Guia do Manchester United na Europa League 2019/2020

Até onde vão os Red Devils na competição continental? Confira nossa análise

Maguire Manchester United GLYN KIRK Collection AFP
Credit GLYN KIRK Collection AFP

Confira o guia especial da PL Brasil sobre o Manchester United na Europa League 2019/2020

A Europa League poderá ser a válvula de escape do Manchester United nesta temporada. Em reconstrução, os comandados de Ole Gunnar Solskjaer dificilmente conseguirão ser protagonistas na Premier League, o que torna a UEL um bom caminho para o retorno à Champions League.

Na janela de transferências do verão, o saldo não foi o esperado por boa parte da torcida. O setor defensivo foi muito bem reforçado, mas o ataque não contou com nenhum reforço de peso e ainda viu nomes badalados saindo pela porta dos fundos do clube.

Maguire e Wan-Bissaka chegaram para ocupar o déficit dos Red Devils na zaga e na lateral; com experiência na liga, assumiram seus postos com segurança e competência de forma imediata.

Leia mais: Quais são os impactos do Brexit na Premier League?
Esquadrões Imortais | Manchester United 1999

No ataque, a promessa Daniel James veio após jogar a Championship pelo Swansea. Com baixas expectativas, tem sido a grata surpresa do elenco até aqui com três gols em cinco partidas – sendo três como titular.

No entanto, Alexis Sánchez e Lukaku saíram do clube rumo à Inter de Milão e nenhum nome foi contratado para repor. Muito se especulou em Dybala, Eriksen e Bruno Fernandes, mas ninguém chegou.

Mesmo que muitos considerem a passagem do chileno e do belga pelo clube como decepcionantes, o elenco está enfraquecido. Nomes da base como Greenwood, Chong e Gomes vão aparecendo nas relações de Solskjaer, mas a responsabilidade por resolver os jogos não pode ser passada para eles.

Paul Pogba, que durante a janela constantemente teve seu nome vinculado ao Real Madrid, permaneceu. Dentro de um elenco que está se reconstruindo e ainda assimilando as ideias do treinador, o francês está cada vez mais sobrecarregado com suas funções, o que tem inibido e dificultado um papel protagonista dele nas partidas.

Leia mais: As 10 piores contratações do Tottenham na era Premier League

Rashford, com três gols e uma assistência, e Martial, com dois gols e uma assistência, começaram bem a temporada – embora o segundo tenha sofrido uma pequena lesão.

Já Lingard, eterna promessa do clube, está sendo cada vez mais cobrado pela ausência de números na Premier League – o camisa 14 não marca um gol ou dá uma assistência desde dezembro de 2018.

A situação geral do time é complicada. Processos dentro do futebol costumam ser longos, principalmente quando o assunto é a reconstrução. No parâmetro atual, há motivos tanto para crer em um cenário positivo quanto negativo durante a temporada.

Na parte positiva, a solidez defensiva que o time pode alcançar com os reforços, o bom início de seus homens de frente e a permanência de Pogba, melhor jogador do elenco.

Do outro lado, a escassez do elenco que gera a dependência de jovens da base, a presença de atletas em declínio técnico – vide Young e Matic – e a impaciência de parte da torcida em deixar Solskjaer aplicar suas ideias.

Os adversários

O Manchester United está no grupo L com Astana, AZ Alkmaar e Partizan. A estreia acontece em Old Trafford, às 16h, diante do Astana, do Cazaquistão. Para a fase de grupos, o plano de OGS é utilizar os atletas mais novos, para dar rodagem ao elenco.

Adversário do confronto inaugural, o Astana é o terceiro colocado da liga de seu país com 50 pontos, cinco a menos que o líder, porém com dois jogos a menos que o mesmo. Eles são pentacampeões da liga de forma consecutiva, de 2014 a 2018.  O destaque do time é o croata Marin Tomasov, com 12 gols marcados.

Já o AZ Alkmaar é o quinto colocado em sua liga, com três pontos a menos que o atual líder. Ganharam o Campeonato Holandês apenas duas vezes, nas temporadas 1980-81 e 2008-09. Atualmente, os destaques ficam por conta do marroquino Oussama Idrissi, com cinco gols, e o holandês Myron Boadu com três gols e três assistências.

Por último o Partizan, da Sérvia. No momento, situa-se na quinta posição da liga, com 14 pontos conquistados e a cinco do líder, com dois jogos a menos. Ao todo, possuem 27 títulos do Campeonato Sérvio – somando os tempos de Iugoslávia e Sérvia e Montenegro. O destaque fica por conta do sérvio Stevanovic, com quatro gols.

Maguire Manchester United GLYN KIRK Collection AFP
Credit GLYN KIRK Collection AFP

GRUPO L: Manchester United, Astana, Partizan e AZ Alkmaar

19/09 – Manchester United x Astana – Old Trafford – 16h (de Brasília)
03/10 – AZ Alkmaar x Manchester United – Afas Stadion – 13h55 (de Brasília)
24/10 – Partizan x Manchester United – Partizan Stadium – 13h55 (de Brasília)
07/11 – Manchester United x Partizan – Old Trafford- 18h (de Brasília)
28/11 – Astana x Manchester United – Astana Arena – 13h50 (de Brasília)
12/12 – Manchester United x AZ Alkmaar – Old Trafford – 18h (de Brasília)

Curiosidades

  • O primeiro título do clube na competição é muito recente. Na temporada 2016-17, sob o comando do português José Mourinho, o clube inglês sagrou-se campeão ao derrotar o Ajax pelo placar de 2 a 0.
  • Daquele elenco campeão, 14 jogadores permaneceram e 18 não estão mais no elenco. Entre os que continuam, destaque para Rashford e Martial, os quais caminham para assumirem um maior protagonismo no clube.
  • Esta é apenas a nona participação do clube no certame. Acostumado a disputar a Champions League, os Diabos Vermelhos irão disputar a competição secundária do Velho Continente pela terceira vez só nesta década.

Palpites para o Manchester United na Europa League

Fabrício Santos (PL Brasil): semifinal

Victor Canedo (Globoesporte.com): quartas de final

Leonardo Bertozzi (ESPN): quartas de final

Mário Marra (ESPN): semifinal

Paulo Andrade (ESPN): quartas de final

Fred Caldeira (Esporte Interativo): quartas de final

Renato Senise (DAZN): semifinal

Bruno Formiga (Esporte Interativo): quartas de final