Histórico? FA considera técnica para substituir Southgate na Inglaterra

5 minutos de leitura

A Associação Inglesa de Futebol considera a técnica da seleção feminina, Sarina Wiegman, como candidata a assumir o comando da equipe masculina se, ou quando, Gareth Southgate deixar seu cargo. A informação foi dada pelo presidente-executivo da FA, Mark Bullingham.

Wiegman levou a Inglaterra à final da Copa do Mundo Feminina na Austrália. As inglesas vão enfrentar a Espanha no domingo (20) em Sydney. Há 13 meses, a seleção inglesa feminina venceu pela primeira vez a Eurocopa.

— As pessoas sempre dizem que é o melhor homem para o trabalho ou o melhor inglês. Por que tem que ser um homem? Acho que nossa resposta é sempre: “é a melhor pessoa para o trabalho.” Achamos que a Sarina está fazendo um ótimo trabalho e esperamos que continue assim por muito tempo, acho que a Sarina pode fazer o que quiser no futebol — disse Bullingham.

Por ter revolucionado a seleção feminina da Inglaterra desde que substituiu Phil Neville no comando técnico da equipe em setembro de 2021, Bullingham disse que Wiegman “poderia fazer o que quisesse no futebol” e que consideraria uma mulher para comandar o time masculino inglês.

— Se em algum momento no futuro ela decidir que quer entrar no jogo masculino, seria uma discussão muito interessante, mas isso é para ela, certo? Não acho que devemos ver isso como um avanço. Se ela decidir em algum momento no futuro seguir uma direção diferente, acho que ela é perfeitamente capaz disso. É a melhor pessoa para o trabalho, se essa pessoa é uma mulher, então por que não? Você analisa o pool para qualquer trabalho naquele momento específico e eu acho que há um pool diversificado realmente forte de homens e mulheres para qualquer grande trabalho nacional? Não gosto da mentalidade de que tem que ser um homem — continuou.

Concorrência na Inglaterra

O contrato de Southgate com a seleção masculina da Inglaterra vai até o final da Eurocopa de 2024, mas ele disse que considerou deixar o cargo após a eliminação da Inglaterra nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar. Nomes como os de Graham Potter, Frank Lampard e Eddie Howe provavelmente serão candidatos para assumir o cargo, mas nenhum deles estão ao nível de Wiegman.

Casos de treinadoras assumirem equipes masculinas não são frequentes. Patrizia Panico foi a primeira mulher a treinar uma seleção italiana masculino sub-16, em 2017. Em 2019, Imke Wübbenhorst foi a primeira a comandar um time masculino de futebol nas cinco principais divisões da Alemanha, à frente do BV Cloppenburg.

Na Inglaterra, nenhuma mulher foi nomeada treinadora de um time masculino de alto nível. Hannah Dingley foi brevemente responsável pelo Forest Green Rovers, da League Two (terceira divisão) durante o verão, mas Bullingham disse que o futebol está atrás de outros esportes em termos de treinadoras.

— Eu acho que Sarina poderia fazer algum trabalho no futebol? Sim, eu acho. Estou muito feliz com o trabalho que ela está fazendo e espero que continue fazendo esse trabalho por muito tempo. Não gostamos de sugerir que a equipe masculina está acima disso. Se e quando conseguirmos uma vaga em qualquer um dos nossos cargos de gerente sênior masculino ou feminino, iremos para a melhor pessoa para o trabalho, que seria a melhor pessoa capaz de vencer partidas — finalizou.

A técnica holandesa faturou o prêmio “Fifa The Best” como melhor técnica de equipe feminina do mundo. Aos 53 anos, Sarina Wiegman venceu a honraria pela terceira vez na carreira, tendo ganhado também em 2017 e 2020, quando treinava a seleção feminina da Holanda. Ela também foi campeã da Eurocopa no comando técnico de seu país em 2017.

Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.