Até que ponto o dinheiro influencia na tabela da Premier League?

Balanço de transferências mostra que nem sempre gastar influi na tabela final do campeonato inglês

0
190
dinheiro
Salah viveu uma temporada fantástica pelo Liverpool. (Foto: Reprodução Liverpool FC)

A janela de transferências europeia abriu no último dia 9. Antes mesmo disso acontecer, os times da Premier League já lideram, em valores, as mobilizações para conseguir os melhores atletas para a próxima temporada.

As contratações dos brasileiros Fabinho, Felipe AndersonFred e Alisson já estão entres as mais caras do mundo até aqui. Além disso, muito provavelmente, outros jogadores serão comprados pelos clubes em valores astronômicos por conta da Copa do Mundo.

Nos últimos anos, com um regulamento de premiação bem coerente e com valores para transmissão extremamente altos, os times do Campeonato Inglês têm cada vez mais dinheiro para gastar.

Em duas vezes por temporada, a janela se abre e novamente os ingleses ficam no topo em valores, seja em gastos ou despesas.

Mas a pergunta que fica é: Até que ponto o dinheiro influencia na tabela da Premier League?

Veja, abaixo, o balanço de transferências 2017/18 e a posição na tabela de cada time da Premier League!

Reprodução/Transfermarkt

O Manchester City, campeão da Premier League, foi o clube que mais gastou. O segundo desta lista que compara a tabela de classificação da competição com o valor gasto de cada clube foi o seu rival Manchester United, que foi vice.

Se pegarmos os jogadores de cada clube da Premier League 2017/18 com mais participações em gols, vemos que os novos contratados são importantíssimos.

Mohamed Salah foi o artilheiro da competição. Romelu Lukaku foi o atleta com mais participações em gols do Manchester United, enquanto Aubameyang brilhou com apenas um semestre na Inglaterra, marcando 10 gols.

Outros nomes como os de Oxlade-Chamberlain, Bernardo Silva, Pascal Gross e Kyle Walker foram imprescindíveis em cada clube mesmo não estando em lista de artilharia e liderança de assistências.

Mas e quando essas negociações não geram o que os torcedores esperavam? Por isso que antes de gastar milhões deve-se ter o máximo cuidado nessas transferências.

A contratação de Álvaro Morata é um grande exemplo. O Chelsea tinha Diego Costa, que já havia sido importante na conquista da Premier League 2016/17 pelo clube. Por problemas com o treinador Antonio Conte, os londrinos preferiram gastar com o outro espanhol.

Diego Costa ficou seis meses parado, retornou para o Atlético de Madrid e ganhou destaque novamente. Enquanto isso, Morata nunca chegou a ser destaque do clube. Contrataram o francês Giroud inclusive.

A transferência mais cara da temporada dos Blues não deu muito certo. Sim, os problemas com o treinador poderiam atrapalhar as atuações do Diego. Mas o Chelsea ainda tinha Michy Batshuayi, que depois foi para o Borussia Dortmund jogando muito bem.

Esperamos que as novas contratações deem certo. Milhões estão sendo gastos. Essa é a nova cara da Premier League, a da competição do valores astronômicos. Mais do que isso, aguardamos que esses números sejam transformados em boas atuações.