Didier Drogba: o craque que encantou o Chelsea

8 minutos de leitura

Um dos nomes mais marcantes da história do Chelsea e da Premier League, o atacante marfinense Didier Drogba marcou época por várias gerações. O artilheiro tinha como seu principal trunfo a sua força no jogo aéreo, que acabou sendo fundamental na conquista do único título europeu dos Blues na temporada de 2011/12.

Didier Drogba, o artilheiro do Chelsea que não perdoava

Apesar de sua carreira brilhante, Drogba passou por muitas dificuldades que quase influenciaram no seu futuro como jogador profissional.

Infância na França e a saudade de casa

Didier Yves Drogba Tébily, nasceu no dia 11 de março de 1978, na cidade de Abidjan, na Costa do Marfim. O então garoto teve uma infância muito diferente do comum e também muito dificil.

Aos 5 anos de idade, Drogba foi mandado por seus pais para morar com o seu tio Michael Goba, que era jogador de futebol na França. Só que Drogba não se adaptou ao novo lar e acabou retornando para a Costa do Marfim para morar com os seus pais.

Na maior parte do tempo, o jovem Drogba optava por jogar futebol em um estacionamento da cidade de Abdijan, mas seu retorno a sua terra natal não durou bastante tempo.

Os seus pais haviam perdido os seus empregos e não tinham condições de cria-lo, então Drogba acabou retornando a França para morar com o seu tio.

Leia mais: O efeito Virgil van Dijk no crescimento do Liverpool

Em 1991, os seus pais foram morar na França e se instalaram nos subúrbios de Paris, em uma época em que Drogba tinha 15 anos.

O atacante marfinense jogava em um clube semi-profissional chamado Levallois, que hoje, leva o nome de Didier Drogba em seu estadio.

Drogba chamou a atenção por seu estilo goleador e logo estava assinando o seu primeiro contrato profissional pelo Le Mans da França.

Começo no Le Mans

Após finalizar os seus estudos, Drogba mudou para a cidade de Le Mans para atuar pelo clube local e para estudar contabilidade na universidade local.

Sua estreia como profissional pelo clube que estava na Ligue 2 (Segunda divisão francesa), se deu aos 21 anos, na mesma época em que o atacante assinou o seu primeiro contrato com o clube.

Em sua primeira temporada, ele marcou 7 gols em 30 aparições e era considerado um dos grandes nomes do futuro do clube, mas devido a uma série de lesões, Drogba acabou perdendo espaço na temporada seguinte e acabou não marcando um gol sequer.

O garoto marfinense retornou a boa forma na temporada seguinte e marcou 5 gols em 21 jogos, o que fez ele ser negociado com o Guingamp pela baixa quantia de 80 mil libras.

A afirmação no mundo do futebol pelo Guingamp

Contratado pelo Guingamp na temporada de 2001-02, Drogba teve um início tímido mas deu as suas colaborações para que o time do leste da França evitasse a sua queda na Ligue 1. Com três gols em 11 jogos, o marfinense ajudou o clube a assegurar a 16ª posição com 35 pontos.

Na temporada seguinte veio a primeira grande demonstração de o que Didier Drogba proporcionaria para o futebol mundial.

Com 17 gols marcados em 34 jogos pela liga, o atacante creditou muitos de seus gols a um companheiro com quem faria sucesso no Chelsea mais tarde. Tratava-se do winger francês Florent Malouda, que também atuava no Guingamp naquela época.

Após lutar contra o rebaixamento na primeira temporada, Drogba levou o Guingamp a um impressionante 7º lugar na temporada seguinte, o que levou a equipe para a terceira fase da já extinta Uefa Intertoto Cup.

Seus gols despertaram o interesse de vários clubes importantes da Europa, o que incluia o Olympique de Marselha, para onde Drogba se transferiu após o clube francês pagar 5 milhões de euros ao Guingamp.

Temporada marcante pelo Olympique de Marselha

A passagem de Drogba pelo Olympique de Marselha não foi a das mais duradouras, mas com certeza foi muito marcante tanto para o jogador quanto para os torcedores do clube francês.

O marfinense ficou em Marselha por apenas uma temporada antes de despertar o interesse do Chelsea, que pagou ao clube francês a considerável quantia de 24 milhões de libras para contar com o seu futebol.

Em sua passagem, Drogba foi titular absoluto na equipe que acabou não terminando em uma boa posição na tabela. Com o 7º lugar na tabela, o Olympique acabou ficando de fora de todas as competições europeias, o que com certeza facilitou a saída de Drogba.

Após sua passagem por Marselha, sua camisa foi exposta na basílica da cidade em uma doação feita pelo próprio atacante após a sua passagem pelo clube.

A primeira temporada inesquecível pelo Chelsea

Em sua coletiva de apresentação no verão de 2004, o então atacante de 26 anos vinha sob grandes expectativas e com objetivos enormes.

“Quero ser campeão da Premier League e da Uefa Champions League pelo Chelsea” afirmou Drogba na época.

