Ex-jogador do PSG chama Neymar e Messi de fracasso: ‘Adeus!’

2 minutos de leitura

A situação dos astros do Paris Saint-Germain não estão nada boa. Após a torcida do PSG xingar Lionel Messi e protestar na porta da casa de Neymar pedindo sua saída do clube, o ex-jogador do time parisiense, Jérôme Rothen, defendeu os torcedores e também criticou o argentino e o brasileiro.

— Não sou a favor de insultos, mas, por outro lado, pode colocar faixas para mostrar insatisfação, dizer que há jogadores que devem sair, não só a direção. Mostrar aos jogadores que devem sair. Neymar está lá (no PSG) há 6 anos, tem uma oportunidade todos os anos há cinco. É um fracasso, como Messi. Então, adeus — disparou.

Porém, Rothen, atual comentarista da rádio “RMC Sports”, também acha que o protesto em frente a casa de Neymar passou do ponto.

— Quer ir à sede do clube, ao centro de treinamento, ao Parque dos Príncipes, tudo bem. Por outro lado, não ultrapasse os limites. Eu condeno veementemente o fato de irem às casas dos jogadores. Eles têm família, os seus amigos, os seus filhos, e há limites para tudo — completou.

Jérôme Rothen foi jogador de futebol de 1997 a 2011 e teve uma carreira quase inteira no futebol francês. Passou por Caen, Troyes, Monaco, PSG e Sporting Club de Bastia, na França. Durante sua passagem pelo Paris Saint-Germain, foi emprestado ao Rangers, da Escócia, e ao Ankaragücü, da Turquia.

Pelo Monaco, em 2002, Rothen conquistou a Copa da Liga Frances, competição que ganhou também com o PSG em 2008. Ainda com o Paris Saint-Germain, Jérôme foi campeão francês em 2004 e 2006. Fora da França, Rothen foi campeão escocês pelo Rangers, em 2009.

Jérôme ainda disputou a Copa das Confederações de 2003, na qual a seleção francesa foi campeã, e a Eurocopa de 2004.

Situação de Neymar e Messi no PSG

O craque argentino teve seu salário suspenso no PSG por duas semanas após ter viajado à Arábia Saudita no início início da semana sem a autorização do clube. Messi, inclusive publicou um vídeo se desculpando pelo ato.

Uma viagem pode parecer pouca coisa, porém o Oriente Médio tem uma relação conturbada com o Catar, país que sedia o fundo de investimento que comprou o PSG em 2011.

Messi já comunicou o clube que não seguirá na França antes mesmo do incidente com a viagem. Seu contrato com o PSG termina ao final do próximo mês e o seu futuro ainda é uma incógnita. Além do Barcelona, Al-Hilal (Arábia Saudita), Inter Miami (EUA) e Newell's Old Boys (Argentina) são os possíveis destinos do craque.

Já Neymar tem contrato com o PSG até 2027, porém, de acordo com o jornal francês “L'Équipe”, o clube parisiense quer emprestar o astro brasileiro na próxima janela de transferências por empréstimo, com opção de compra, e se despedir de seu camisa 10.

Messi chegou ao PSG em 2021 e voltou a formar dupla com Neymar. Juntos, conquistaram uma Supercopa da França e um Campeonato Francês. A frustração em duas edições da Champions League com o os dois craques, juntos de Kylian Mbappé, esgotou a paciência do torcedor do Paris Saint-Germain.

Ainda assim, Messi está próximo de conquistar seu segundo título de Campeonato Francês. Na liderança, com 75 pontos, o PSG precisa de três vitórias para levantar a taça, isso se o segundo colocado, Olympique de Marselha, que tem cinco pontos a menos que o time parisiense não tropeçar. Se não, a conquista da Ligue 1 poderá vir antes.

O PSG visita os Troyes na tarde do próximo domingo (7), às 15h45, no Stade de l'Aube, em jogo válido pela 34ª rodada do Campeonato Francês. Depois encara:

  • Ajaccio (casa)
  • Auxerre (casa)
  • Strasbourg (fora)
  • Clermont (casa)
Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.