Copa da Inglaterra 2001: quando Owen destruiu o Arsenal e o Liverpool foi hexa

Relembre esta memorável conquista dos Reds

Copa da Inglaterra 2001: quando Owen destruiu o Arsenal e o Liverpool foi hexa
Foto: LiverpoolEcho

O Liverpool possui grandes conquistas na sua linda história. E alguns títulos são inesquecíveis, como por exemplo, o da Copa da Inglaterra de 2001, quando os Reds derrotaram o Arsenal na final por 2 a 1, com show de Michael Owen. Quer saber como aquele time conquistou seu sexto título do torneio? A PL Brasil relembra!

O clube de Anfield Road chegava ao torneio com cinco títulos da competição, sendo o último em 1992, em que os Reds venceram o Sunderland na final por 2 a 0 e se sagraram campeões.

Mesmo com Manchester United e Arsenal travando batalhas particulares pelos títulos nacionais, o Liverpool aparecia com boas chances de conquistas. Michael Owen, Jamie Carragher, Robbie Fowler, Steven Gerrard e Jari Litmanen eram alguns destaques do time na época, além do comandante Gérard Houllier.

Início da jornada na Copa da Inglaterra 2001

A caminhada do Liverpool na Copa da Inglaterra começou no dia 6 de janeiro de 2001, em Anfield. Com dois gols do atacante Emile Heskey e um do meio-campista Dietmar Hamann, os Reds venceram o Rotherham United por 3 a 0 e avançaram para a próxima fase, onde enfrentariam o Leeds United.

A partida foi disputada no Ellan Road, casa do adversário. E deu Liverpool. Com gols do meio-campista Nick Barmby e de Heskey, os Reds venceram por 2 a 0 e garantiram a vaga nas oitavas de final, onde o duelo seria diante do Manchester City, em Anfield.

É importante destacar que, o City de 2001 não era o mesmo de hoje. Era um clube bem longe dos títulos e não havia se firmado de vez na Premier League. Por isso, o favoritismo estava com o Liverpool.

E os Reds não decepcionaram o seu torcedor. Com gols dos meio-campistas Jari Litmanen e Vladimir Smicer, do defensor Marcus Babbel e de Heskey, o Liverpool venceu o City por 4 a 2 e avançou para às quartas de final, onde enfrentaria o Tranmere Rovers, fora de casa.

Leia mais Quem é o melhor brasileiro atuando na Premier League?

E em mais um jogo recheado de gols e emoções, deu Liverpool. Com gols dos meio-campistas Danny Murphy e Steven Gerrard, e dos atacantes Robbie Fowler e Michael Owen, o clube de Anfield Road venceu o Tranmere por 4 x 2 e garantiu vaga entre os quatro melhores clubes da competição. O adversário da vez seria modesto Wyncombe Wanderes, clube da segunda divisão.

Entretanto, mesmo com tanto favoritismo, a partida não foi fácil para o Liverpool. Com gols decisivos de Fowler e Heskey, os Reds venceram o Wycombe por 2 a 1 e avançaram para a grande final, onde enfrentariam o Arsenal!

A grande decisão

A tarefa do Liverpool na final não seria fácil. Seu adversário, o Arsenal, chegava na sua décima quarta final de Copa da Inglaterra, tendo vencido sete vezes. Ou seja: era um clube que sabia os caminhos para vencer a competição mais antiga do mundo.

Além da experiência no torneio, os Gunners chegavam na final com muita moral. Isso porque eles venceram o derby londrino de virada contra o Tottenham, por 2 a 1, na semifinal. E para completar, o Arsenal tinha um timaço! Thierry Henry, Robert Pires, Patrick Vieira e Dennis Bergkamp eram alguns nomes daquele esquadrão.

Como o tradicional Wembley passava por reformas na época, o estádio lendário não conseguiu ser palco da final. O local escolhido pela Federação Inglesa foi o Millennium Stadium, em Cardiff, País de Gales, e que recebeu mais de 72 mil torcedores.

Jogo equilibrado

E quem teve a primeira chance da partida foi o Arsenal. Após receber um belo lançamento de Fredrik Ljunberg, Henry driblou o goleiro Sander Westerveld, e na hora de abrir o placar, a bola bateu na mão do zagueiro Sami Hyppia e saiu para escanteio. O árbitro da partida não viu o toque irregular do defensor e entendeu que a finalização de Henry tivesse sido na trave.

