Onde está o elenco do Chelsea do primeiro título da era Abramovich?

Lembrar de Lampard e Terry é fácil... E Filipe Oliveira? Mikael Forssell?

0
386
Wayne Bridge John Terry Chelsea Ryan Pierse Collection Getty Images Sport
Ryan Pierse Collection Getty Images Sport

O Chelsea é um clube de tradição no futebol inglês. No entanto, foi somente no início dos anos 2000 que a equipe se tornou uma das potências da Inglaterra ao ponto de fazer frente a Arsenal e Manchester United, clubes que reinavam dominantes na Premier League. Foi graças à compra do clube por bilionário russo Roman Abramovich que os Blues alcançaram a tamanha importância dos tempos atuais.

Adquirido pelo seu atual proprietário em junho de 2003, o Chelsea precisou de apenas um ano para conquistar seu primeiro título em anos.

A conquista da Premier League da temporada 2004/2005 foi marcada por uma campanha irretocável, com o clube sendo derrotado apenas uma vez e sofrendo míseros 15 gols durante as 38 rodadas.

Com um elenco que mesclava experiência e juventude, aquele esquadrão dos Blues entrou para a história da competição. Veja como estão atualmente os jogadores do elenco campeão de 2004/2005:

Petr Cech

O lendário goleiro tcheco construiu grande parte de sua carreira no Chelsea, onde permaneceu 2004 e 2015. Pelos Blues foram quatro títulos de Premier League. Ao final de sua última conquista transferiu-se para o rival Arsenal, onde atuou até sua aposentadoria no final da última temporada.

Petr Cech Chelsea Jan Kruger Collection Getty Images Sport
Jan Kruger Collection Getty Images Sport

Após deixar os campos, Cech retornou ao Chelsea no início dessa temporada, agora para desempenhar a função de consultor técnico e desempenho da equipe.

Além disso, o goleiro iniciou também sua carreira no hóquei no gelo, sendo anunciado como jogador do Guildford Phoenix, da Segunda Divisão da Liga Nacional de Hóquei no Gelo (NIHL2).

Carlo Cudicini

O “eterno” reserva de Cech também passou muitas temporadas no clube de Stamford Bridge, tendo disputado mais de 100 jogos pelo clube onde permaneceu entre 1999 e 2009.

Cudicini Terry Ian Kingston Collection AFP
Ian Kingston Collection AFP

Após esse período, transferiu-se para o Tottenham, onde ficou até 2012 quando decidiu se aventurar na liga norte americana onde jogou até aposentar-se em janeiro de 2014.

A exemplo de seu companheiro de posição, o italiano também voltou ao Chelsea após o encerramento de sua carreira para se tornar embaixador e assistente técnico da equipe.

Lenny Pidgeley

A terceira opção para o gol do Blues teve poucas chances na equipe londrina. Atuou por Millwall e Watford por empréstimo enquanto era jogador do Chelsea. No entanto, após sair da equipe em 2006 não atuou por nenhum clube de ponta.

Pidgeley encerrou sua carreira aos 34 anos após o Farnborough afastá-lo em 12 de setembro de 2018 por conta de “problemas mentais. Posteriormente constatou-se que o jogador vivia um delicado momento, visto que à época o goleiro revelou que já há dez anos lutava contra a depressão.

LEIA MAIS: 10 jogadores que estão surpreendendo na temporada 2019/2020

Glen Johnson

Formado no West Ham, o lateral passou grande parte de sua carreira no Chelsea e no Liverpool. Um de ponto de destaque foi a conquista da FA Cup em 2008 pelo Portsmouth.

Pela seleção da Inglaterra disputou 54 jogos entre 2003 e 2014, participando de duas Copas do Mundo (2006 e 2010), além de uma edição da Eurocopa (2012).

Seu último clube foi o Stoke City, equipe em jogou entre 2015 e 2018. Anunciou em janeiro de 2019 sua aposentadoria aos 34 anos.

Wayne Bridge

Wayne Bridge John Terry Chelsea Ryan Pierse Collection Getty Images Sport
Ryan Pierse Collection Getty Images Sport

Bridge passou boa parte de sua carreira atuando por Chelsea e Manchester City. Chegou aos Blues em 2003 onde conquistou três títulos. Após se transferir para a equipe de Manchester seu nome ganhou as manchetes por conta de sua vida pessoal.

