Ao tirar peça chave do City, Manchester United faz sua melhor contratação em 10 anos

5 minutos de leitura

Essa pode ser a melhor contratação do Manchester United nos últimos 10 anos”, disse Robbie Earle, ex-atleta britânico que se naturalizou jamaicano, se tornou um dos melhores jogadores do país caribenho e hoje é comentarista. Ele falava sobre Omar Berrada, que trocou o Manchester City pelo United. Quando a informação foi confirmada no fim de semana, muita gente foi pega de surpresa.

Berrada era o diretor de operações do City Football Group, coordenando os 13 clubes que hoje fazem parte do conglomerado. Dentre eles, o Bahia e, claro, o Manchester City. Tinha tanta moral que para muitos era o substituto natural de Txiki Begiristain no comando do futebol da equipe inglesa, uma espécie de braço-direito de Pep Guardiola e que também veio do Barcelona. No United, Berrada ocupará o cargo de CEO. Função, pelo menos no papel, ainda mais importante.

Foram mais de 12 anos no Manchester City. Lá, passou a ser um dos executivos mais respeitados do futebol europeu. Conquistou reputação de ter excelente leitura do mercado, conhecimento de negócios, e construir ótima relação com clubes, jogadores e seus agentes.

Teve papel importante, por exemplo, na compra de Erling Haaland em 2022, na época já um dos jogadores mais desejados do mundo.

O melhor sinal possível para o ‘novo’ Manchester United

Trata-se da primeira contratação desde que Sir Jim Ratcliffe comprou 25% das ações do clube (a confirmação ainda precisa de aprovação oficial da Premier League).

E já é um forte sinal de que, realmente, tudo vai mudar. E para melhor.

A INEOS, empresa do bilionário Ratcliffe, mostra que primeiro é preciso “limpar” os bastidores do clube. Rapidamente. Trazer gente competente, experiente, e só então começar a contratar novos jogadores, sempre seguindo um plano pré-estabelecido. Trata-se do primeiro CEO que vem de fora, sendo contratado especificamente para a função.

— Tirar Omar Berrada de um dos grandes rivais é o primeiro passo da INEOS para afastar o United de anos e anos em que apenas um grupo de amigos e conhecidos assumia as posições mais importantes. É o primeiro passo no longo caminho de volta ao topo — , escreveu o tradicional tabloide The Telegraph.

Em nota oficial, o clube fortalece ainda mais essa visão: “Estamos determinados a colocar o futebol e o desempenho em campo de volta no centro de tudo o que fazemos. A nomeação de Omar representa o primeiro passo nesta jornada”.

Quem é Omar Berrada

Berrada, filho de marroquinos, nasceu em Paris, mas foi criado nos Estados Unidos. Acabou se mudando para Barcelona aos 18 anos, depois de abandonar a faculdade. Ele decidiu ir para a cidade catalã por ser um amante de futebol, principalmente do Barça. O destino se encarregou do resto.

Conseguiu um emprego na empresa de Telecomunicações Tiscali. Em 2003, o CEO da Tiscali acabou sendo contratado pelo Barcelona para ser o diretor de marketing, e levou Berrada junto. Lá, o franco-marroquino passou oito anos.

Em 2011, veio a oportunidade de se juntar ao Manchester City. Primeiro, no Departamento de Negócios Internacionais do City Group. Em um ano, foi promovido a Diretor de Parcerias. Foi ganhando cada vez mais espaço e responsabilidade.

Em 2016, virou o Diretor de Operações. Foi a partir daí que começou a ajudar Txiki Begiristain nas transferências. Virou homem de confiança, tanto que fez parte da delegação que foi para Monaco fechar a contratação de Haaland.

Apesar de todas essas credenciais, o novo CEO do Manchester United terá de superar uma possível resistência dos torcedores — não só por ter vindo do rival de Manchester. Como acontece sempre no mundinho das redes sociais, foram achar posts antigos de Berrada criticando o United.

As polêmicas entre Berrada e o United:

  • Em 2012, ele escreveu: “Preso no aeroporto por causa dos atrasos devido à neve. Passando o tempo assistindo Man United versus Chelsea no meu iPad. Torcendo para o Man United perder”;
  • Em 2013, outro post: “Assistindo à final de 1999 da Champions League entre Man United e Bayern. Tinha esquecido o quanto o Bayern realmente merecia vencer aquela partida”;
  • Por fim, em 2014, compartilhou um artigo com a legenda “‘Manchester United: Como eles se tornaram essa bagunça?”

Mas a verdade é que Berrada não tem tempo para se preocupar com isso. No Manchester United, terá enorme responsabilidade. Será o responsável pelo negócio e pelo futebol. Precisará montar um time melhor em campo, e cuidar da estrutura fora dele. Mais que isso: é preciso recuperar o prestígio do gigante inglês. As primeiras decisões de Jim Ratcliffe foram o começo perfeito para essa difícil tarefa.

Renato Senise
Renato Senise

Renato Senise é correspondente em Londres desde 2016. São mais de cinco temporadas cobrindo Premier League e Champions League. No currículo, duas Copas do Mundo “in loco”, além de entrevistas com nomes como Pep Guardiola, José Mourinho, Juergen Klopp, Marcelo Bielsa, Neymar, Kevin De Bruyne e Harry Kane.