‘Camaleão tático’, ‘golpe de mestre’: jornais se encantam com Inglaterra na Copa do Mundo feminina

5 minutos de leitura

A Inglaterra deu um baile na China na última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo feminina 2023, nesta terça (1). Com gols de Alessia Russo, Lauren Hemp, Chloe Kelly, Rachel Daly e dois de Lauren James, as Lionesses golearam por 6 a 1 e garantiram o primeiro lugar na tabela do grupo D.

O resultado já é expressivo por si só, mas chamou ainda mais atenção porque as inglesas não vinham jogando como era esperado no torneio. Apesar de terem vencido as primeiras partidas contra Haiti e Dinamarca, o placar magro de 1 a 0 foi o retrato de um time apagado e sem entrosamento. Muito diferente do que se viu na última Eurocopa, quando as Lionesses se sagraram campeãs.

O bom desempenho desta terça impressionou não apenas o público presente no Hindmarsh Stadium, em Adelaide, mas também a imprensa na Inglaterra.

A repercussão positiva em torno da Inglaterra na Copa do Mundo feminina

Os jornais e sites da Inglaterra rasgaram elogios à seleção do país, exaltando principalmente a estratégia de Sarina Wiegman para a partida. Com a ausência de Keira Walsh, meio-campista do Barcelona que se machucou no jogo contra a Dinamarca, a treinadora mais uma vez alterou a formação tática da equipe e as coisas parecem finalmente ter se encaixado.

Segundo o site “The Athletic”, a Inglaterra “se tornou um camaleão tático” sob o comando da ex-técnica da Holanda. Ela trocou seu habitual 4-2-3-1 por um 3-5-2, com a atacante Lauren James centralizada na posição de camisa 10.

— Depois de uma performance tão coesa, Wiegman pode ficar tentada a jogar da mesma forma novamente. Mas a verdade, é claro, é que simplesmente não sabemos; ela se tornou impossível de ler. De repente, isso se tornou a principal força da Inglaterra.

The Athletic

 O jornal “The Telegraph” definiu a decisão de Wiegman de mudar para três zagueiros como “um golpe de mestre tático”. A análise do veículo é de que “a capacidade da Inglaterra de lançar surpresas táticas manterá suas adversárias em dúvida nas fases eliminatórias”.

— A China simplesmente não conseguiu lidar com a melhoria da seleção inglesa em sua nova formação de 3-5-2, já que Sarina Wiegman lembrou aos rivais por que seu time é um forte candidato nesta Copa do Mundo.

The Telegraph

No site da emissora britânica “BBC”, a partida da Inglaterra foi chamada de “uma exibição digna de seu status de campeãs europeias”.

— Estou muito orgulhosa da equipe. Quando discutimos que queríamos mudar assim, todos acreditaram imediatamente e vocês viram isso em campo. Queremos usar as qualidades do plantel da melhor forma possível. A equipe mostrou que somos realmente adaptáveis. Acho que estamos crescendo no torneio. Tivemos uma grande atuação – disse Sarina, na saída do campo.

Lauren James: craque do jogo

lauren james inglaterra copa do mundo feminina
Lauren James marcou duas vezes na vitória da Inglaterra (Foto: Icon sport)

Lauren James, do Chelsea, foi eleita como craque da partida. Não é para menos: a atacante de 21 anos marcou dois e deixou três assistências na goleada. Sua atuação também foi elogiada pelos jornais ingleses.

O “The Mirror” relatou que James “atormentou a China desde o início” e, caso mantenha a boa performance até o fim da Copa, é forte candidata à Chuteira de Ouro. Já a BBC disse que o público presente no estádio recebeu “uma ‘masterclass’ de James”.

— Ela é uma jogadora muito especial para nós e para o futebol feminino em geral. Ela é um talento especial e seu futuro é brilhante – disse Chloe Kelly, à BBC.

— (Lauren James) fez coisas especiais. Ela flui sobre o campo.

Sarina Wiegman
Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Jornalista pela PUC-SP. Na PL Brasil, escrevo sobre futebol inglês masculino E feminino, filmes, saúde e outras aleatoriedades. Também gravo vídeos pras redes e escolhi o lado azul de Merseyside. Antes, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.