Aston Villa x Nottingham Forest: como os rivais desta rodada chegaram a título da Champions antes de outras potências

5 minutos de leitura

Neste sábado na Premier League tem o confronto de dois ex-campeões da Europa… Aston Villa e Nottingham Forest.

Pode pintar como uma grande surpresa para o torcedor brasileiro — afinal, esses clubes não são vistos como gigantes sempre lutando para os títulos importantes. E mesmo assim, alcançaram um status cobiçado por Arsenal e Tottenham, as verdadeiras forças tradicionais de Londres.

Soa estranho numa visão sul-americana. Neste lado do Atlântico, os países têm uma tendência de ser muito centralizados, que reflete no futebol. Os times tradicionais e bem sucedidos normalmente são da capital. O campeonato raramente foge de Buenos Aires, Santiago, Montevidéu, Assunção e Lima, por exemplo.

Na Europa é diferente, especialmente na Inglaterra. 

Tony-Morley-e-Gary-Williams-campeoes-com-o-Aston-Villa
Tony Morley e Gary Williams campeões com o Aston Villa. Foto – Icon Sport

Durante as décadas depois da Segunda Guerra Mundial, quando a taça continental iniciou e se consolidou, houve um crescimento expressivo na economia europeia. 

A força das cidades provincianas no futebol europeu

Cidades provincianas viraram forças industriais, e foram times desses lugares — e não das capitais — que forneceram os campeões do continente. Houve exceções — Espanha (Real Madrid) e Portugal (Benfica) — com certeza uma consequência de fascismo local, e talvez por causa do tamanho pequeno do país, Holanda (Ajax, embora o primeiro time holandês a ser campeão da Europa foi Feyenoord, de Rotterdam). 

Mas o normal foi a conquista do título por um clube de uma cidade industrial e provinciana — como Nottingham Forest (1980 e 81) e Aston Villa, de Birmingham, em 1982.

Aston Villa
24/02/24 - 12:00

Finalizado

4

-

2

Nottm Forest

Aston Villa - Nottm Forest

England Premier League - Villa Park

Na Inglaterra, a supremacia dos clubes provincianos vai muito antes dos anos do boom pós-guerra. Vai desde a formação da Football League — porque foram os próprios clubes provincianos que a formaram.

Como atividade popular — e logo profissional — o futebol não pegou primeiro em Londres, no sul. Aconteceu com uma força e velocidade impressionante nas zonas industriais do norte e nos ‘Midlands’ — a parte no meio do país de onde vem Forest e Villa.

O Villa Park é um dos maiores estádios da Inglaterra
O Villa Park é um dos maiores estádios da Inglaterra. Foto – Icon sport

Nottingham era uma cidade de tecidos, especificamente renda, e depois também fabricava bicicletas. Forest foi fundado em 1865, três anos depois do rival Notts County — são os times mais velhos nas quatro divisões profissionais.

Birmingham foi a primeira cidade industrial no mundo, cheio de oficinas produzindo obras de qualidade. E onde o motor a vapor foi inventado, revolucionando o mundo. E Aston Villa, o clube principal da cidade, também desempenhou um papel revolucionário. Depois que o futebol virou profissional em 1885, logo ficou claro que o livre mercado não funcionou para organizar os jogos.

Uma liga era necessária, com uma tabela e uma taça para o vencedor. A Football League começou em 1888 por causa do trabalho de um diretor de Aston Villa. Nesta altura, o clube já desfrutava do primeiro técnico profissional na história do futebol. Aston Villa foi o melhor clube no país, ganhando o título 5 vezes entre 1894 e 1900, e mais uma vez em 1910.

Peter-Taylor-e-Brian-Clough-no-Nottingham-Forest
Peter Taylor e Brian Clough no Nottingham Forest. Foto – Icon Sport

De uma cidade menor, o Nottingham Forest não chegava neste nível. A sua única época realmente gloriosa aconteceu sob o comando extraordinário do técnico Brian Clough no final dos anos 1970 e início de 1980. Hoje em dia, luta bravamente para não cair.

O Villa, entretanto, deve ser maior. A atual quarta colocação deve ser normal, e não uma surpresa. Trata-se do maior clube da segunda cidade do país, maior que Manchester ou Liverpool. Mas tem somente um Campeonato Inglês (em 1981, e a conquista da Europa no ano seguinte) em quase 115 anos. 

Pode ser que Birmingham e os arredores tenham um excesso de clubes, diluindo as possibilidades de cada um. Talvez. Mas de qualquer maneira o Villa deve ter mais títulos. No cenário atual, fica difícil imaginar o Forest competindo como os gigantes. 7

Mas se o Porto é capaz de superar o Arsenal, por que não o Aston Villa?

Mas aqui, infelizmente, a economia não está ajudando muito. O processo de desindustrialização pegou forte nesses lugares fora de Londres. A prefeitura de Birmingham está efetivamente falida e anunciou que vai demitir gente, fazer a coleta de lixo com menos frequência e reduzir gastos com iluminação nas ruas. É uma triste realidade para a cidade que era a oficina do país — e aumenta a responsabilidade do Aston Villa no desafio de trazer luz e alegria para a sua torcida.

Torcida do Nottingham Forest em jogo da Premier League
Torcida do Nottingham Forest em jogo da Premier League – Photo by Icon sport
Tim Vickery
Tim Vickery

Tim Vickery cobre futebol sul-americano para a BBC e para a revista World Soccer desde 1997, além de escrever para ESPN e aparecer semanalmente no programa Redação SporTV. Foi declarado Mestre de Jornalismo pela Comunique-se e, de vez em quando, fica olhando para o prêmio na tentativa de esquecer os últimos anos de Tottenham Hotspur.