O seu primeiro título pelo clube veio quase que de imediato, no meio da temporada, quando os Blues conquistaram a Copa da Liga Inglesa ao vencer o Liverpool na prorrogação pelo placar de 3 a 2. Drogba deixou o seu tento naquela final.

O atacante recém-chegado do Olympique de Marselha foi um dos grandes nomes daquela temporada que acabou sendo uma das melhores do Chelsea em muitos anos.

A conquista da Uefa Champions League naquela temporada não foi possível, apesar de os gols de Drogba ajudarem o Chelsea a eliminar grandes clubes como PSG e Bayern de Munique, o clube acabou perdendo para o Liverpool na semifinal.

Em contramão da frustrante eliminação do clube na Champions, Drogba alcançou um dos seus objetivos traçados no começo da temporada: o título da Premier League.

Com 10 gols marcados ao longo da campanha, o marfinense ajudou os Blues em uma campanha épica em que a equipe londrina terminou com 95 pontos, após 29 vitórias, 8 empates e apenas uma derrota em 38 rodadas. Um título incontestável.

A afirmação nos Blues

Em sua segunda temporada nos Blues, Drogba conseguiu repetir com ainda mais qualidade o sucesso da temporada anterior em que venceu dois títulos pela equipe londrina.

Com o primeiro título de Premier League do Chelsea, a equipe teve direito a disputar a Supercopa da Inglaterra contra o então campeão da Copa da Inglaterra, o grande rival Arsenal. Assim veio o primeiro título do Chelsea, que venceu os rivais por 2 a 1 com dois gols do marfinense.

Com isso, os números de Drogba aumentaram em relação a última temporada. Ele terminou com 16 gols em todas as competições e foi o líder de assistências da Premier League com 11 passes para gol.

A equipe ainda assim não venceu a Champions League e foi eliminado para o Barcelona, mas Didier ajudou a equipe londrina a manter o título da Premier League.

Em 2006-07, Drogba ganhou a sua primeira chuteira de ouro por ser o artilheiro da Premier League com 20 gols marcados. Além disso, o atacante marcou 5 vezes na Uefa Champions League, 3 na Copa da Inglaterra e 4 na Copa da Liga, sendo dois na final contra o Arsenal.

O marfinense também foi o primeiro jogador da Costa do Marfim a receber o prêmio de futebolista do ano na Inglaterra.

“Estou imensamente orgulhoso por ter sido recompensado por todo o continente africano! Não consigo descrever o quanto estou feliz.” afirmou Drogba na ocasião.

A primeira grande decepção pelos Blues

 A temporada de 2007-08 foi uma das poucas em que Didier Drogba gostaria de esquecer em sua passagem vitoriosa pelos Blues. Após passar por uma cirurgia no joelho em zezembro, o atacante esteve apto para jogar em apenas 17 partidas pela Premier League.

Apesar disso, Drogba foi peça fundamental dos Blues na classificação para a primeira final de Champions da história do clube. A equipe venceu o Liverpool por 3 a 2 na prorrogação e garantiu vaga para enfrentar o Manchester United na final.

Na final, as coisas não saíram como o marfinense esperava. Com o jogo empatado em 1 a 1 na prorrogação, um empurra-empurra entre Tevez e Ballack causou uma confusão generalizada. No meio disso, Drogba acertou um tapa na cara do zagueiro Vidic e foi expulso.

Com isso, ele não pôde ajudar a equipe londrina na disputa dos pênaltis. O francês Nicolas Anelka acabou errando a última cobrança para os Blues, dando o título para o Manchester United.

A conquista do tão esperado título europeu

O começo da temporada de 2011 /2012 começou conturbado no Chelsea. Com uma campanha irregular e uma eliminação para o Liverpool nas quartas da Copa da Liga, André Vilas Boas logo foi demitido.

O substituto não seria comum. O Chelsea estava acostumado com treinadores renomados no comando do clube, mas naquele término de temporada a solução seria mais caseira.

Com o estranhamento da torcida e da imprensa inglesa, o ex-jogador e ídolo do clube Roberto Di Matteo foi contratado para inicialmente apenas encerrar a temporada pelo Chelsea, mas não foi o que aconteceu.

Pela Copa da Inglaterra, o time goleou o rival Tottenham por 5 a 1 na semi-final, com Didier Drogba marcando um dos gols e selando mais uma partida em Wembley para enfrentar o Liverpool. Na final, mais um gol de Drogba e o título após vitória de 2 a 1.

Leia mais Peter Schmeichel, o gigante dinamarquês que virou lenda debaixo das traves

Drogba era de fato um dos pilares mais fortes do Chelsea que sofreu com lesões e suspensões no final daquela Champions League.

Após a primeira colocação do grupo E com 11 pontos contra 10 do Bayer Leverkusen, o Chelsea sofreu para bater o Napoli nas oitavas. Após perder o jogo de ida por 3 a 1, o aplicou 4 a 1 na volta em Londres, com um gol de Didier Drogba.

