Guardiola revela segredo de virada ‘histórica’ do City na Champions League

4 minutos de leitura

O Manchester City venceu o RB Leipzig de virada por 3 a 2, nesta terça-feira (28), pela penúltima rodada da fase de grupos da Champions League 2023/24. O resultado garantiu a liderança do clube no grupo G da competição.

Apesar de ter vencido, o City fez um primeiro tempo muito abaixo da média. O elenco estava desatento, não conseguiu pressionar o adversário e a marcação em linha alta não funcionou. O dia ruim de Kyle Walker e Rúben Dias proporcionou os dois belos gols de Lois Openda.

As coisas só passaram a funcionar para o time da casa após o intervalo.

O segredo por trás da vitória do Manchester City

Em entrevista pós-jogo à “TNT Sports” da Inglaterra, Pep Guardiola elogiou o desempenho do Leipzig e afirmou que a defesa da equipe, de fato, não estava em seus melhores dias.

— O Leipzig é uma equipe que sempre se classificou para as oitavas de final nos últimos cinco ou seis anos. Sofremos muito defensivamente. Tivemos que ficar o mais relaxados possível e reagimos muito bem. Somos os primeiros do grupo e estou muito satisfeito com a reação no final.

O que o Manchester City fez para arrancar a vitória? Guardiola explicou que o segredo foi mexer nas peças para oferecer mais pressão aos visitantes.

E a visão do treinador faz sentido. Depois da entrada de Julián Álvarez e Jeremy Doku, o time parecia outro em campo.

— Mudamos com a nossa pressão. Rico [Lewis] foi novamente excepcional e Phil [Foden] no terço final teve movimentos decisivos. Acho que Jeremy [Doku] mudou nosso ritmo.

Apesar de mais uma vitória do City em casa não ser nenhuma novidade — o time está invicto no Etihad Stadium há 29 jogos –, a vitória de virada foi histórica.

Segundo o “Opta”, esta foi a primeira vez que os Citizens venceram um jogo na Champions League depois de ir para o intervalo perdendo por uma diferença de pelo menos dois gols. Nas outras seis ocasiões em que isso aconteceu, a equipe terminou os jogos com a derrota.

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Me formei em Jornalismo pela PUC-SP em 2020. Antes de escrever para a PL Brasil, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.