Gasto ‘explosivo’ e ousadia: os erros e acertos dos clubes da Premier League no mercado de janeiro em 2023

7 minutos de leitura

Na janela de transferências de janeiro, os clubes da Premier League costumam corrigir erros de planejamento e aproveitar boas oportunidades financeiras. No mercado de 2023, há um ano, algumas equipes se movimentaram de forma ousada e investiram pesado.

Os gastos explodiram. Ao todo, os 20 times da Premier League torraram 824,81 milhões de euros (R$ 4,5 bilhões) em reforços no meio da temporada 2022/23, mais do que a junção dos investimentos de Ligue 1, La Liga, Série A e Bundesliga. Um ano depois, quais conclusões podem ser tiradas?

A PL Brasil relembrou as principais movimentações da época, analisou os contextos do momento e destrinchou o impactos dessas contratações nas equipes.

Chelsea ‘quebrou a tradição’ e fez janela de início da temporada em janeiro

Normalmente, as equipes costumam fazer apenas contratações pontuais em janeiro. Os times fogem dos altos gastos, totalmente o contrário do que fez o Chelsea em 2023. Foi a primeira janela da gestão de Todd Boehly e do consórcio da Capital Clearlake. A gestão sabia que precisava reforçar o elenco e botar sua marca no mercado.

Foram 330 milhões de euros investidos para contratar oito jovens com menos de 23 anos. Três deles — Andrey Santos, Madueke e Malo Gusto — tiveram chegadas previstas para 2023/24, enquanto as outras opções eram peças para serem soluções imediatas e, principalmente, para o futuro.

  • Enzo Fernández (121 milhões de euros – Benfica)
  • Mykahylo Mudryk (70 milhões de euros – Shakhtar Donetsk)
  • Benoit Badiashile (38 milhões de euros – Monaco)
  • David Datro Fofana (12 milhões de euros – Molde)
  • João Félix (emprestado – Atlético de Madrid)
Enzo Fernández foi comprado pelo Chelsea no meio da temporada 2022/23 (Foto: Icon Sport)

Um ano depois, o Chelsea ainda espera o desabrochar desses reforços, principalmente de Enzo Fernández e Mudryk. Esse é um dos motivos para o time ter adotado uma postura mais tímida no atual mercado. Até o momento, Pochettino não recebeu nenhum reforço em janeiro, apesar da campanha ruim na Premier League.

Liverpool, Newcastle e Manchester City fizeram ‘contratações solitárias

Os três times tiveram movimentações parecidas. Apenas uma contratação definitiva para cada, em que os nomes em questão eram jovens promessas.

O Newcastle acertou com Anthony Gordon, à época no Everton, ainda na onda do investimento saudita. Ele custou 46 milhões aos cofres alvinegros. Até o momento, vem dando certo. O jovem de 22 anos tem 46 jogos, oito gols e cinco assistências com a camisa alvinegra.

Anthony Gordon pelo Newcastle na Premier League (Foto: Icon sport)

A opção do Liverpool foi parecida. Klopp notou a boa participação de Cody Gakpo na Copa do Mundo e venceu a concorrência do Manchester United para tirá-lo do PSV, por 42 milhões de euros. Também é possível dizer que se tornou uma contratação certeira, já que o holandês já marcou 16 gols pelo time.

Gakpo driblando Vitinho na vitória do Liverpool sobre o Burnley na Premier League (Foto: Icon Sport)

O reforço do Manchester City foi quem menos impactou na equipe. Maximo Perrone deixou o Vélez Sarsfield em janeiro de 2023, por 11 milhões de euros e, apesar de ter jogado algumas partidas, não se firmou. Está emprestado ao Las Palmas.

Na atual janela de transferências, as equipes ainda não contrataram.

Manchester United foi criativo e agregou valor ao elenco sem gastar muito

Wout Weghorst e Marcel Sabitzer chegaram ao Manchester United por empréstimos de Burnley e Bayern, respectivamente. Foram alternativas baratas que o clube encontrou para encorpar seu elenco. Apesar de não terem sido titulares absolutos, os dois jogadores contribuíram de alguma forma com a competitiva temporada feita pelos Red Devils. Jack Butland também chegou do Crystal Palace pelos mesmos moldes.

Agora, sem muito dinheiro para investir, empréstimos como os de Weghorst e Sabitzer são as alternativas mais prováveis para o Manchester United reforçar o plantel em um 2023/24 que parece perdido.

Weghorst depois de título do United na Copa da Liga Inglesa (Foto: Icon Sport)

Arsenal apostou fichas em reforços para ser campeão da Premier League, mas não adiantou

De forma surpreendente, o Arsenal chegou à metade da última temporada brigando diretamente pelo título da Premier League. Quando viu que tinha chances reais de ser campeão, a direção buscou reforços para praticamente todas as posição, mas mesmo assim, a taça ficou com o Manchester City.

  • Leandro Trossard – Brighton: rodado na Premier League, se tornou peça importante do ataque, o 12º segundo jogador de Arteta.
  • Jorginho – Chelsea: não rendeu o esperado e tem melhorado na atual temporada.
  • Jakub Kiwior – Spezia: o zagueiro não cumpriu o que se pedia. Um dos motivos da derrocada dos Gunners foi a lesão de William Saliba.
Saka e Trossard marcaram na vitória do Arsenal sobre o Sevilla (Foto: Icon sport)

Perdido sob o comando de Conte, Tottenham tentou corrigir rota

2022/23 foi muito ruim para o Tottenham, A equipe acumulou resultados ruins, problemas internos e trocas de treinadores. Em janeiro, os Spurs buscaram Pedro Porro e Arnaut Danjuma, por empréstimo. O lateral espanhol agradou e foi comprado em definitivo no início da atual temporada.

Os movimentos são bastante distintos aos realizados agora. Timo Werner e Radu Dragusin foram contratados para compor um elenco que está no caminho certo sob a batuta de Ange Postecoglou.

Fora do Big 7: as melhores contratações da Premier League no mercado de transferências de janeiro de 2023

  • Danilo – Palmeiras para o Nottingham Forest (20 milhões de euros)
  • Felipe – Atlético de Madrid para o Nottingham Forest (R$ 2,3 milhões de euros)
  • João Gomes – Flamengo para o Wolverhampton (18 milhões de libras)
  • Pablo Sarabia – PSG para o Wolverhampton (5 milhões de euros)
  • Matheus Cunha – Atlético de Madrid para o Wolverhampton (empréstimo com opção de compra)
  • Antoine Semenyo – Bristol City para o Bournemouth (10,2 milhões de euros)
Danilo e Felipe pelo Nottingham Forest na Premier League (Foto: Icon Sport)
Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.