Chelsea pode ser excluído de competições caso não seja vendido

Chelsea pode ser excluído de competições caso não seja vendido
Foto: Divulgação/ Chelsea

A saber, desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia o Chelsea sofreu sanções devido ao seu ex-dono, Roman Abramovich, possuir uma relação muito próxima com o atual presidente russo, Vladimir Putin. Dessa forma, uma das condenações impostas a equipe está relacionada a venda do clube.

Assim, com a “licença de operação” com vigor até 31 de maio, os Blues lutam contra o tempo para finalizar o processo de venda. Em contrapartida, em caso de insucesso na venda, Premier League e UEFA alertaram que a equipe pode ser impedida de competir na Europa.

A LUTA DO CHELSEA CONTRA O RELÓGIO

A princípio, o Chelsea, clube criado em 1905, pode estar travando a maior batalha de sua história. Assim, essa batalha fora das quatro linhas. Isso porque, o clube precisa ser negociado até o final do mês de maio, para não correr risco de ficar fora de competições importantes, tais como o Campeonato Inglês e a Liga dos Campeões.

O processo de venda o que parecia ir no caminho certo, mas surgiram novos contratempos que podem comprometer o time de Londres. Por fim, uma oferta astronômica de 3,5 bilhões de libras (R$ 21,7 bilhões) de Jim Ratcliffe, proprietário da Ineos, parece ter chego fora do tempo e acabou sendo recusada.

ABRAMOVICH IRÁ EXIGIR PAGAMENTO DE DÍVIDA QUE O CLUBE POSSUÍ COM ELE

Assim, segundo o jornal britânico The Times, o oligarca russo estaria descumprindo uma  promessa inicial de perdão de dívida. Sendo assim, essa decisão  pode complicar negociação de acordo que quebraria recordes em vendas de clubes esportivos

A princípio, seguem as indefinições sobre o futuro do Chelsea. Dessa forma, o jornal britânico The Times noticiou nesta quarta-feira (04) que o oligarca russo está disposto em voltar atrás em promessa inicial feita em perdoar dívidas da equipe. Assim, o russo iria cobrar pagamento de uma dívida de £ 1,6 bilhão (aproximadamente R$ 10 bilhões). Essa cobrança estaria inclusa como parte da venda do clube.

Por fim, é importante ressaltar que a dívida é referente a um empréstimo feito pela empresa Camberley International Investments à Fordstam, companhia controladora do clube londrino.

COMANDO DO CHELSEA NOS PRÓXIMOS ANOS

A princípio, existem três consórcios que disputam a compra dos Blues. Dessa forma, todos terão que se comprometer a uma cláusula inédita no processo de negociação de um clube. De acordo com a emissora Sky Sports, uma das principais obrigações do novo dono é permanecer no comando pelos próximos dez anos.

Essa foi uma das exigências da Raine Group, consultoria que toca o processo de venda do clube em nome de Roman Abramovich. Em suma, o oligarca russo vem sofrendo sanções desde a invasão da Rússia à Ucrânia e, por este motivo, colocou o time de Stamford Bridge em leilão.