Nas quartas, duas vitórias contra o Benfica garantiram ao Chelsea a oportunidade de enfrentar o Barcelona.

Contra o Barcelona, uma atmosfera fantástica no jogo de ida ocasionou na vitória de 1 a 0 sobre o time blaugrana, com Drogba fazendo o gol da vitória .

Na volta, um jogo de muita tensão. Com um time muito ofensivo, precisando do resultado e vivendo um de seus auges, o Barcelona foi para cima do Chelsea.

A expulsão de John Terry parecia ter colocado tudo a perder, mas os Blues arrancaram um empate heroico para chegar à decisão.

Na final, Robben colocou o Bayern de Munique na frente aos 83 minutos, mas lá estava Didier Drogba para igualar o marcador em uma cabeçada certeira e potente para colocar o Chelsea de volta na disputa.

Tudo permaneceu igual na prorrogação, e nos pênaltis, Drogba cobrou a penalidade que deu o primeiro título europeu da história do Chelsea.

Apesar da conquista, Drogba não permaneceu no clube para temporada seguinte e aceitou um desafio surpreendeu o mundo do futebol: assinou contrato com o Shangai Shenhua, da China.

A aventura de Didier Drogba na China

A passagem de Didier Drogba na China foi rápida, mas bastante marcante para o povo local. Muitos torcedores do Shangai Shenhua recepcionaram o atacante no aeroporto de Shangai.

O marfinense teve um impacto imediato em seu novo clube ao marcar logo em sua estreia. Durante sua aventura na China, Drogba atuou apenas 11 vezes e marcou 8 gols, sendo o último na vitória sobre o Qingdao Jonoon.

Posteriormente ao término da Copa Africana de Nações, Drogba acertou para retornar para a Europa e atuar pelo Galatasaray.

De volta para a Europa, Drogba assina com o Galatasaray

Depois de atuar pela Inglaterra, França e China, Drogba descobriria o seu quarto campeonato nacional na Turquia.

Drogba foi companheiro de Sneijder e do brasileiro Felipe Melo no Galatasaray (Foto: Divulgação/Galatasaray)

Didier Drogba foi recepcionado por milhares de torcedores do clube no aeroporto de Istambul. Pelo clube, Drogba conquistou o Campeonato Turco, a Copa da Turquia e a Supercopa da Turquia em sua única temporada no país.

O marfinense não renovou o seu contrato com o clube e assim retornou ao Chelsea em uma transferência gratuita.

Volta ao Chelsea e mais um título de Premier League

Em seu retorno, Drogba não tinha o mesmo vigor físico daquele que levou os Blues. O primeiro gol em seu retorno veio ao seu primeiro título europeu e as primeiras conquistas de Premier League do clube.

Com a concorrência de Diego Costa, que vivia um dos melhores momentos de sua carreira e de Loic Remy, que demonstrava ser um reserva no qual os Blues poderiam contar, Drogba tinha poucas oportunidades.

O primeiro gol em seu retorno veio na goleada de 6 a 0 sobre o Maribor pela Uefa Champions League em uma cobrança de pênalti.

Cicno dias depois, o clube não poderia contar com seus outros dois atacantes que estavam lesionados, então surgiu a oportunidade de Drogba ser titular contra o Manchester United no Old Trafford.

Na partida, Didier Drogba abriu o marcador para o Chelsea que sofreu o empate no final da partida. Ele ainda marcou contra o Newcastle em St James’ Park mas não evitou a perda da invencibilidade no Chelsea naquela temporada após vitória dos Magpies por 2 a 1.

No final, Drogba se despediu de sua trajetória no clube com muito estilo e com mais um título de Premier League no currículo.

Leia mais Kenny Dalglish: as glórias e tragédias de King Kenny

Passagens rápidas por Canadá e Estados Unidos antes de encerrar a carreira

Antes de anunciar a sua aposentadoria, Drogba teve passagens pelo Montreal Impact, do Canadá, que disputa a Major League Soccer e pelo Phoenix Rising, dos Estados Unidos, que está nas divisões inferiores norte-americanas.

Pelo clube do Canadá, Didier Drogba chegou a ser o artilheiro do clube na temporada de 2015/16.

Em sua segunda temporada, Didier Drogba não obteve o mesmo sucesso e, além disso, se recusou a jogar em uma partida contra o Toronto.

Após algumas especulações sobre o seu futuro, que envolviam inclusive uma possível transferência para o Corinthians, Drogba acertou com o Phoenix Rising em abril de 2017, onde permaneceu até recentemente antes de se aposentar.

Drogba foi, acima de tudo, um goleador nato em sua brilhante carreira.

Leonardo Gontijo
Leonardo Gontijo

Jornalista graduado na PUC Minas. Apaixonado pelo futebol inglês e um dos colaboradores da Newcastle Brasil. Redator do blog da PL Brasil