O escândalo protagonizado em 2010 por ele e seu ex-colega de Chelsea John Terry por conta do relacionamento extraconjugal do zagueiro com a modelo francesa Vanessa Perroncel, com quem Bridge teve um filho abalou a carreira do lateral.

Se aposentou em 2014 após disputar apenas 12 jogos durante toda uma temporada pelo Reading. Após o final da carreira, participou de série de TV e passou a se dedicar ao pôquer.

William Gallas

Odd Andersen Collection AFP
Odd Andersen Collection AFP

Com sua carreira construída vestindo principalmente as cores de Chelsea e Arsenal, o zagueiro francês é um das referências na história da Premier League. Foram 12 anos atuando no futebol inglês. Todos os seus títulos foram conquistados enquanto vestia as cores do lado azul de Londres.

Após deixar o Chelsea ficaria famoso por atuar pelo Arsenal usando a camisa 10, algo incomum para um jogador de defesa. Encerrou sua carreira no futebol da Austrália ao final da temporada 2013/2014, quando defendeu o Perth Glory.

John Terry

IAN KINGTON Collection AFP
IAN KINGTON Collection AFP

Uma referência para jogadores e torcida do Chelsea. Com passagem pela base do clube, Terry passou praticamente toda sua carreira vestindo a camisa do Blues. Pelo Chelsea, conquistou as principais taças da Inglaterra e da Europa.

No campo nacional, o zagueiro conquistou por cinco vezes a Premier League, além de vários títulos de FA Cup e Copa da Liga.

No âmbito continental ajudou a levar os Blues até a conquista da Champions League em 2011/2012 e da Europa League na temporada seguinte. Seu último ano como jogador profissional foi no Aston Villa, onde se aposentou em outubro de 2018.

No próprio Villa iniciou sua carreira como assistente técnico. Até hoje está no banco da equipe ao lado do treinador Dean Smith no comando da equipe que disputa a atual edição da Premier League.

LEIA MAIS: Os seis clubes com as piores campanhas da era Premier League

Robert Huth

Com toda a sua carreira profissional construída na Inglaterra, o zagueiro alemão ficou no Blues entre 2002 e 2006.

Após deixar a equipe londrina acabou passando por Middlesbrough, Stoke City e Leicester.
Jogando pelos Foxes conquistou o surpreendente título da Premier League na temporada 2015/2016.

Seguiu na equipe até 2018. No entanto, por conta de uma lesão no joelho acabou perdendo toda aquela temporada.

Decidiu se aposentar em janeiro de 2019 aos 34 anos após não acertar sua transferência para o Derby County.

Ricardo Carvalho

Outro nome bastante conhecido da torcida inglesa, o jogador chegou ao clube após conquistar a Champions League com o Porto na temporada anterior. Pelo Chelsea foram seis temporadas e três conquistas de Premier League.

Após sua trajetória pelo clube londrino passaria ainda por Real Madrid e Monaco até se transferir para o futebol chinês. Por lá, o zagueiro português pouco atuou, aposentando-se em 2018.

Recentemente foi noticiado que ele, ao lado do jogador João Mário, serão os responsáveis por carregar a taça da Eurocopa para a abertura da próxima edição.

Paulo Ferreira

Outro português que chegou à equipe após o título com o Porto na temporada anterior.
O lateral, algumas vezes contestado, permaneceu no Chelsea até o fim de sua carreira em 2013.

Chelsea Paulo Ferreira Agbonlahor Aston Villa Ian Kinkgston Collection AFP
Ian Kinkgston Collection AFP

Dessa forma, conquistou todos os principais títulos nacionais e internacionais com os Blues. Atualmente atua embaixador da equipe além de exercer cargo de assistente técnico.

Steven Watt

Jogador com passagem rápida e poucas chances na equipe londrina. Naquela edição da Premier League atuou em apenas uma partida, entrando já nos instantes finais da partida contra o Newcastle que terminou empatada em 1 a 1.

Passou ainda por equipes da Escócia e clubes menores da Inglaterra. Encerrou a carreira de jogador em 2017 defendendo o Hastings United. Atualmente é o treinador do modesto Hythe Town, clube que disputa da Bostik League South East.

