Classificação Champions League 2021/22

Primeiramente, confira tudo sobre classificação Champions League 2021/22 e ainda a tabela Champions League. Aliás, quer apostar no campeonato? CLIQUE AQUI!

A nossa tabela de classificação da Champions League é atualizada automaticamente. Confira abaixo a tabela da Champions League 2021/22:

Tabela da Champions League 2021/22 2022

Sobre a Champions League 2021/22

Antes de tudo, a Liga dos Campeões da UEFA 2021/22 é a 67ª temporada do principal torneio de futebol de clubes da Europa. A saber, é organizada pela UEFA, e a 30ª desde que foi renomeada de Taça dos Clubes Campeões Europeus para UEFA Champions League.

Por certo, a final será disputada no Stade de France, em Saint-Denis, na França. Entretanto, foi originalmente programado para ser jogada na Allianz Arena, em Munique, na Alemanha. No entanto, devido ao adiamento e realocação da final de 2020, os anfitriões finais foram adiados em um ano, com São Petersburgo programado para sediar a final de 2022.

Contudo, devido à invasão russa na Ucrânia, a final foi transferida para Saint-Denis. Assim, os vencedores da classificação Champions League 2021/22 se qualificarão automaticamente para a fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA de 2022/23

Bem como, também ganhar o direito de jogar contra os vencedores da UEFA Europa League 2021/22 na Supercopa da UEFA de 2022, além de garantir vaga no Mundial de Clubes da FIFA 2022.

Sistema de disputa

Em primeiro lugar, um total de 80 equipes de 54 das 55 federações-membro da UEFA participam da Liga dos Campeões da UEFA de 2021/22 (com exceção de Liechtenstein, pois não organiza uma liga nacional). Dessa forma, a classificação das federações com base nos coeficientes das federações da UEFA é utilizada para determinar o número de equipes participantes em cada federação. Assim sendo, temos:

  • As federações 1–4 têm cada uma quatro equipes qualificadas.
  • As federações 5–6 têm cada uma três equipes qualificadas.
  • Associações 7-15 cada uma tem duas equipes qualificadas.
  • Associações 16–55 (exceto Liechtenstein) cada uma tem uma equipe qualificada.
  • Os vencedores da Liga dos Campeões da UEFA de 2020/21 e da Liga Europa da UEFA de 2020/21 recebem uma entrada adicional se não se qualificarem para a Liga dos Campeões da UEFA de 2021/22 por meio de sua própria liga nacional.

A saber, ainda antes da fase de grupos que você pode conferir na tabela de classificação da Champions League, as equipes disputam uma rodada preliminar, depois a 1ª rodada eliminatória, a 2ª rodada pré-eliminatória, a 3ª rodada pré-eliminatória e a rodada desempate antes da fase de grupos.

Classificação da Champions League: Fase de grupos

Primeiramente, o sorteio da fase de grupos foi realizado em Istambul, na Turquia, em 26 de agosto de 2021. Assim, as 32 equipes foram sorteadas em oito grupos de quatro. Decerto, para o sorteio, as equipes foram distribuídas em quatro potes, cada um com oito equipes. Confira como ficou a fase de grupos:

Definidos os grupos da UEFA Champions League 2021-22 - tabela champions league 2022

História da Champions League

World Championship (1876-1904)

Primeiramente, já que estamos falando da tabela Champions League, é interessante saber um pouco da história do campeonato. Antes da criação das ligas nacionais nos países europeus, haviam as copas. Assim, desde 1876, os campeões das Copas da Inglaterra e da Escócia jogam uma espécies de “Supercopa Britânica” para definir o “campeão europeu”. De fato, essas eram as únicas competições devidamente organizadas o suficiente para valer a penas uma disputa que atraísse público e renda.

Por certo, a primeira com vez que dois campeões de ligas europeias se enfrentaram em uma competição foi em 27 de abril de 1895, justamente no extinto World Championship (Campeonato Mundial). Na ocasião, o detentor do título da 1ª divisão inglesa, Sunderland, venceu por 5 x 3 o campeão escocês, Heart of Midlothian. 

