O que o título da Copa da Inglaterra significa para os trabalhos de Arteta e Lampard

Jovens treinadores trazem consigo grandes expectativas para o futuro dos clubes que representam

arteta e lampard
Arteta-MICHAEL-STEELE-POOL-AFP-via-Getty-Images / lampard-DANIEL-LEAL-OLIVAS-AFP-via-Getty-Images

Neste sábado, 1º de agosto, teremos mais uma final de Copa da Inglaterra, a mais antiga competição de futebol ainda vigente, surgida em 1871. Dessa vez, Arsenal e Chelsea estarão frente a frente em busca da taça, e um possível título poderá ter significados parecidos, independente se o vencedor for o treinador Mikel Arteta ou Frank Lampard.

A priori, o título da Copa da Inglaterra não muda o status em que se encontram os trabalhos de Arteta e Lampard. Existem ótimas expectativas para o futuro de ambos, não só pelo bom futebol apresentado em campo até aqui, mas também pela identificação deles com os respectivos clubes. Todavia, vencer é sempre importante, e uma FA Cup seria um ótimo “brinde” para estes que iniciaram suas passagens há pouco tempo.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • JORNALISTAS ELEGEM DESTAQUES E DECEPÇÕES DA PREMIER LEAGUE 2019/20

O que o título da Copa da Inglaterra significa para os trabalhos de Arteta e Lampard

O cenário de Frank Lampard

Contratado antes do início da temporada, o treinador do Chelsea não pôde fazer adições ao plantel em virtude da punição aplicada pela Fifa ao clube, que estava proibido de ir ao mercado. Dessa forma, Lampard se viu obrigado a explorar a vasta base da instituição e tornar os Blues competitivos na Premier League – tarefa esta que foi cumprida por ele.

Sob sua tutela, garotos como Tammy Abraham, Mason Mount e Reece James evoluíram muito e encheram o imaginário do torcedor de expectativas para o futuro. Para além disso, ele também conseguiu fazer com que peças “antigas” voltassem a ter um desempenho agradável, como foi o caso do brasileiro Willian e do francês Olivier Giroud.

O Chelsea passou praticamente toda a temporada 2019/2020 da Premier League nas primeiras colocações, e ainda que com alguns tropeços, garantiu vaga para a próxima Champions League. Lampard foi questionado em alguns momentos, principalmente por alguns pontos “fáceis” que seu time perdeu pelo caminho.

Leia mais: Chelsea na PL 2019/2020: com jovens, Blues chegam à Champions League

Obviamente oscilações iriam acontecer, não só por se tratar de um elenco que não foi reforçado, mas também pelo próprio treinador estar iniciando sua carreira. Como jogador, é claro e evidente que Frank Lampard está entre os grandes da história do clube. Mas, como técnico, é apenas a sua segunda equipe profissional, e tempo é mais do que necessário para que o trabalho se desenvolva de forma natural.

Num aspecto geral, os Blues apresentaram um bom futebol de forma constante durante a temporada. Na volta do esporte após a parada, Christian Pulisic, contratado a peso de ouro por 64 milhões de euros, assumiu a lacuna deixada por Eden Hazard como protagonista do plantel. Isso, aliado a todos os outros nomes citados, deu um nível de competitividade alto para o Chelsea.

É fato que o time necessita de reforços, e como a punição fora reduzida, o clube já se mexe no mercado desde janeiro.

Nomes como Hakim Ziyech e Timo Werner já estão confirmados para a próxima temporada, e promessas como Kai Havertz, do Bayer Leverkusen, também podem desembarcar em Stamford Bridge. Ainda que o time necessite com certa urgência de nomes para o setor defensivo, é de se animar o panorama atual.

Leia mais: Copa da Inglaterra: as trajetórias de Arsenal e Chelsea até a final

Quarto lugar na Premier League, figurando neste posto durante praticamente toda a temporada. Oitavas de final da Champions League, e mesmo que virtualmente eliminado pelo Bayern de Munique por ter perdido o jogo de ida em casa por 3 a 0, não é motivo de pânico. Os bávaros estão entre os melhores times da Europa atualmente, e a eliminação diz muito mais sobre a fase dos alemães do que dos ingleses.

Dessa forma, o título da Copa da Inglaterra significaria para Lampard a coroação de um bom trabalho que ainda se inicia. Com o agradável futebol apresentado e a astúcia dentro do mercado, títulos mais importantes irão vir. Para o torcedor dos Blues, considere como um aperitivo do que poderá ter pela frente tendo Frank como gestor deste time.

Andy Rain/Pool via Getty Images

O cenário de Mikel Arteta

Diferentemente de Lampard, Arteta não está no cargo de treinador desde o início de 2019/2020. Ele foi contratado no fim de dezembro, um mês após o Arsenal demitir Unai Emery. O espanhol era auxiliar técnico de Pep Guardiola, e trouxe consigo não só as ideias do vitorioso comandante dos Citizens, mas também a vontade de resgatar o Arsenal das cinzas.

Com um plantel que tem déficits claros, principalmente no setor de defesa, Arteta foi, aos poucos, encontrando a melhor forma de se jogar. Assim como Lampard, usou bem a base do clube e nomes como Maitland-Niles, Willock, Saka e Nketiah passaram a ser mais frequentes.

Além disso, soube fazer a dupla Lacazette e Aubameyang voltar a se entender, com o gabonês sendo mais uma vez o artilheiro do clube na Premier League. Já o francês, desempenhou bem na reta final da liga e renovou os ânimos dos torcedores.

Ceballos, Pépé e Tierney, tidos como ótimos reforços, também passaram a ter mais regularidade e bom futebol sob sua tutela. Os Gunners passaram a enxergar o que há algum tempo não se via: um horizonte a ser seguido. Arteta trouxe o padrão que Arsène Wenger havia perdido e que Unai Emery jamais havia conseguido estabelecer.

Leia mais: Arsenal na PL 2019/2020: um time irregular buscando seu caminho

Oitavo lugar no Campeonato Inglês, Arteta precisa vencer Lampard de forma mais “urgente” se quiser jogar competições europeias em 2020/2021. O clube não garantiu vaga pela liga e já está eliminado da Europa League. Sendo assim, a Copa da Inglaterra é a última esperança de uma vaga na própria Liga Europa.

Óbvio que, em caso de derrota, o treinador não terá seu cargo posto em dúvida. Muito mais do que Lampard, o comandante espanhol do Arsenal precisa de tempo para maturar suas ideias e formar um conjunto. O Chelsea, quando assumido por Lampard, acabara de vencer uma Europa League com Maurizio Sarri, e já tinha um plantel mais “recheado”.

Justin Tallis/Poll/AFP via Getty Images

Os Gunners convivem não só com o déficit de atletas, mas também com a sina das coisas darem errado há algum tempo. Ter uma competição europeia no calendário seria bom para os cofres, que poderiam, talvez, colaborar de forma mais assertiva com Arteta.

De todo modo, o título, assim como para o treinador do Chelsea, será o indicativo de que dias ainda mais gloriosos virão. É cedo para falar em qual patamar poderá chegar este Arsenal, mas as sensações e expectativas passadas até aqui são extremamente agradáveis.

Leia mais: Relembre as decisões entre Arsenal e Chelsea na Copa da Inglaterra