Copa da Uefa de 1983/1984: o último título internacional do Tottenham

Spurs bateram o Anderlecht, da Bélgica, e levantaram o caneco europeu

tottenham copa da uefa
Frank TewkesburyDaily Express/Hulton Archive/Getty Images

Dentro da história, o Tottenham está entre os grandes da Inglaterra e costuma levar os torcedores ao delírio em jogos decisivos. No passado recente, os jogos contra Manchester City e Ajax, pela Champions League 2018/2019, entraram para a história. No entanto, o último título europeu conquistado pelo Tottenham foi a Copa da Uefa de 1983/1984.

A Copa da Uefa 1983/1984

Conhecida como Liga Europa, hoje com final única, a Copa da Uefa tinha seis fases antigamente. Já que não havia fase de grupos, 64 equipes disputavam jogos de ida e volta até a final. E logo no começo o Tottenham demonstrou a potência que seria na competição. No agregado, venceu o Drogheda United, da Irlanda, por 14 a 0. O massacre era uma boa primeira impressão da equipe na disputa pela taça.

Dominância e bons resultados do Tottenham na Copa da Uefa

O Tottenham seguia como o planejado e mantinha o favoritismo nas fases de mata-mata da Copa Uefa. Com a maioria dos jogadores naturais da Inglaterra, o Tottenham venceu com certa facilidade o Feyenoord, de Johan Cruyff e Ruud Gullit. A terceira fase foi superada, apesar da dureza do adversário. O Bayern de Munique foi campeão da Copa da Alemanha e contava com Rummenigge, artilheiro da equipe naquela época.

Fora de casa, a derrota por 1 a 0 com gol de Rummenigge complicou a vida dos Spurs. Entretanto, o Tottenham jogou com classe em casa. Na aparição de gala de Glenn Hoddle, o jogo no White Hart Lane presenciou gols de Steve Archibald e Mark Falco. O primeiro, marcado após uma cobrança de falta de Hoddle, foi ajeitado de cabeça por Graham Roberts.

Porém, um novo desafio nas quartas de final aguardava o Tottenham. A vitória por 2 a 0 no primeiro jogo em cima do FK Austria Wien era o que os Spurs precisavam para trazer o favoritismo à Inglaterra. No segundo jogo, fora de casa, a equipe austríaca sufocou o Tottenham com um empate em 2 a 2.

Logo nas semifinais, o time inglês foi salvo pelo critério de gol fora de casa. Contra o Hajduk Split, da Croácia, os ingleses perderam por 2 a 1 fora de casa. Na época, o goleiro Ray Clemence chegou a pegar um pênalti, mas levou um gol no mesmo lance ao deixar o rebote.

Na volta, o Tottenham teve uma vitória apertada por 1 a 0. O jogo foi pegado, assim como o primeiro. O gol de Mark Falco logo aos 19 minutos de jogo não resolveu a partida, apesar de ser responsável pela equipe chegar à final.

Emoções à flor da pele na final

A final ainda não era disputada em uma única partida na época. Além disso, o critério de gol fora de casa não era aplicado nessa fase da competição.

Contra o Anderlecht, o Tottenham teve grandes dificuldades. As duas equipes chegaram à final com méritos e vencer não seria fácil. O primeiro jogo terminou em 1 a 1 na Bélgica, assim como a volta na Inglaterra. Porém, no último jogo de Keith Burkinshaw como técnico, o Tottenham precisava demonstrar a vontade das outras fases.

Com a chegada das penalidades, a final se tornou uma loteria. Quem lidasse melhor com a pressão do White Hart Lane se sagraria campeão da Europa. A disputa foi acirrada e acabou em 4 a 3 para o Tottenham. Os Spurs conquistaram a competição e, apesar do título ficar empoeirado com os anos, a torcida nunca esqueceu das defesas de Clemence.