Chelsea vence disputa com o Manchester City e contrata prodígio do Sunderland

4 minutos de leitura

Chelsea e Manchester City já protagonizaram grandes embates. O maior deles na final da Champions League de 2020-21. E assim como na decisão da Liga dos Campeões, os Blues derrotaram os Citizens no mercado da bola. A equipe do técnico Mauricio Pochettino venceu a corrida para contratar um jovem prodígio do Sunderland.

Trata-se do goleiro Toby Bell, um garoto de apenas 14 anos. De acordo com o jornal inglês “The Sun”, o Chelsea criou um pacote que inclui uma vaga em uma das melhores categorias de base do Oeste de Londres. O Sunderland, por sua vez, irá ao tribunal para definir uma compensação financeira que pode chegar a sete dígitos caso o jovem atue pela seleção inglesa. Segundo o jornalista Alex Goldberg, a ida para Stamford Bridge foi uma escolha do atleta mirim.

Mercado movimentado no Chelsea

O verão europeu está movimentado em Stamford Bridge, principalmente com as vendas. Os Blues lucraram mais de R$ 1,5 bilhão com venda de jogadores. Mas recentemente dois atacantes chegaram ao Oeste de Londres: Nicolas Jackson, do Villareal, em uma transferência de 32 milhões de libras (R$ 200,7 milhões), e Christopher Nkunku, do RB Leipzig, por 52 milhões de libras (R$ 326 milhões). Confira as recentes transferências do Chelsea:

  • O atacante Nicolas Jackson foi contratado pelo Villareal em uma transferência de 32 milhões de libras
  • Outro atacante, Christopher Nkunku, do RB Leipzig, também foi contratado por 52 milhões de libras
  • Kalidou Koulibaly, Edouard Mendy e N'Golo Kante se mudaram para a Saudi Pro League.
  • Kai Havertz assinou com o Arsenal
  • Mason Mount fechou com o Manchester United
  • Mateo Kovacic foi para o Manchester City, após a saída de Ilkay Gundogan do Etihad Stadium
  • Christian Pulisic foi anunciado pelo Milan nesta semana
  • O capitão Cezar Azpilicueta foi para o Atlético de Madrid em uma transferência gratuita
  • David Datro Dodana se mudou para o Strasbourg por empréstimo

Estratégia do Chelsea para não ser punido

Depois de ter gasto 500 milhões de libras (R$ 3 bilhões) em contratações na janela de transferências de janeiro e não se classificarem para nenhuma competição europeia, os Blues precisaram vender jogadores para não sofrerem punições do fair play financeiro.

O Chelsea relatou uma perda de 121 milhões de libras (R$ 771 milhões) na temporada 2021/22 e um prejuízo de 153,9 milhões de libras (R$ 981 milhões) em 2020/21. Descontado o lucro de 32,5 milhões de libras (R$ 207 milhões) de 2019/20, o balanço negativo nas últimas três temporadas chega a 241,9 milhões de libras (R$ 1,5 bilhão), valor que é mais que o dobro do máximo permitido pelo Campeonato Inglês.

Mas as transferências que envolvem o Chelsea e a Arábia Saudita levantam suspeitas na Inglaterra. Alguns clubes ingleses pedem uma investigação sobre as transferências, já que governo saudita realiza investimentos volumosos na Clearlake Capital, acionista majoritária do Chelsea. As transferências de jogadores dos Blues para os sauditas podem ser interpretadas como inflacionadas.

Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.