Challenge Cup (1987-1911)

Bem como a Challenge Cup, do império Austro-Húngaro, tentou fazer o mesmo ao reunir campeões de seu império em um certame. A saber, historicamente falando, a competição que em sua nomenclatura parece ter apenas os países Áustria e Hungria, abrigava muito mais que isso.

Além disso, alguns destes países tem títulos de Champions League. Então, com a dissolução do Império Austro-Húngaro, o território de dividiu em 13 países europeus:

        1. Áustria;
        2. Bósnia-Herzegovina;
        3. Croácia;
        4. Eslováquia;
        5. Eslovênia;
        6. Hungria;
        7. Itália;
        8. Montenegro;
        9. Polônia;
        10. República Tcheca;
        11. Romênia;
        12. Sérvia;
        13. Ucrânia.

De fato, é o primeiro campeonato europeu que se tem registro, excluindo os duelos do World Championship. Em suma, este certame foi precursor da Copa Mitropa, uma grande competição europeia que, por sua vez, foi precursora da classificação Champions League.

Por fim, os vencedores da Challenge Cup foram apenas austríacos e húngaros, pois, diferente da proposta inicial, quando que todos poderiam participar, na verdade, quase apenas clubes das três principais cidades do Império tenham participado: Viena, Budapeste e Praga.

Dessa forma, o Wiener AC levou três títulos, Vienna Cicket, Wiener SC e First Vienna venceram duas vezes e, em conclusão, o Ferencvárosi (único húngaro), venceu uma única vez.

Copa Mitropa, Mitropa Cup ou Copa da Europa Central (1927-1992)

Primeiramente, a Copa Mitropa foi uma das primeiras grandes copas europeias de futebol para clubes, sendo uma sucessora da extinta Challenge Cup Austro-Húngara. Assim, as primeiras partidas foram disputadas em 14 de agosto de 1927 entre as principais equipes profissionais da Europa Central.

Inicialmente, duas equipes da Áustria, Hungria, Tchecoslováquia e Iugoslávia entraram, competindo em uma competição eliminatória. Portanto, os países envolvidos podem enviar seus respectivos vencedores e vice-campeões da liga ou vencedores da liga e da copa para participar.

Em 1929, os italianos substituíram os iugoslavos. Consequentemente, em 1934, o torneio foi ampliado para quatro equipes de cada um dos países concorrentes. Posteriormente, outros países foram convidados a participar, como Suíça, Romênia e Iugoslávia.

No total, 50 edições foram disputadas com um amplo domínio dos húngaros, com 16 títulos, seguido dos italianos, com 11, checoslovácos com oito e austríacos e iugoslavos com sete cada. O maior campeão da Copa Mitropa é o Vasas, da Hungria, com seis títulos. Já o Bologna, da Itália, tem três conquistas. Bem como o Sparta Praga, da República Tcheca.

Taça dos Campeões Europeus (1955-1993)

O início e o primeiro campeão: Real Madrid

Antes de tudo, a primeira edição da Copa da Europa ocorreu durante a temporada 1955/56. Assim, 16 equipes participaram (algumas por convite):

Milan (Itália), Aarhus (Dinamarca), Anderlecht (Bélgica), Djurgården (Suécia), Gwardia Warszawa (Polônia), Hibernian (Escócia), Partizan (Iugoslávia), PSV Eindhoven (Holanda), Rapid Wien (Áustria), Real Madrid (Espanha), Rot-Weiss Essen (Alemanha Ocidental), Saarbrücken (Saar), Servette (Suíça), Sporting (Portugal), Stade de Reims (França) e Vörös Lobogó (Hungria).

A primeira partida da Copa da Europa aconteceu em 4 de setembro de 1955 e terminou em um empate de 3 x 3 entre Sporting CP x Partizan. Bem como o primeiro gol da história da Taça dos Campeões Europeus foi marcado por João Baptista Martins, do Sporting.

Dessa forma, a final inaugural aconteceu no Parc des Princes, entre Stade de Reims x Real Madrid, em 13 de junho de 1956. Então, graças aos gols de Alfredo Di Stéfano e Marquitos, além de dois gols de Héctor Rial, a equipe espanhola venceu de virada por 4 x 3, após estar perdendo por 2 x 0 e 3 x 2.

