As contratações e os fatos inusitados do Deadline Day

O dia é um marco na tão badalada Premier League

0
147
deadline day
LONDON, ENGLAND - JANUARY 13: David de Gea of Manchester United during the Premier League match between Tottenham Hotspur and Manchester United at Wembley Stadium on January 13, 2019 in London, United Kingdom. (Photo by Marc Atkins/Getty Images)

Chegou o tão esperado Deadline Day, o dia que a janela de transferência é fechada e as transferências não podem mais acontecer até o restante da temporada. Esperada por muitos para ser a salvação do time em uma janela frustrada, o dia é um marco na tão badalada Premier League.

Tudo começou na temporada de 2002-03, quando em um acordo com a comissão europeia, as ligas decidiram que colocar um prazo para transferências ajudaria na estabilidade de jogadores e times. Antes disso, poderiam acontecer contratações até o dia 31 de março.

Contudo, nem tudo são rosas no dia. A busca incessável com o tempo estourando, faz com que situações inusitadas aconteçam e negócios que dados como certos, acabam dando errado. A PL Brasil separou três situações que são um “marco” no Deadline Day.

O fax de David De Gea

De Gea é um dos melhores goleiros do mundo na atualidade. Foto: Marc Atkins/Getty Images

A situação era a seguinte: o Real Madrid estava interessado no goleiro David De Gea, do Manchester United. Após dias, semanas, meses de muitos rumores, os times chegaram a um acordo.

O time inglês ainda receberia o goleiro costarriquenho Keylor Navas como parte do negócio. Contudo, no último dia de transferências daquele ano, os documentos não foram enviados a tempo para concluir a negociação.

O episódio ficou marcado como “O Fax”, fazendo alusão à máquina que impediu com que o negócio fosse concluído. Desde então, os Red Devils nunca mais liberaram o goleiro.

A disputa entre Chelsea e Liverpool em 2011

Lendo o subtítulo é de se imaginar que os dois times citados disputaram um jogador até o minuto final, mas na verdade, era para ver quem se deu pior no Deadline Day de 2011.

Os azuis de Londres desembolsaram 50 milhões de libras (246 milhões de reais), para tirar Fernando Torres do Liverpool. Para compensar a saída de El Niño, os vermelhos pagaram, no mesmo dia, 35 milhões de libras (172 milhões de reais) pelo inglês Andy Carroll.

Fernando torres atualmente joga no Sagan Tosu, do Japão. Foto: Ben Stansall/AFP/Getty Images

Apesar de se esperar mais do espanhol, os Blues se deram melhor nessa “troca”. Em 172 jogos, Torres marcou 45 gols e deu 35 assistências. Na época que jogava no Liverpool, teve menos jogos (142) e mais gols (81).

Dentre os três times que teve +50 jogos, Liverpool foi onde Carroll teve o menor número de gols. Foto: Jon Buckle/PA Images via Getty Images

Os Reds por outro lado, apenas gastaram dinheiro. Em 58 jogos, Carroll marcou apenas 11 gols e deu seis assistências. O mau desempenho fez com que sua passagem fosse curta, sendo emprestado duas temporadas depois de ser contratado.

O “F***-se” de Dimitar Berbatov

O ano era 2008 e o atacante búlgaro Dimitar Berbatov era jogador do Tottenham e, naquela janela, acabara indo para o Manchester United.

Mas não era apenas o lado vermelho de Manchester que estava interessado nele. Em entrevista para a FourFourTwo, Dimitar comentou sobre como quase foi parar no lado azul da cidade.

Leia mais: 5 grandes contratações de inverno da Premier League

Dimitar Berbatov na entrevista “polêmica”. Foto: Reprodução FourFourTwo

“Não acho que estive muito perto. Meu agente me falou sobre o interesse, mas eu preferi o Manchester United por causa da história, jogadores… tudo. Acho que foi na noite anterior que o City contratou Robinho, do Real Madrid, e meu agente disse: ‘Berba, há outro time querendo você’. Eu disse: ‘F***-se, eu vou para o United.’”

Apesar de não contratar o atacante, a temporada foi um marco para os Citzens, que desde então, subiram, e muito, de patamar no cenário inglês.

Separamos para você a maior contratação de cada uma das 20 equipes da atual Premier League no Deadline Day.

Arsenal: Pierre-Emerick Aubameyang (Borussia Dortmund) / (2017-18): 57.38 milhões de libras

Bournemouth: Jack Wilshere (Arsenal) / (2016-17): 2.12 milhões de libras por empréstimo

* Brighton & Hove Abion: Glenn Murray (Bournemouth) / (2016-17): 3.15 milhões de libras

Burnley: Robbie Brady (Norwich) / (2016-17): 13.59 milhões de libras

Cardiff: Gary Madine (Bolton) / (2017-18): 6.12 milhões de libras

Chelsea: Kepa Arrizabalaga (Athletic Bilbao) / (2018-19): 72 milhões de libras

* Crystal Palace: Mamadou Sakho (Liverpool) / (2017-18): 25.38 milhões de libras

Everton: Yerry Mina (Barcelona) / (2018-19): 27.23 milhões de libras

Fulham: André Zambo Anguissa (Olympique Marseille) / (2018-19): 22.37 milhões de libras

* Huddersfield Town: Terrence Kongolo (Zagueiro/Monaco-FRA) / (2018-19): 18 milhões de libras

* A contratação de Kongolo não foi no Deadline Day mas foi a maior da equipe no período.

Leicester: Islam Slimani (Sporting) / (2016-17): 27.45 milhões de libras

Liverpool: Andy Carroll (Newcastle) / (2010-11): 36.90 milhões de libras

Manchester City: Robinho (Real Madrid) / (2008-09): 38.07 milhões de libras

Manchester United: Anthony Martial (Monaco)/ (2015-16): 54 milhões de libras

Newcastle: Miguel Almirón (Atlanta United) / 2018-19): 21.60 milhões de libras

Southampton: Manolo Gabbiadini (Napoli) / 2016-17): 15.30 milhões de libras

Tottenham: Moussa Sissoko (Newcastle) / (2016-17): 31.50 milhões de libras

Watford: Abdoulaye Doucouré (Rennes) / (2015-16): 9.54 milhões de libras

* West Ham United: Andy Carroll (Liverpool) / (2013-14): 15.75 milhões de libras

*No Deadline Day da temporada 2012-13, o clube contratou o atacante por empréstimo. A compra em definitivo pelo valor acima foi feita na temporada seguinte (2013-14).

Wolverhampton: Ivan Cavaleiro (Monaco-FRA) / (2016-17): 7.20 milhões de libra