Guia da Premier League – Aston Villa 2019/2020

Confira como os Villans se prepararam para a próxima temporada do futebol inglês

3
351
Aston Villa 2019
Douglas Luiz (Divulgação)

A PL Brasil apresenta abaixo o guia da Premier League do Aston Villa 2019/2020.

Após amargar três temporadas na Championship, o Aston Villa enfim está de volta à Premier League. E se a campanha para o acesso teve início turbulento, com a demissão de Steve Bruce, a classificação aos playoffs só foi possível porque impulsionada por uma incrível sequência de dez vitórias na reta final do campeonato, com o técnico Dean Smith.

O triunfo se deu justamente na primeira temporada sob o comando de Wes Edens e Nassef Sawiris. Os donos bilionários resgataram a estabilidade financeira do clube, trazendo suporte e comprometimento, além, é claro, do capital necessário. E, com eles, veio também o prestígio, reconquistada a vaga na Premier League.

Mais que orgulho, o retorno à elite nacional representa alívio, por dar fim ao martírio na segunda divisão. O desastroso rebaixamento na temporada 2015/16 foi um grande choque, tanto para os torcedores quanto para o clube. Até então, os Villans se mantinham como uma das sete equipes presentes em todas as edições da Premier League.

Leia mais: Guia da Premier League – Arsenal 2019/2020 
Aston Villa 2019
Tom Heaton (Divulgação)

Desta vez, para evitar que a tragédia se repita, e voltar a brigar na parte de cima da tabela, o Aston Villa não poupou investimentos para a temporada que se inicia. Pelo contrário, foi o quarto clube inglês que mais gastou em contratações, um total estimado de 133,5 milhões de libras.

Inevitáveis as comparações com o Fulham, que, vindo de acesso, também ultrapassara a quantia dos 100 milhões de libras, contratando diversos jogadores, porém foi rebaixado. E é claro que a semelhança gera certa desconfiança quanto ao desempenho na temporada.

Mas, diferentemente da equipe londrina, as contratações dos Villans não foram motivadas por desespero, no prazo final da janela, e sim por necessidade, visando reposições, com planejamento e antecedência.

O clube manteve a base da temporada 2018/19 e se reforçou, sobretudo, nas posições de maior carência do elenco. Aliás, três das contratações foram para segurar importantes peças da equipe – os zagueiros Tyrone Mings e Kortney Hause, além do atacante Anwar El Ghazi.

A filosofia no mercado foi de apostar em jovens talentos, sem fazer loucuras por jogadores renomados. Assim, a exorbitante quantia na verdade reflete diversos contidos investimentos, que ainda podem render muito ao clube, não só em campo, mas também financeiramente.

Leia mais: Guia da Premier League – Leicester 2019/2020 

A única contratação que foge do perfil é a do experiente goleiro Tom Heaton. Em um nível superior a Jed Steer, Lovre Kalinić e Ørjan Nyland, o ex-capitão do Burnley chega para ser titular absoluto.

Como o futuro de James Chester é incerto e Axel Tuanzebe retornou ao Manchester United, a zaga contará com dois novos reforços – Bjorn Engles, do Reims, e Ezri Konsa, do Brentford.

Aston Villa 2019
Douglas Luiz (Divulgação)

Para a lateral esquerda, a escolha foi Matt Targett, antiga promessa do Southampton, que deve ocupar a vaga de Neil Taylor. Já na lateral direita, contratado em janeiro, Frédéric Gilbert chega para fazer frente a Ahmed Elmohamady, após a saída de Alan Hutton.

O meio-campo segue sendo setor de destaque, graças à manutenção da dupla Jack Grealish e John McGinn, além do versátil Conor Hourihane. Na contenção, as saídas de Glenn Whelan e Mile Jedinak serão supridas em alto nível, com as contratações de Douglas Luiz e Marvelous Nakamba.

Para o setor ofensivo, chegaram Jota, do rival Birmingham City, e Trezeguet, do Kasimpasa. Junto de Anwar El Ghazi eles disputam entre si duas vagas na equipe titular.

