Ex-Chelsea é favorito para substituir Moyes e pode impactar Paquetá no West Ham

4 minutos de leitura

O West Ham faz uma temporada mais segura do que no ano passado, quando terminou em 14º na Premier League. Mesmo o 8º lugar atual não garante a permanência do técnico David Moyes, que pode ser substituído por ex-Chelsea.

Isso porque, de acordo com o jornal inglês “The Telegraph”, os Hammers estudam a possibilidade de contratar Graham Potter, que está sem clube desde que deixou os Blues. E isso pode impactar o jogo de Lucas Paquetá.

Ex-Chelsea no West Ham?

David Moyes enfrenta uma série crucial de jogos com o clube londrino, que pode determinar seu futuro no London Stadium antes do final da temporada. Os Hammers sofreram uma goleada de 6 a 0 para o Arsenal no último domingo (11), agravando uma péssima sequência.

O West Ham ainda não venceu em 2024 e, segundo o Telegraph, caso o mau desempenho do time continue nos próximos jogos, Moyes, de 60 anos, poderá ser dispensado de suas funções.

Potter é um dos cotados para assumir a seleção inglesa - PA Images / Icon Sport
Foto:Icon Sport

Espera-se que Moyes melhore os resultados nas próximas semanas, com jogos contra Nottingham Forest, Brentford, Everton e Burnley na sequência campeonato. No entanto, caso ele não consiga fazer isso, substitutos já estão sendo considerados.

O ex-técnico do Chelsea e do Brighton, Potter, está entre os candidatos para a vaga. Aos 48 anos, ele foi demitido dos Blues em abril de 2023, após uma temporada que o viu registrar 11 derrotas em 31 jogos após substituir Thomas Tuchel.

Além do inglês, os ex-treinadores do Wolves e do Nottingham Forest, Julen Lopetegui e Steve Cooper, também foram apontados para a posição. Embora não esteja claro se o clube buscaria fazer a mudança no meio da temporada ou trabalhar nisso no final da campanha.

Paquetá com Potter: o que muda?

Lucas Paquetá sob o comando de Moyes se tornou um jogador com grandes valências defensivas, atuando algumas vezes como segundo volante e na maioria dos casos como um meia aberto pela esquerda.

lucas paqueta west ham
(Foto: Icon Sport)

Com Potter, caso o treinador siga suas tendências, o brasileiro pode ter mais liberdade no meio e ser cada vez mais um criador. No Brighton e no Chelsea, seus times geralmente jogavam com três zagueiros e mais foco em meias criativos.

Entre um 3-4-3 e um 3-4-2-1, Paquetá pode ser um meia aberto que cai por zonas centrais ou até mesmo um dos “camisas 10” da equipe, o que pode mudar sua função e dar mais destaque para suas valências ofensivas, o que lhe rendeu bons momentos no Lyon e na seleção brasileira.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]