Crystal Palace – História, Mercado da Bola e Estatisticas

0
468
Crystal Palace

De antemão, o Crystal Palace Football Club é um importante time da cidade de Londres. Além disso, vem ganhando destaque na Premier League, a qual permanece já faz nove temporadas. Assim, sediado em Croydon, zona sul da capital, o Palace teve sua fundação em 10 de setembro de 1905. Em suma, o clube tem um estádio para mais de 26 mil pessoas, o Selhurst Park.

Ainda mais, o clube é, atualmente, conhecido como Eagles, ou Águias, por todos os torcedores. Contudo, eles tinham o apelido de Glaziers, ou Vidreiros, em alusão ao Palácio de Cristal dos seus fundadores. Salvo, o Crystal Palace era um prédio de vidro da empresa de mesmo nome. Portanto, após se mudar para a zona sul e renomear o prédio, a empresa fundou o Crystal Palace Cricket Club, em 1857. Logo depois, em 1861, o time de futebol amador começava a surgir.

Trajetória do Crystal Palace, fundação, conquistas e ascensão

Antes de mais nada, a fundação do clube permanece em discussão. Afinal, em 2020, a instituição lançou uma reinvindicação para ser o clube profissional mais antigo do mundo. Pois aquele time amador de 1861 foi um dos membros fundadores da Football Association. Além disso, participou da primeira FA Cup da história em 1871/72, chegando nas semifinais. Contudo, desapareceram dos registros oficiais na temporada de 1875/76.

Por outro lado, a história profissional começou apenas em 1905. Com isso, por se tratar de um clube recém criado, começou a disputar a segunda divisão da Southern League. A saber, o Crystal Palace ganhou a liga e, no ano seguinte, estaria disputando a 1ª Divisão. Após passar a 1ª Guerra Mundial, o clube voltou a brigar no alto da tabela. Não à toa, garantiu vaga na Football League em 1919/20, terminando em terceiro.

Acima de tudo, o futebol inglês naquela época começava a crescer por todos os lados. Assim, encontraram estabilidade apenas em 1958, na nova 4ª Divisão, numa época com pouco mercado da bola. Dez anos depois, terminou a temporada atrás do Derby County, de Brian Clough. Ou seja, alcançou a 1ª Divisão pela primeira vez em toda sua história.

Em contrapartida, não obteve sucesso de imediato, mas conseguiu evoluir no final dos anos 80. Decerto, muito por conta da chegada do treinador Steve Coppell. O recém técnico levou o clube para uma final de FA Cup em 1990. Além disso, levantou a taça da Copa dos Membros, em 1991.

Atualmente, depois de altos e baixos, está estabilizado na Premier League há nove anos. Apesar de nunca ter finalizado a temporada acima da 10ª colocação, a equipe ostenta essa consistência na elite. Por fim, recentemente, o Crystal Palace decidiu ir ao mercado da bola de técnicos, visto que o veterano Roy Hodgson se aposentou. Com isso, o ídolo dos Gunners, Patrick Vieira, será o comandante dos Eagles.

Mercado de transferências do Crystal Palace

A princípio, as Águias não estão dentro dos clubes que mais gastam no mercado de transferências na Inglaterra. Porém, assim como todo time de futebol, grandes jogadores e histórias chegaram por contratações.

Ian Evans, vindo do QPR, em 1974

Não apenas Ian Evans, como também Terry Venables chegaram nessa troca, vindo do QPR, que custou o jogador Don Rodgers. Apesar da equipe não ter conseguido subir para a 2ª divisão neste ano, alcançou as semifinais da FA Cup. Todavia, o mais importante da chegada de Evans era rejuvenescer o elenco. Afinal, o treinador Malcolm Allison persuadiu a diretoria a buscar jogadores jovens no mercado da bola. Futuramente, essa mentalidade foi importante para a equipe conseguir evoluir de patamar.

Ian Wright, vindo do Greenwich, em 1985

Possivelmente um dos melhores atacantes da história do Crystal Palace. Afinal, ele é o terceiro maior artilheiro do clube, com 117 gols em 277 jogos. Ainda por cima, um dos gols dele foi durante a final da FA Cup de 1990, onde voltou para o jogo com a perna quebrada. Portanto, ele é uma referência, porque fez grandes atuações em um dos melhores períodos da história do clube. Além disso, foi um ótimo investimento no mercado da bola, pois entrou para o elenco a custo zero.

Nigel Martyn, vindo do Bristol Rovers, em 1989

Antes mesmo de estrear, muitos tinham expectativas altas sobre o goleiro Nigel Martyn. Afinal, o Palace pagou 1 milhão de libras, algo que era recorde no mercado de transferências. Por consequência, seu impacto foi imediato no elenco. Mas, não durou muito, porque acabaram a temporada na 15ª posição da liga. No geral, o maior impacto de Martyn seria nas futuras temporadas, as quais tiveram títulos.

Andy Johnson, vindo do Birmingham, em 2002

De antemão, o Crystal Palace não sabia que, ao pagar apenas 1.15 milhão de euros, estaria comprando uma máquina de gols. Como resultado, foram 85 gols em 161 aparições durante quatro anos para Andy Johnson. Em 2003/04, ele foi uma peça fundamental no acesso à Premier League. No ano seguinte, mesmo com o rebaixamento, ele fez 21 gols na liga. Apenas Thierry Henry fez mais que o inglês naquele ano.

Wilfred Zaha, vindo do Manchester United, em 2015

Como muitos sabem, Zaha é um dos principais jogadores do atual elenco. Primeiramente, ele foi da base do Palace, mas acabou sendo vendido para o United em 2013. Contudo, nunca encontrou espaço ou consistência no time de Manchester. Em 2015, depois do fim do empréstimo de seis meses para as Águias, ele foi adquirido de vez por 3.8 milhões de euros. Por consequência, ele encontrou seu futebol e, hoje, o mercado da bola o valoriza. Logo, Wilfred Zaha tem um valor de mercado de 45 milhões de euros.

Foto destaque: Reprodução/Marcas Logos