A Era Real Madrid (1955-1960)

De antemão, o Real Madrid dominou as cinco primeiras temporadas, sendo campeão de todos. Decerto, os primeiros galácticos, liderados por Ferenc Puskás, Alfredo Di Stéfano, Francisco Gento e José Santamaría.

A quebra da hegemonia e o sucesso do Benfica, de Eusébio e Mário Coluna (1961-1962)

A saber, o domínio do Real Madrid foi encerrado por seu maior rival, o Barcelona. De fato, na 1ª rodada da competição de 1960/61, o Barça eliminou os Merengues por 4 x 3 no placar agregado econtinuou até a final, no Wankdorf Stadion, em Berna, na Suíça, quando foram derrotados por 3 x 2 pelo Benfica. Este que, no ano seguinte, defendeu o troféu batendo o Real Madrid por 5 x 3 na final no Olympic Stadium, em Amsterdã, na Holanda.

Hegemonia italiana com a dupla de Milão (1963-1965)

Após o bicampeonato do Benfica, o clube chegou a terceira final consecutiva, sendo batido na ocasião pelo Milan, da Itália. Porém, nos dois anos subsequentes, quem venceu a Taça dos Campeões Europeus foi seu maior rival, a Inter de Milão. Esta, inclusive, venceu dois campeões para conquistar seus títulos, derrubando nas finais o Real Madrid e o Benfica.

A sexta conquista do Real Madrid (1966)

Por outro lado, após bater na trave por alguns anos, o RealMadrid voltou a conquistar o título com vitória sobre o FK Partizan no Estádio Heysel, em Bruxelas, na Bélgica. A saber, dos galácticos da década de 1950, apenas Gento jogou nas seis equipes vencedoras, sendo, até hoje, o maior vencedor da classificação Champions League.

Primeiros títulos britânicos e igualdade em Milão: Celtic, Manchester United e Milan (1967, 1968 e 1969)

Na temporada de 1966/67, foi a primeira vez que um time escocês conquistou a liga, com o Celtic levando o título, também sendo o estreante britânico. Mas não demoraria muito até um clube literalmente da Terra da Rainha levantar o caneco, com o Manchester United de Bobby Charlton. Por fim, fechando a década, o Milan bateu o Ajax na final de 1968/69 e levou seu segundo título.

A Era Holandesa (1970-1973)

Primeiramente, o sucesso da Seleção Holandesa de 1974 teve muito a ver com este domínio europeu dos clubes holandeses no quadriênio que precede a Copa do Mundo. Então, tudo começa com o vice-campeonato do Ajax em 1969, seguido do título do Feyenoord em 1969/70 e o tricampeonato consecutivo do Ajax entre 1971 e 1973. Este o do “Futebol Total”, com o técnico Rinus Michels e as lendas Johan Cruyff Johan Neeskens.

A Era Alemã: Bayern de Munique (1974-1976)

Em contrapartida, justamente no ano da Copa do Mundo, quem venceu a Taça dos Campeões Europeus foi o alemão Bayern de Munique. De fato, o clube bávaro enfileiraria três títulos consecutivos. Este que tinha como líder o defensor e lendário Franz Beckenbauer, além das estrelas Gerd Müller, Sepp Maier, Uli Hoeneß e Paul Breitner. Aliás, o primeiro deles foi um alerta do que viria a acontece na Copa, afinal, a Alemanha terminou como campeã.

A Era Inglesa: Liverpool, Nottingham Forest e Aston Villa (1977-1982)

Igualada a Era Real Madrid, com cinco títulos, os ingleses tiveram seu momento de hegemonia. Entretanto, não só com um clube, mas com três. Em primeiro lugar, o Liverpool venceu em 1976/77 e 1977/78. Logo em seguida veio o bicampeonato do Nottingham Forest, em 1978/79 e 1979/80. De fato, o Liverpool voltou e vencer em 1980/81 e o Aston Villa fechou a conta em 1981/82.

