23 e é um dos favoritos a levar o Fifa The Best e a Bola de Ouro.

Mas o que explica a motivação do atacante dos Citizens? Ele tem algum tipo de insegurança? Nesta sexta-feira (6), o jornal inglês “The Telegraph” publicou uma entrevista exclusiva com o norueguês, na qual ele revelou que “se identifica” com zumbis, contou mais sobre como Pep Guardiola tem ajudado a aprimorar suas qualidades e disse que se sentiu aliviado por vencer a Premier League na última temporada.

A PL Brasil separou os principais trechos. Confira!

“Identificação” com zumbis: Haaland explica o ‘vício' por marcar gols

Na entrevista ao “The Telegraph”, Haaland disse que é criticado por não ser um jogador que permanece com a bola nos pés o tempo todo. Ele diz que é difícil de explica o porquê dessa atitude, mas que a ideia é basicamente ficar focado para estar pronto para marcar gols “quando chegar a oportunidade”. Em sua resposta, o atleta se comparou com um zumbi para explicar seu “vício” por estufar as redes.

— Posso entrar e tocar na bola algumas vezes, mas estou apenas andando, ficando ali em pé, fazendo movimentos no meu próprio mundo e não meio que… é difícil de explicar. Eu saio do meu corpo e me torno um zumbi. É uma espécie de ‘zona fora'. Como olhar ao redor. Esperando pela chance. E quando chegar a oportunidade eu sei que tenho que estar pronto, sabe?

— Ainda estou ligado, mas meio que ando por aí e examino, examino. Estou esperando a chance e ‘se a bola chegar lá, isso pode acontecer, se a bola for lá, isso pode acontecer’. É um sentimento. Quando a equipe está se ajustando na defesa, sei que não preciso me envolver. Eu fico lá e espero o momento certo para [faz o gesto de estalar os dedos].

A relação com Guardiola

Haaland já era “um monstro” antes de chegar ao futebol inglês. Em suas passagens anteriores pelo Borussia Dortmund, Salzburg e Molde, ele já somava 135 gols. Mas o atacante não hesita em admitir que se tornou um atleta melhor sob o comando de Pep Guardiola.

— Sim, muito melhor [risos]. Me sinto mais experiente. Joguei cerca de 53 partidas na temporada passada. Sou melhor nas coisas – e vocês verão ao longo desta temporada no que sou melhor.

Um dos motivos por trás dessa melhoria seja o fato de Pep ser um “maníaco por detalhes”, nas palavras do norueguês. Ele brincou dizendo que o técnico o “esmagaria” se ele não permanecesse focado nas partidas.

— Ele exige muito nos treinos. Quando falei com ele antes de assinar aqui, ele disse ‘Não me importo com o que você faz, faça o que quiser. Mas quando você está em campo [no centro de treinamento], você tem que estar focado. Se não, vou esmagar você!'

Outro fator do sucesso da equipe, na visão de Haaland, é o fato de Guardiola exigir esse foco apenas durante o trabalho. Segundo o jogador, o técnico pede concentração em campo, mas “depois do treino, não pense mais em futebol”. 

— É assim que ele e o City são como equipe e como clube. É por isso que eles tiveram tanto sucesso. A pressão está aí. Veja a pressão que sofremos todos os dias como clube, como equipe, como indivíduos. Mas é preciso focar no tempo que temos de treino todos os dias e o resto do dia relaxar, não pensar em futebol, não pensar em nada.

Haaland em jogo do Manchester City na Premier League
Haaland em jogo do Manchester City na Premier League – Photo by Icon sport

“Ganhar a Premier League foi um alívio”

Apesar de as marcas de Haaland não serem nada fáceis de alcançar, o norueguês faz parecer algo extremamente simples. Como o próprio contou na entrevista, a sensação de marcar gols “é tão gostosa” que o faz “querer fazer isso de novo e de novo e de novo”.

Por isso, é difícil acreditar que ele tenha algum tipo de insegurança. Mas não foi isso que o camisa 9 contou. Além de revelar que se sentiu pressionado quando chegou ao City, disse que foi um “alívio” ter vencido a Premier League na última temporada.

— Houve muita pressão. Eu vim para um novo país, todos os olhos estavam voltados para mim e as pessoas diziam ‘ele consegue fazer isso no primeiro ano? Ele precisa de tempo' e coisas assim, mas mostrei que poderia entrar diretamente e entregar e foi exatamente o que fiz.

— Quando vencemos a Premier League foi um alívio porque tivemos a pressão do Arsenal durante toda a temporada e o City venceu duas vezes consecutivas. Se eu tivesse vindo para o clube e eles não tivessem vencido, seria como ‘ O que você está fazendo? Nós vencemos antes de você chegar e agora você vem e nós não vencemos!' Então, a Premier League foi um alívio.

Não há dúvidas de que o Manchester City é um dos francos favoritos a levantar a taça do Campeonato Inglês mais uma vez e – por que não – da Champions League e da Copa da Inglaterra. Se depender da motivação de Haaland, os títulos já estão garantidos.

— O maior sonho agora é ganhar a Tríplice Coroa novamente! Imagine isso. É simples assim. É como quando marco um gol – ‘ah, adoro essa sensação! Eu quero fazer isso de novo!'. O mesmo acontece com a vitória na Liga dos Campeões. Eu ganho e, ‘ah, adoraria fazer de novo' e é a motivação por si só para ganhar coisas. Estou com mais fome do que nunca.

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Me formei em Jornalismo pela PUC-SP em 2020. Antes de escrever para a PL Brasil, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.