Cristiano Ronaldo: a declaração surpreendente sobre a liga saudita

2 minutos de leitura

Cristiano Ronaldo atua na Arábia Saudita desde o começo do ano pelo Al-Nassr em uma transferência que chocou o mundo do futebol. Depois de ter sido dispensado pelo Manchester United em novembro do ano passado, durante a Copa do Mundo, o craque português decidiu se aventurar no país árabe e receber quase 200 milhões de euros (R$ 1,09 bilhão) por ano, entre salário e acordos de publicidade.

Convocado por sua seleção para a partida entre Portugal e Liechenstein, pelas Eliminatórias da Eurocopa, Cristiano Ronaldo deu uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (22) e falou sobre o futebol saudita e o seu atual momento da carreira.

“Me sinto bem, por isso estou aqui. Se não estivesse bem, se o ‘mister’ não achasse isso, eu não teria vindo. Agora na Arábia Saudita é uma etapa diferente, não vou dizer que é uma Premier League, porque estaria a mentir. Mas estou muito surpreso positivamente, é uma liga muito competitiva”, disse o atleta de 38 anos”, disse o jogador.

O português rasgou elogios ao Campeonato Saudita e acredita que a liga tem tudo para se tornar uma das melhores do planeta.

— As equipes são muito boas, os jogadores árabes são bons, os estrangeiros dão uma qualidade diferente. Se continuarem o plano, será certamente a quinta, sexta liga mais competitiva do mundo. Estou bem, chego rodado, com minutos. Estou pronto para jogar, estou preparado — analisou.

O Al-Nassr disputa o título do Campeonato Saudita. Atualmente, o clube de Cristiano Ronaldo ocupa a segunda posição na tabela, com 49 pontos, apenas um a menos que o líder e rival Al-Ittihad.

Aposentadoria da seleção

Cristiano Ronaldo foi perguntado se em algum momento depois da eliminação para o Marrocos na Copa do Mundo do Catar considerou se aposentar da seleção portuguesa. O craque disse que cogitou a possibilidade, mas que acredita ter muito a contribuir com o seu país.

“Não vou mentir. Na nossa vida, temos que colocar tudo em cima da balança. Pensamos e refletimos, eu e minha família, mas chegamos a conclusão que, independente das dificuldades, não podemos jogar a toalha. Eu consegui ver situações em diferentes ângulos e, por isso, aprendi muito. Estou muito contente em voltar à seleção, sempre quis jogar aqui. Eu tive uma conversa com todos os jogadores e consegui perceber que tenho muito para dar à seleção. Sinto isso”, afirmou.

Porém, CR7 deixou em aberto sobre sua participação na Eurocopa de 2024 e na Copa do Mundo de 2026. Cristiano prefere seguir passo a passo e contribuir na transição das gerações da seleção portuguesa.

— Vou passo a passo, não penso a longo prazo. Procuro ajudar os jogadores mais jovens, há um ambiente misto. Tem gente entre 26 e 29 também, o grupo é bem equilibrado. Todos os jogadores estão esperando para fazer as coisas bem — disse.

Manchester United

Cristiano também foi perguntado sobre sua saída do Manchester United em sua segunda passagem pelo clube. O camisa 7 deixou a Inglaterra de uma forma polêmica, detonando o treinador Eric ten Hag, a diretoria e os donos dos Red Devils.

“Acho que tudo o que acontece na vida tem razão de acontecer. Agradeço muitas vezes por passar por algumas coisas para poder ver quem está realmente do meu lado. Numa fase difícil é que se vê quem está do teu lado. Houve uma fase menos boa na minha carreira, a nível pessoal e depois profissional. Não há tempo para arrependimentos nesta vida. Mesmo não fazendo tão bem, faz parte da nossa vida. Estou um homem melhor agora graças a Deus”, disse.

Portugal e Liechenstein se enfrentam nesta quinta-feira (23), às 16h45, Estádio de Alvalade, em Lisboa.

Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.