O fim das Eras e o início dos títulos inéditos (1983-1992)

Após as grandes hegemonias, a década de 1980 foi dos times que nunca tinham vencido. A começar com o Aston Villa, seguido do Hamburgo, da Alemanha, em 1982/83. Então, o Liverpool venceu mais uma vez em 1983/84. A partir daí, foram os títulos inéditos: Juventus-ITA, Steaua Bucareste-ROM, Porto-POR e PSV Eindhoven-HOL.

Após este período de “novidades”, o Milan fechou a década com outro bicampeonato em 1988/89 e 1989/90. E a década iniciou-se com mais dois títulos inéditos: o Estrela Vermelha, da Iugoslávia (hoje Sérvia), venceu em 1990/91, e o Barcelona, da Espanha, foi o segundo espanhol a vencer o torneio, em 1991/92. Na época, o Barça era treinado por Cruyff.

Nascimento da Liga dos Campeões (1993-atualmente)

Antes de mais nada, a competição foi renomeada para UEFA Champions League na temporada 1992/93, passando por uma reformulação no marketing e nos direitos de TV. De fato, graças à parceria da UEFA e da TEAM Marketing AG. As oito equipes que participaram das quartas de final em formato de liga experimentaram uma abordagem muito nova para a organização e comercialização das partidas.

Olympique de Marseille conquista o primeiro título (1993)

Logo no primeiro ano houve uma novidade dupla. Além do já citado novo nome, teve também um novo campeão: Olympique de Marseille venceu seu primeiro campeonato, sendo o único francês a conseguir tal façanha. Bateram o Milan na final;

Milan, Ajax, Real Madrid e Manchester United voltam a vencer, e as novidades surgem: Juventus e Borussia Dortmund (1994-2003)

Após mais um título inédito na história, com o Marseille, em cima dos Rossoneros, foi a vez de volta com os já campeões. Assim, o Milan venceu em 1993/94 e foi, outra vez, vice-campeão em 1994/95, perdendo a final para o Ajax. Mas a vingança italiana viria, porém, não com os milanistas. Isso porque a Juventus venceu pela primeira vez ao ganhar do Ajax na final em 1995/96.

A mesma Juv foi derrotado na final de 1996/97 para os alemãs do Borussia Dortmund, o terceiro alemão campeão. Posteriormente, o Real Madrid voltou à cena e venceu em 1997/98, 1999/00 e 2001/02, tendo neste hiato o Manchester United vencendo em 1998/99 e o Bayern de Munique levando o título em 2000/01. Assim, o Milan, em 2002/03, fechou a Era dos recampeões.

Inéditos títulos de Porto e Chelsea, e campeões ampliando sues títulos (2004-2013)

Em 2004, o Porto foi a grande zebra da temporada. Liderados por José Mourinho, o time foi campeão da classificação Champions League de 2003/04. Contudo, após mais um título inédito, novamente os campeões aumentaram seu número de títulos. Assim, na sequência: Liverpool, Barcelona, Milan, Manchester United, Barcelona, Inter de Milão Barcelona.

Após a conquista do Barcelona em 2010/11, o Chelsea venceu pela primeira vez em 2011/12. Depois disso, nunca mais houve um campeão inédito. Então, o Bayern de Munique venceu a UEFA Champions League de 2012/13, em uma final alemã, com o Borussia Dortmund ficando com o vice.

Era de hegemonia espanhol e tricampeonato do Real Madrid (2014-2018)

Em primeiro lugar, é necessário falar que desde 2007/08 tem ao menos um clubes espanhol entre os quatro finalistas da Liga dos Campeões da UEFA. Ademais, a final de 2013/14 foi totalmente espanhola e 100% madridista, com o Real Madrid vencendo o Atlético de Madrid por 4 x 1, em um emocionante duelo com gol nos acréscimos e prorrogação.

Em 2014/15, foi a vez do Barcelona vencer a Champions ao bater a Juventus na final. A saber, era o Barça do Trio MSN, composto por MessiSuárezNeymar, que encantou o mundo. Mas a hegemonia do Real Madrid do Trio BBC, formado por BaleBenzemaCristiano Ronaldo teve mais sucesso, vencendo três temporadas consecutivas, entre 2015/16, 2016/17 e 2017/18. Em uma das finais o Real venceu o Atlético de Madrid nos pênaltis.

