Dinamarca: até onde pode chegar na Copa do Mundo?

Dinamarca: até onde pode chegar na Copa do Mundo?
Foto Reprodução: Trivela

Não será surpresa se, pelo menos, a Dinamarca chegar às quartas de finais da Copa do Mundo. Kasper Hjulmand, treinador dinamarquês, pegou essa seleção e arrumou como poucos. Para muitos, após terem chegado até às semifinais da Euro 2020, o apelido de “dinamáquina” ganhou força novamente. Nesta sexta-feira (3), a equipe de Christian Eriksen fez mais uma vítima. Pela 1ª rodada da Liga das Nações, os dinamarqueses venceram ninguém mais, ninguém menos que a atual campeã do mundo, França.

A história sendo escrita novamente 

A saber, o jogo foi no Stade de France, mesmo estádio da final da Liga dos Campeões. Apesar do favoritismo francês, a Dinamarca tinha uma boa proposta de jogo. Tanto sem a bola no pé quanto com, os visitantes sabiam o que tinha que fazer. Por outro lado, a seleção da casa pareceu não levar muito perigo ao gol de Kasper Schmeichel. Entretanto, a partida ganhou mais ânimo na etapa final.  A partir do apito do juiz para os 45 minutos finais, les blues, demonstraram que eram favoritos.

Karim Benzema, campeão da Champions League com o Real Madrid e um forte candidato à melhor do mundo, abriu o placar logo aos 6′. Esperava – se que os mandantes iriam desleixar, mas não foi assim. Andrea Cornellius, atacante dinamarquês que havia entrado no segundo tempo, veio á decidir. Aos 23′, ele recebeu passe da direita e mandou para o fundo das redes de Hugo Lloris. Um empate contra a atual campeã do mundo, em pleno ano de Copa, não estava mal. Todavia, estamos falando de um elenco que evoluiu e muito seu jogo, desde a chegada de Hjulmand.

Não satisfeito com apenas um gol, Cornellius marcou de novo. Aos 43′, continuou escrevendo páginas dessa brilhante “dinamáquina” que certamente, encherá os olhos de muita gente no Qatar. Vale recordar que em 2020, por essa mesma competição, ganharam da Inglaterra em solo inglês. Com certeza, esse time remete muito bem a “dinamáquina” da Copa do Mundo de 1986.

Dinamáquina: a origem

Sobre este ano, a Dinamarca disputava o seu primeiro mundial. Sendo assim, surpreendeu a todos fazendo jus ao apelido. Dessa forma, foram três vitórias: 1 x 0 na Escócia, 6 x 1 no Uruguai e 2 x 0 na Alemanha Ocidental. Por outro lado, caiu nas oitavas de finais para a Espanha após perder por 5 x 1. Mas, o feito não parou na copa do México. Em 1992, a dinamáquina foi campeã da Eurocopa. Jensen e Vilfort foram os protagonistas da grande final, contra a Alemanha.