Minutos depois o Liverpool respondeu com um chute de fora da área de Gerrard, mas sem tanto perigo. Foi o único lance dos Reds durante o primeiro tempo, que acabou bastante equilibrado e truncado.

E o segundo tempo começou com os Reds levando perigo na bola parada. Danny Murphy cruzou e Heskey cabeceou, obrigando o goleiro dos Gunners David Seaman a trabalhar.

Após esse lance, pressão total do Arsenal. Pires deu um passe espetacular para Henry e o atacante bateu mascado em cima de Westerveld; no rebote, Sylvain Wiltord chutou e Hyppia salvou o Liverpool na linha. Por pouco os Gunners não abriram o placar.

Leia mais A última final da Copa da Liga sem um integrante do “Big Six”

E a blitz continuou. Após um chute desviado de Henry, a bola sobrou livre para Ljunberg. O meio-campista dos Gunners encobriu o goleiro do Liverpool e quando a bola iria entrar, Hyppia tirou em cima da linha mais uma vez.

E de tanto o Arsenal insistir, a recompensa veio aos 27 minutos da etapa final. Após saída errada da zaga do Liverpool, Pires deixou Ljunberg na cara do gol. E desta vez o sueco não perdoou. O meio-campista driblou Westerveld e mandou para o fundo do gol. 1 a 0 Arsenal e explosão da torcida!

Após ficar em desvantagem no placar, o Liverpool obviamente se soltou. Gerrard lançou Owen – guarde este nome – e na hora que o atacante iria finalizar, foi travado. Entretanto, minutos depois, a glória.

Carragher arranca pela esquerda e sofre falta. Gary McAllister cobra, a zaga do Arsenal não consegue afastar e a bola sobra para Michael Owen estufar as redes dos londrinos. 1 a 1!

Foto: Ben Radford /Allsport

E o destino estava mesmo ao lado do Liverpool e Owen naquele 12 de maio de 2001. Minutos depois do gol de empate, o Arsenal teve uma boa falta para tentar algo. Entretanto, o que era oportunidade se tornou pesadelo.

A zaga do Liverpool afastou da área e a bola ficou sob o domínio de Patrik Berger, meio-campista dos Reds que fez um lançamento espetacular para Owen ganhar na velocidade de dois zagueiros do Arsenal, dominar e chutar cruzado com a perna esquerda. Era o gol do título aos 43 minutos da etapa final!

Leia mais Van Nistelrooy: glória no United como um dos melhores atacantes da Europa

Coube ao Liverpool segurar a pressão do Arsenal nos acréscimos e comemorar seu sexto título após o apito final. Uma final inesquecível e marcante até os dias de hoje.

Para completar a alegria dos Reds, quatro dias depois vencer o Arsenal, o Liverpool derrotou o Alavés por 5 a 4 e venceu a Liga Europa, terminando a temporada com três títulos, tendo em vista que já havia vencido a Copa da Liga Inglesa, quando derrotou o Birmingham nos pênaltis.

É campeão! Foto: Irishmirror

A reportagem da PL Brasil buscou alguns depoimentos de torcedores ingleses que viveram diferentes experiências naquele 12/05/2001. Confira:

“O Arsenal foi melhor o jogo inteiro. Eles perderam chances que deveriam ter se transformado em um 4 a 0. Então veio ele (Michael Owen), nosso rapaz com suas pernas e magia nas suas chuteiras, transformando lágrimas de desesperos em lágrimas de alegrias em minutos.”

“QUANDO LJUNBERG MARCOU, EU ACHEI QUE A CHANCE DE TRÊS TÍTULOS NA TEMPORADA TINHA IDO EMBORA. MAS AI VEIO MICHEL OWEN E MARCOU DOIS GOLS, DEIXANDO TODO MUNDO MALUCO!”

“A SENSAÇÃO QUE EU TIVE DE QUANDO OWEN MARCA E DE BEBER COM SEUS IRMÃOS DEPOIS DO JOGO FORAM INDESCRITÍVEIS.”

Acompanhe a PL Brasil no YouTube

Ranking #07 – Os maiores laterais direitos da história da Premier League