A final inglesa e os quases de Tottenham, PSG e Manchester City (2019-atualmente)

Em 2018/19, após ser vice-campeão para o Real Madrid em Kiev, na Ucrânia, no ano anterior, o Liverpool redimiu sua torcida das falhas do goleiro Loris Karius bateu o Tottenham por 2 x 0. Já em 2019/20, o campeão foi o Bayern de Munique,  confirmando o favoritismo sobre os franceses do PSG. Enquanto isso, na temporada 2020/21, foi a vez do favorito Manchester City perder a final por 1 x 0 para o Chelsea, que entraria para os clubes dos bicampeões.

Maiores campeões

Antes de mais nada, o Real Madrid é, disparado, o maior vencedor da história da classificação Champions League, com 13 títulos. Bem atrás do clube espanhol, mas ainda assim com muitas conquistas está o Milan, da Itália, com sete troféus. Aliás, os Rossoneros são seguidos de perto por alemães e ingleses, Bayern de MuniqueLiverpool, ambos com seis taças.

Em contrapartida, na cola deles está outro espanhol, o Barcelona, isolado na 5ª posição com cinco títulos. Logo atrás, mas parado no tempo com seus títulos estão os holandeses do Ajax, com quatro troféus, sendo uma triplice coroa em 1971, 1972 e 1973, e fechando seu tetra em 1995.

Além disso, duas equipes somam três conquistas: Manchester United (Inglaterra) e Inter de Milão (Itália). Bem como, com duas taças, estão cinco clubes: Juventus (Itália), Benfica (Portugal), Chelsea (Inglaterra), Nottingham Forest (Inglaterra) e Porto (Portugal).

Por fim, nove times fechando a lista de campeões da classificação Champions League com apenas uma conquista. Portanto, são eles: HamburgoBorussia Dortmund (Alemanha), PSV Eindhoven e Feyenoord (Holanda), Celtic (Escócia), Steaua Bucareste (Romênia), Olympique de Marseille (França), Aston Villa (Inglaterra) e Estrela Vermelha (Sérvia).

Classificação Champions League por títulos de clubes

Clube País Títulos Temporada vencedora

Real Madrid

Espanha

13

1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1966, 1998, 2000, 2002, 2014, 2016, 2017, 2018

Milan

Itália

7

1963, 1969, 1989, 1990, 1994, 2003, 2007

Bayern de Munique

Alemanha

6

1974, 1975, 1976, 2001, 2013, 2020

Liverpool

Inglaterra

6

1977, 1978, 1981, 1984, 2005, 2019

Barcelona

Espanha

5

1992, 2006, 2009, 2011, 2015

Ajax

Holanda

4

1971, 1972, 1973, 1995

Manchester United

Inglaterra

3

1968, 1999, 2008

Inter de Milão

Itália

3

1964, 1965, 2010

Juventus

Itália

2

1985 , 1996

Benfica

Portugal

2

1961 , 1962

Chelsea

Inglaterra

2

2012 , 2021

Nottingham Forest

Inglaterra

2

1979 , 1980

Porto

Portugal

2

1987 , 2004

Celtic

Escócia

1

1967

Hamburgo

Alemanha

1

1983

Steaua Bucareste

Romênia

1

1986

Olympique de Marseille

França

1

1993

Borussia Dortmund

Alemanha

1

1997

Feyenoord

Holanda

1

1970

Aston Villa

Inglaterra

1

1982

PSV Endhoven

Holanda

1

1988

Estrela Vermelha

Sérvia

1

1991

 

Tabela Champions League por países mais vencedores

Nação Títulos Vice-campeões Total de finais

Espanha

18

11

29

Inglaterra

14

10

24

Itália

12

16

28

Alemanha

8

10

18

Holanda

6

2

8

Portugal

4

5

9

França

1

6

7

Romênia

1

1

2

Escócia

1

1

2

Sérvia

1

1

2

Bélgica

0

1

1

Grécia

0

1

1

Suécia

0

1

1