Guardiola diz que porta está fechada no Barcelona

4 minutos de leitura

Pep Guardiola, treinador do Manchester City, tem uma extensa história com o Barcelona. Ele foi mais uma vez ligado a um possível retorno ao clube e respondeu sobre a possibilidade: não há chance.

Em entrevista durante o torneio de golfe Legends Trophy, o catalão comentou sobre a situação do seu antigo clube. Ele também se mostrou incomodado com as comparações entre ele e Xavi, recém-demitido do Barça.

Guardiola no Barcelona?

Durante a entrevista, Guardiola reforçou que não vislumbra um futuro em que volta ao Barcelona como treinador. Segundo ele, dirigir o clube é uma das tarefas mais complicadas que existem.

— É uma porta que está fechada. A vigilância é imediata e tudo se debate — disse o treinador sobre as chances de voltar ao time que o revelou.

Guardiola Manchester City
Guardiola, técnico do Manchester City (Foto: Icon Sport)

O ex-volante culé começou sua carreira como treinador no Barça B, sendo campeão da terceira divisão em 2007/08. Um ano depois, subiu ao time principal e fez história nas quatro temporadas seguintes, tornando-se um dos nomes mais influentes da história do jogo.

No entanto, sua saída do clube espanhol não foi tão amena. Ele tirou um ano sabático depois de deixar a equipe em 2012, explicando na época que a decisão se deu pelo grande estresse gerado nos bastidores.

Seu último ano à frente do time também teve desgastes com a direção. Ele descansou sem um cargo em nenhum clube até 2013, quando assumiu o Bayern. Três anos depois, começou sua jornada no Manchester City.

A demissão de Xavi e chegada de Flick

Pep deu sua opinião sobre a saída de Xavi do Barça. Ele também se mostrou incomodado com as inevitáveis comparações entre ele próprio e seu ex-jogador ao longo desta temporada, além de supostas más relações com seu entorno.

O que quer que tenha acontecido com Xavi não é culpa minha. Eu não fiz as comparações. O banco do Barça é um dos mais complicados. Tudo se sabe, as coisas não ficam em casa — afirmou.

Xavi no Barcelona
Xavi comandando o Barcelona (Foto: Icon Sport

Ele aproveitou para desejar sorte ao novo treinador, Hansi Flick. “Desejo-lhe tudo de bom. Que o ajudem e lhe deem tempo”, disse. Ele também lembrou da experiência do alemão e como ele precisa de apoio.

— Ele tem a experiência no Bayern, que foi um time brutal. Quando você chega novo, precisa disso. Apoio total e aos poucos. Convém lembrar que as Ligas não se ganham em setembro ou outubro — finalizou.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]