Cymru? Entenda o possível ‘novo’ nome do País de Gales

1 minuto de leitura

Após a Seleção Turca, que agora se chama Türkiye, a Federação Galesa de Futebol discute internamente a mudança do nome das suas Seleções para Cymru, palavra da língua galesa para Gales, que é o termo oficial utilizado atualmente. A substituição aconteceria após a disputa da Copa do Mundo de 2022 e ainda carece de ser conversada com outros setores importantes para o futebol do país britânico.

A decisão veio para apoiar a valorização da língua local, mesmo caso da Turquia, que tinha o nome oficial de Turkey, em inglês, e agora utiliza o idioma turco no nome da Seleção. É evidente também que o tema veio à tona devido a atual fase do País de Gales, tendo se classificado para uma Copa do Mundo pela 2ª vez em sua história, sendo que a 1ª foi há mais de 60 anos, em 1958.

País de Gales x Cymru

Segundo Noel Mooney, executivo-chefe da Federação “O time deve ser sempre chamado de Cymru, que é como chamamos aqui.”

“Nossa visão no momento é que, em nosso país, as pessoas se referem a Gales como Cymru. É assim que chamamos nossas seleções nacionais. Se você olhar nosso site e a maneira como falamos sobre nós mesmos, somos absolutamente Cymru.” Complementa Mooney.

Depois de discutida internamente, a ideia, se aprovada, ainda necessitará do aval da Fifa e da Uefa para ser concretizada. Contudo, o processo não deve ser difícil, já que não é a primeira vez que tal situação ocorre com uma seleção.

Além da Turquia, Macedônia do Norte, antes chamada de Antiga República Iugoslávia da Macedônia, Côte d'Ivoire (Costa do Marfim), que se chamava Ivory Cost anteriormente, e a Sérvia, membra antiga dos países soviéticos, também são exemplos de times nacionais que mudaram de nome para se adequar a questões políticas e/ou identitárias.

A Copa do Mundo do Catar começa no dia 20 de novembro, com País de Gales entrando em campo um dia depois para enfrentar a Seleção Estadunidense pelo Grupo B da competição.

 

 

João Victor Santos
João Victor Santos

Sou João, brasileiro, um jovem sonhador de 24 anos e amante de futebol desde que me lembro. Tudo que eu sofro com o São Paulo, o Liverpool me recompensa (quase tudo).