Mas a esperança de gols está mesmo em Wesley Moraes, o jogador mais caro da história do clube – 22 milhões de libras. O brasileiro tem a missão de substituir Tammy Abraham, artilheiro dos Villans na Championship 2018/19, agora de volta ao Chelsea.

Informações gerais

  • Estádio: Villa Park;
  • Cidade: Birmingham (West Midlands);
  • Posição na última Championship: 3º lugar;
  • Títulos do Campeonato Inglês: sete;
  • Rival: Birmingham City;
  • Apelidos: Villans, Lions.

Vai e Vem

VAI: Ritchie De Laet (dispensado), Alan Hutton (dispensado), Mile Jedinak (dispensado), Micah Richards (aposentadoria), Glenn Whelan (dispensado).

VEM: Tyrone Mings (Bournemouth, £26.5m), Wesley Moraes (Club Brugge, £22m), Douglas Luiz (Manchester City, £15m), Matt Targett (Southampton, £14m), Ezri Konsa (Brentford, £12m), Marvelous Nakamba (Club Brugge, £11m), Björn Engels (Reims, £9m), Tom Heaton (Burnley, £9m), Trezeguet (Kasimpasa, £8.8m), Anwar El Ghazi (Lille, £8m), Frédéric Guilbert (Caen, £5m), Jota (Birmingham City, £4m), Kortney Hause (Wolverhampton, £3m).

Jogador destaque

Aston Villa 2019
Arte: Pedro Zandonadi

Nascido em Birmingham, Jack Grealish chegou às categorias de base do Aston Villa em 2002, ainda criança. Hoje, aos 23 anos, é ídolo do clube, adorado pela torcida. Já são 145 partidas, com 23 assistências e 15 gols marcados. Se em sua última Premier League ainda tinha o status de promessa, entra na atual temporada como realidade.

O jogador evoluiu bastante durante os anos na Championship. Tanto que atraiu forte interesse do Tottenham na última temporada. E seria difícil segurá-lo novamente, caso os Villans não conquistassem o acesso.

Referência da equipe, em liderança, técnica e raça, Grealish foi protagonista no retorno à primeira divisão. Com o camisa 10 em campo, o aproveitamento do Villa foi de 66,7%; sem ele, de 31,1%. E para outra boa temporada, o clube confia, e muito, em seu capitão.

Fique de olho

Aston Villa 2019
Trezeguet (Divulgação)

Mahmoud Hassan, mais conhecido como Trezeguet, é um jogador veloz e ofensivo, que atua pelo lado esquerdo do campo, e tem o drible como característica marcante. Terá concorrência na posição, mas chega ao Villa Park para ser titular, cercado de muita expectativa.

Iniciou carreira no Al Ahly e teve passagens por Anderlecht e Mouscron, da Bélgica, antes de se destacar no Kasimpasa, da Turquia. Na temporada 2018/19, disputou as 34 partidas do Campeonato Turco, todas como titular, totalizando nove gols e nove assistências.

Pela seleção egípcia, já são 41 partidas, com seis gols marcados. Teve desempenho apagado na Copa do Mundo, com destaque maior na Copa Africana de Nações.

Time-base

4-3-3: Heaton; Guilbert, Mings, Engels, Targett; Douglas Luiz, McGinn, Grealish; El Ghazi, Trezeguet, Wesley. Técnico: Dean Smith.

Aston Villa 2019
Arte: André Correia

Palpites

Não há posts para exibir

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu gosto muito do Aston,mas sendo parcial claro que o rebaixamento é o mais provável mas da pra disputar uma zona neutra(digo nem meio de tabela,isso são pra times como Leicester ou Burnley)

  2. Parabéns pela matéria. Acredito que os villans vao disputar vaga do 7 ao 10 colocado. Tem time, tem camisa pra isso.

  3. O Villans montou uma equipe interessante em seu regresso a elite inglesa. A contratação de jovens promissores irá permitir ao clube desenvolve-los ao longo da competição. Acredito que pelo nível acentuado de muitas equipes, irei apostar no equilíbrio deste ano, os Villans deverão alternar entre o meio de tabela e a luta para não voltar a segundona.

Comments are closed.