O melhor futebol da Eurocopa e os meus palpites para o mata-mata

4 minutos de leitura

Esperei o término da fase de grupos da Eurocopa para não queimar a largada. A essa altura você já sabe que a Inglaterra não jogou absolutamente nada, mas ainda é uma candidata ao título, especialmente por ter caído no lado mais acessível da chave.

Mas quem de fato foi bem? E quais são os meus palpites para o mata-mata? Aqui não fugimos de um desafio.

Respondendo à primeira pergunta, vou na escolha óbvia da única com 100% de aproveitamento: Espanha. A atuação contra a Itália (vitória por 1 a 0 com Donnarumma fazendo oito defesas) foi a que mais me impressionou levando em conta o nível do adversário.

A Espanha não tem nenhum craque de primeira prateleira no ataque, o que às vezes parece ser necessário para passar pela nossa aprovação. Mas tem Rodri, o melhor volante do mundo, tem Pedri, tem Fabián Ruiz (que Euro!), tem a próxima estrela Lamine Yamal, tem Nico Williams driblando por aí…

Tem, sobretudo, um coletivo forte e uma equipe jovem. Muitos ali passaram pelas mãos de Luis de la Fuente quando ele treinava a base.

A Espanha ainda venceu tranquilamente a Croácia (3 a 0) e pôs os reservas contra a Albânia (1 a 0). Enfrentará a surpreendente e estreante Geórgia nas oitavas de final.

O problema vem depois…

Se avançar, pode enfrentar a Alemanha. Depois, Portugal ou França (ou Bélgica). O cruzamento não foi amigo de ninguém dali, embora franceses e belgas carreguem enorme parcela de culpa por não terem vencido seus grupos.

Minha segunda seleção predileta foi a Áustria. A candidata a zebra que se confirmou, mas até acima das expectativas, terminando em primeiro numa chave com França (perdeu por 1 a 0 sem merecer) e Holanda.

O treinador Ralf Rangnick é um dos “pais” do gegenpressing, e sua Áustria joga sem medo, pressionando. Não duvidaria que chegasse numa semifinal. Destaque para Sabitzer, Baumgartner e Seiwald até aqui.

Das minhas favoritas antes de a bola rolar, ganhei certa desconfiança sobre França, Inglaterra e Portugal. Claro que o mata-mata marca um novo início de torneio, mas todas tiveram dificuldades para criar quando enfrentaram times mais fechados. Esperava mais.

Os meus palpites

Não menosprezem um chaveamento. Ele é fundamental e pode permitir que seleções se fortaleçam ao longo do caminho. Acho que a Inglaterra pode se beneficiar disso – mesmo com o campo apontando o contrário.

Oitavas

  • Espanha x Geórgia – ESPANHA
  • Alemanha x Dinamarca – ALEMANHA
  • Portugal x Eslovênia – PORTUGAL
  • França x Bélgica – FRANÇA
  • Romênia x Holanda – HOLANDA
  • Áustria x Turquia – ÁUSTRIA
  • Inglaterra x Eslováquia – INGLATERRA
  • Suíça x Itália – ITÁLIA

Quartas

  • Espanha x Alemanha – ESPANHA
  • Portugal x França – PORTUGAL
  • Holanda x Áustria – ÁUSTRIA
  • Inglaterra x Itália – INGLATERRA

Semifinais

  • Espanha x Portugal – PORTUGAL
  • Áustria x Inglaterra – INGLATERRA

Final

  • Portugal x Inglaterra – PORTUGAL

Veremos o quanto eu acerto até 14 de julho.

Victor Canedo
Victor Canedo

Victor Canedo trabalhou por 12 anos como repórter de futebol internacional no Grupo Globo. E até hoje mantém o hábito de passar as manhãs e tardes dos fins de semana ouvindo a voz de Paulo Andrade. Para equilibrar a balança dos colunistas deste site, é torcedor do Arsenal desde Titi Henry.