Olho nele, Guardiola! Quem é Ndala, a joia do City que se ‘salvou’ em fiasco da Inglaterra no Mundial Sub-17

5 minutos de leitura

A Inglaterra decepcionou e foi eliminada por Uzbequistão nas oitavas de final do Mundial Sub-17, após derrota por 2 a 1 nesta quarta-feira (22). Mesmo com várias promessas da Premier League no elenco, os Three Lions fracassaram e deixaram a desejar em termos de desempenho. Um dos poucos nomes que se salvou foi Joel Ndala, do Manchester City.

E é bom que Pep Guardiola abra o olho para que não veja a joia brilhando em outro clube. Nos últimos anos, os Citizens revelaram vários jogadores, mas aproveitaram poucos. Nomes como Cole Palmer, Jadon Sancho e Roméo Lavia saíram das categorias de base do time azul e precisaram buscar espaço em outros clubes.

Joel Ndala, promessa do Manchester City e destaque da Inglaterra Sub-17

Aos 17 anos, Ndala é uma das pérolas das categorias de base do time Sky Blue. O atleta representa a equipe do Etihad Stadium desde o sub-13 e tem ótimos números durante sua formação. No Mundial Sub-17 disputado na Indonésia, o jovem mostrou do que é e pode ser capaz.

O jovem é um ponta clássico. Dribla, vai para cima, inferniza a marcação, tem velocidade. É destro, mas pode jogar dos dois lados. O citizen também possui um porte físico invejável e tem boa inteligência tática.

O Mundial Sub-17 de Ndala foi digno de aplausos. Enquanto a Inglaterra teve uma campanha decepcionante, com duas vitórias e duas derrotas, o ponta acumulou bons números e “carregou” a seleção. Logo no primeiro jogo, contra Nova Caledônia, o atacante do Manchester City assumiu a personalidade de garçom e deu duas assistências.

Contra Irã, na segunda rodada, marcou o gol da vitória dos ingleses já na reta final da partida. Ndala foi a principal dor de cabeça do Brasil na terceira rodada. A seleção brasileira teve uma atuação hegemônica, mas foi o jovem ponta quem mais ameaçou o triunfo verde-amarelo. Incansável, fez oito dribles bem sucedidos e marcou o gol britânico.

Joel Ndala brilhou mais uma vez contra o Uzbequistão. O país asiático saiu na frente aos quatro minutos. Aos 35, a joia do Manchester City recebeu bola em profundidade, engatou a quinta marcha e demonstrou muita categoria para bater o goleiro. Apesar disso, os ingleses conseguiram tomar mais um gol e foram eliminados.

Ndala deixa o Mundial Sub-17 com excelentes estatísticas. Mesmo com a eliminação precoce, ele estará entre os melhores jogadores do torneio. Seu número de dribles certos, por exemplo, assusta. Ele lidera o quesito com 12 dribles a mais que o segundo colocado. Insano!

  • 4 jogos
  • 3 gols (quarto da competição)
  • 2 assistências (sexto da competição)
  • 27 dribles (primeiro da competição)
  • 8.15 de nota média pelo Sofascore (quarta melhor da competição)
  • 13 chaves passes (sexto da competição)

Como Ndala poderia jogar no Manchester City?

Resta saber se o City sequer dará chances ao mini-craque da Inglaterra Sub-17. Isso porque o histórico não é animador. O português Carlos Forbs, anteriormente chamado Carlos Borges, foi o grande nome do time sub-21 da equipe nos últimos anos e nem passou perto do time principal. O ponta foi negociado com o Ajax no início da temporada.

Ndala seria uma interessante opção a Guardiola. Podendo atuar pelos dois lados, o jovem daria velocidade e qualidade ao time, além de ser um típico jogador que põe “fogo no jogo” em momentos de apuros.

Joel Ndala
O mapa de calor de Joel Ndala na carreira (Foto: WyScout)
Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.