Guia da Premier League – Wolverhampton 2019/2020

Confira como os Wolves se prepararam para a próxima temporada do futebol inglês

2
324
Wolverhampton 2019
A contratação do atacante Patrick Cutrone demandou um investimento de mais de 16 milhões de libras (Divulgação/Wolverhampton)

A PL Brasil apresenta abaixo o guia da Premier League do Wolverhampton 2019/2020.

“Podemos nos tornar o maior clube do mundo”, disse Jeff Shi, presidente do clube, em entrevista ao Daily Mail. Em seguida, completou falando que, a longo prazo, é possível superar o Manchester City. 

Shi chegou ao grupo Fosun International em 2014 e se tornou o presidente do Wolverhampton em 2017, praticamente ao mesmo tempo que os investimentos no clube começaram. 

Foi com essa característica visionária, sobretudo, que a equipe conquistou o acesso à primeira divisão e a classificação à Europa League apenas em duas temporadas. Por isso, a campanha passada, para a presidência, aparentemente não foi tão surpreendente. 

Desde que Nuno Espírito Santo chegou, o clube trouxe diversos jogadores também portugueses. Tal casamento de nacionalidades e idiomas iguais deu certo e o jogo idealizado pelo treinador fluiu. 

Leia mais: João Pedro: Watford vai ganhar muito com joia do Fluminense
Wolverhampton 2019
Patrick Cutrone (Divulgação)

A princípio, o 3-4-3 do treinador sofreu na chegada à Premier League. Mesmo assim, o time não ocupou lugar mais baixo que a 13ª colocação durante todo o campeonato. Foram necessárias adaptações. A principal delas foi a entrada de Leander Dendoncker na escalação inicial, dando maior consistência ao meio de campo.  

O espírito da equipe foi chamado de “matador de gigantes”, já que venceu grandes nomes do Big Six, inclusive eliminando o Manchester United na Copa da Inglaterra. O título de Giant Killing pode ser tomado como analogia à animação japonesa sobre futebol de mesmo nome.

No anime, as conquistas do treinador Tatsumi Takeshi (vencendo os times mais badalados com elenco inferior) são comparáveis às de Nuno, mas a personalidade não. Enquanto Takeshi é um preguiçoso genial, Nuno é um hardworker incansável e líder nato. 

Dos seis primeiros colocados, o Liverpool foi o único a vencer os dois jogos contra os Wolves. O sucesso das temporadas passadas faz o torcedor do Wolverhampton sonhar alto, até porque o clube voltou às competições europeias depois de 39 anos. A cidade e seus habitantes proporcionaram um ambiente incrível. 

Leia mais: Van den Berg: novo zagueiro do Liverpool tem potencial para ser titular?
Wolverhampton 2019
Raúl Jiménez (Divulgação)

É perceptível, portanto, que as expectativas de todos é alta, mas será possível gerenciar um calendário lotado com um elenco curto? Reforços serão necessários para a defesa e meio, principalmente. Sem falar no nível do futebol. Com mais datas, a tendência é ter maiores oscilações na temporada. 

Além disso, a diretoria teve suas divergências e Laurie Dalrymple, diretor administrativo, foi sacado antes da temporada começar. Laurie ocupava o cargo há três anos, cuidava de decisões fora do campo e tinha confiança da torcida. O próprio Jeff Shi o substituirá na função por enquanto. 

Entretanto, depois do que vimos em termos de desempenho na última temporada e baseado na visão ambiciosa dos dirigentes, fica difícil duvidar que o Wolverhampton fará feio. A pré-temporada foi uma amostra, talvez, do que pode vir por aí: título da PL Asia Trophy nos pênaltis em cima do Manchester City.

Leia mais: Confira o guia da Premier League temporada 2019/2020

Informações gerais

  • Estádio: Molineux Stadium;
  • Cidade: Wolverhampton (West Midlands);
  • Posição na última Premier League: 7º lugar;
  • Títulos do Campeonato Inglês: três;
  • Rival: West Bromwich;
  • Apelidos: Wolves, Wanderers.

Vai e Vem

VAI: Kortney Hause (Aston Villa, £3m), Ivan Cavaleiro (Fulham, empréstimo), Hélder Costa (Leeds, empréstimo), Michał Żyro (Korona Kielce, dispensado).

VEM: Raúl Jiménez (Benfica, £30m), Patrick Cutrone (Milan, £16.2m), Leander Dendoncker (Anderlecht, £12m), Pedro Neto (Lazio, £10.8m), Bruno Jordão (Lazio, £7.2m), Jesús Vallejo (Real Madrid, empréstimo).

Jogador destaque

Wolverhampton 2019
Arte: Pedro Zandonadi

É o quarterback português. Rúben se tornou a peça mais importante no funcionamento da equipe. Seus lançamentos precisos foram o principal meio de criação de jogadas, ainda mais com o bom apoio dos alas Matt Doherty e Jonny. 

Do mesmo modo, sua parceria com João Moutinho deu criatividade e controle de jogo sempre que precisava. Para ter uma noção de sua importância, ele foi titular em 34 das 38 rodadas da Premier League e foi substituído apenas uma vez. 

Seu senso de ritmo é de nível excepcional, seja para cadenciar ou acelerar as jogadas. Foram 1940 passes distribuídos na última campanha, além do título de melhor jogador da Championship 2017/2018.

Tanto que foi convocado para a seleção portuguesa depois de suas exuberantes apresentações. E ainda tem potencial para melhorar, afinal, tem só 22 anos. 

Fique de olho

Wolverhampton 2019
Morgan Gibbs-White (Divulgação)

“Gibbs é jovem e tem um grande talento. Definitivamente é a principal joia do clube, porque é quem mais tem a evoluir. Não conseguiu se firmar no time titular ainda, mas dá pra ver que ele tem tudo para ser um dos próximos meias da seleção principal da Inglaterra”, analisou a página Wolverhampton BR.  

Formado nas categorias de base dos Lobos, Morgan Gibbs-White foi campeão sub-17 com a seleção inglesa (aquela que venceu a Espanha por 5 a 2 na final, logo depois de eliminar o Brasil). Está no clube desde os oito anos de idade, estreou com 16 na equipe principal e é um meia com qualidade no passe e boa chegada à frente.

Apesar de não ter acumulado muitos minutos na última Premier League (apenas 650), foi possível apreciar o quão bom Morgan pode ficar. A assistência decisiva contra o Chelsea foi um aperitivo de suas maiores qualidades. 

Com 19 anos, o jovem inglês pode ser uma boa opção para compor o meio de campo do time de Nuno Espírito Santo. Devido ao aumento de datas, o elenco precisará ser rodado e, certamente, Gibbs-White tem o talento necessário para agarrar a oportunidade em 2019/20. 

Time-base

3-5-2: Rui Patrício; Bennett, Coady, Boly; Doherty, Dendoncker, Rúben Neves, João Moutinho, Jonny; Jota, Jiménez. Técnico: Nuno Espírito Santo.

Wolverhampton 2019
Arte: André Correia

Palpites 

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.