Ídolo do Arsenal, Gilberto Silva diz: ‘Enfrentar o Man United era diferente’

Ex-volante falou da rivalidade com o United e título antecipado em White Hart Lane

0
401
Ídolo do Arsenal, Gilberto Silva diz: ‘Enfrentar o Man United era diferente’
ODD ANDERSEN/AFP via Getty Images

Um feito histórico que em 2019 completa 15 anos. Um título invicto da Premier League 2003/2004. Um Arsenal composto de craques como Patrick Viera, Robert Pires, Denis Bergkamp, Thierry Henry e Gilberto Silva.

O volante campeão do mundo com a seleção brasileira em 2002, era um dos pilares do meio de campo do time dirigido por Arsène Wenger, sendo responsável não apenas pelo equilíbrio defensivo do time de Londres.

Mas também por iniciar os poderosos contra ataques do time de Highbury com passes rápidos e precisos, que tanto marcaram aquela conquista maravilhosa, e que até hoje ninguém repetiu.

Gilberto Silva, que usava a camisa 19 do Arsenal, falou com exclusividade para a PL Brasil, e relembrou alguns momentos da marcantes conquista.

PL Brasil entrevista o grande ídolo do Arsenal Gilberto Silva

PL Brasil – O Edu (Gaspar, ex-Arsenal e atual coordenador técnico da seleção brasileira) disse pra gente que o Arsène Wenger pedia pro time jogar da mesma forma tanto dentro como fora de casa. Como era isso?

Gilberto Silva – Para o Wenger, cada partida que a gente ia jogar não importava se era em casa ou fora, o objetivo era vencer e manter a nossa característica, a nossa estrutura tática. Tinha rotação de jogadores, mas o estilo de velocidade, toque de bola muito rápido, e principalmente o contra-ataque, ponto muito forte do nosso time, era mantido em todos jogos.

PL Brasil – A rivalidade com o Manchester United era muito grande, alguns dos seus ex-colegas de Arsenal falam que era uma partida diferente. Existia alguma preparação diferente esse confronto?

Gilberto Silva – A rivalidade com o United sempre foi muito grande, pois era algo entre cidades, era um confronto diferente não só para nós, mas acho que para eles também. Nós encarávamos como se fosse uma final de campeonato pela qualidade dos jogadores envolvidos, caras de alto nível em ambas equipes.

Como disse, não era só um jogo entre Arsenal e Manchester United, mas também uma disputa entre Londres e Manchester, algo que ia além do futebol. A preparação para esse confronto era a mesmo que a feita para enfrentar outros times, mas claro que o nível de concentração, de atenção, por se tratar de um adversário de muito qualidade, era maior.

PL Brasil – A partir de qual momento da temporada vocês realmente começaram a acreditar que poderiam ganhar a Premier League sem perder nenhum jogo?

Gilberto Silva – A gente nunca pensou que iria vencer a Premier League sem nenhuma derrota. Mas as coisas foram acontecendo, a gente seguia buscando vencer jogo a jogo, e foi assim até o final da temporada. Um ponto a ser destacado foi o período posterior a partida que nos deu o título, contra o Tottenham, faltando quatro rodadas para o término do campeonato.

O fato de já sermos campeões causou um um relaxamento até inconsciente em todos nós, e quase fomos derrotados em casa pelo Leicester no último jogo, mas recuperamos e conseguimos empatar.

Nesse momento buscamos isso pois sabíamos que seria um feito muito grande ser campeão sem perder nenhuma partida.

PL Brasil – Qual foi o jogo mais marcante naquela campanha?

Gilberto Silva – Então, para mim, foi mesmo esse último do campeonato diante do Leicester, pois poderíamos perder a invencibilidade. Tiveram outros também, como o do título contra o Tottenham em White Hart Lane, que foi especial pelo fato de termos garantido o troféu na casa do rival.

Destaco ainda o jogo contra o Manchester United em Old Trafford, que foi muito difícil e estivemos perto de perder a nossa invencibilidade. O Patrick Viera foi expulso em uma confusão com o van Nistelrooy, e no final do jogo teve um pênalti para o United que o próprio Nistelrooy perdeu. Foi um jogo muito emocionante.

Recém-campeão mundial com a seleção brasileira, Gilberto Silva chegava ao Arsenal junto ao Atlético-MG (Foto: Shaun Botterill/Getty)
PL Brasil – O Arsenal tinha um dos melhores times da Europa e foi eliminado pro Chelsea em casa, nas quartas da Champions League. Aquela derrota pesou de alguma forma no clube? Você chegou a pensar que o time poderia se abater com a eliminação, ou tinha convicção na retomada imediata na confiança do jogo do Arsenal?

Gilberto Silva – Foi um golpe muito duro (a derrota para o Chelsea), pois nosso grupo era forte, e um dos mais cotados para conquistar aquela Champions League. Mas em momentos assim é preciso retomada imediata, não tem tempo para lamentações. Então voltamos todas nossas forças para a Premier League, e logo obtivemos resultados positivos.

PL Brasil – Wenger e Henry, duas lendas do Arsenal. Como foi trabalhar com eles?

Gilberto Silva – Foi incrível! Dois profissionais de muita qualidade e personalidade. Ter um técnico com a capacidade do Arsène Wenger e um atacante da categoria de Thierry Henry, que foi fundamental na nossa conquista invicta. Foi sem dúvida uma grande experiência profissional.

gilberto silva

PL Brasil – O que você acha que o Arsenal precisa fazer para voltar a conquistar grandes títulos?

Gilberto Silva – A grande dificuldade hoje é em relação ao poderio financeiro dos concorrentes no sentido de contratar bons jogadores para montar um grupo competitivo.

A concorrência hoje é maior, todos os grandes clubes disputam os melhores jogadores. Portanto é preciso fazer boas escolhas para montar um elenco forte.

PL Brasil – Em 2019 marca os 15 anos da conquista invicta do Arsenal. Você acredita que isso irá se repetir na Premier League?

Gilberto Silva – Rapaz, o tempo passou rápido… já 15 anos dessa conquista que todo torcedor do Arsenal, e nós que participamos lembramos com muito orgulho.

Pode ser que um dia volte acontecer, pois todo recorde está aí para ser quebrado. Mas, ao mesmo tempo, ficamos na torcida que a gente siga sendo os únicos invictos, pois esse grupo seguirá sendo lembrado por tudo que fez.

PL Brasil – Você mantém contato com alguns dos Invictos?

Gilberto Silva – Estou sempre falando com com vários jogadores daquele grupo, a gente sempre se encontra em eventos, participamos de coisas juntos.

Com o próprio Wenger estou sempre encontrando ele, o que é muito importante tendo em vista tudo o que fizemos juntos como profissionais. A alegria segue a mesma a cada reencontro.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

Esquadrões Imortais #01 – Arsenal 2003/04

Não há posts para exibir