Claude Makélélé

Outro atleta de fama mundial, o volante esteve no Chelsea entre os anos de 2003 e 2008. O jogador quase alcançou a conquista máxima com a seleção francesa, mas no Mundial de 2006 a equipe acabou superada pela Itália em uma emocionante disputa de pênaltis.

Após deixar o clube inglês passou os últimos anos de sua carreira atuando pelo PSG.
Makélélé se aposentou dos gramados em 2011, dando início à sua jornada comandando equipes do banco de reservas.

A exemplo de vários companheiros campeões com o Chelsea em 2004/2005, atualmente ocupa o cargo na comissão técnica da equipe.

LEIA MAIS: O que o futebol inglês faz para combater o preconceito nas redes sociais?

Tiago

Foi o quarto português levado para o Chelsea por José Mourinho. Ficou nos Blues por apenas uma temporada, transferindo-se para o Lyon posteriormente. No entanto, foi atuando por Juventus e Atlético de Madrid que passou grande parte de sua carreira.

Chelsea Tiago John Terry Adrian Dennis Collection AFP
Adrian Dennis Collection AFP

Atuou até a temporada 2016/2017, encerrando sua carreira na equipe de Madri. Após sua aposentadoria, passou a temporada seguinte como assistente técnico de Diego Simeone no clube colchonero.

Geremi

O camaronês teve o maior destaque em sua carreira durante sua passagem por Stamford Bridge. Foram quatro temporadas e duas conquistas de Premier League, além de uma Supercopa da Inglaterra.

Chelsea Geremi Riise Liverpool Paul Ellis Collection AFP
Paul Ellis Collection AFP

Ainda passou mais duas temporadas no Newcaslte, onde conquistou o título da Championship com os Magpies. Ainda passou pelo futebol de Turquia e Grécia. Atuou por apenas 10 jogos pelo Larissa, encerrando sua carreira logo após, em 2011.

Teve participação em importantes conquistas da seleção de Camarões, como duas edições da Copa Africana de Nações, além do ouro olímpico em 2000.

Alexey Smertin

O jogador já chegou experiente ao Chelsea por indicação do então treinador do clube, Claudio Ranieri. No entanto, durante seus três anos de contrato, o russo disputou apenas uma temporada pelos Blues.

Por conta da forte concorrência para a posição, que contava com Lampard, Makélélé, Parker e Geremi, acabou atuando por Portsmouth e Charlton. Após o fim de seu vínculo, também passou por Dínamo de Moscou e Fulham, sua última equipe, em 2008.

Com uma longa trajetória com a seleção russa, Smertin se manteve ligado em atividades ligadas ao futebol do país. Recentemente deixou o cargo de consultor que possuía no Dínamo.

Frank Lampard

Um nome que não precisa de muitas informações e explicações. Ídolo do Chelsea, é o maior artilheiro da história do clube com 211 gols marcados. Permaneceu no clube entre 2001 e 2014, sendo o capitão e referência para seus companheiros e torcida.

No Chelsea, conquistou todos os títulos possíveis na Inglaterra e na Europa. Sua saída do clube se deu antes da disputa da Copa do Mundo de 2014, com o clube confirmando o seu desligamento em 3 de junho.

Após o fim de seu ciclo no Chelsea, rumou com destino à MLS, onde passaria a defender o New York City. No entanto, sua ida para os Estados Unidos teve uma passagem polêmica pelo Manchester City, que causou à época revolta por parte da torcida dos Blues.

ADRIAN DENNIS Collection AFP
Adrian Dennis Collection AFP

Atuou somente durante uma temporada pelos Citizens para enfim começar a jogar na liga americana, o que ocorreu por somente uma temporada. Encerrada a carreira como jogador em 2016, iniciou um novo ciclo, agora como técnico.

Na temporada passada, em sua estreia à beira do campo ficou a uma vitória do acesso à Premier League com o Derby County após ser superado no playoff pelo Aston Villa.

Com o resultado obtido logo em sua primeira temporada como treinador, aceitou um desafio maior na atual temporada. Lampard está de volta a Londres, agora para comandar o Chelsea do banco de reservas em sua primeira temporada como um técnico de Premier League.

Scott Parker

Outro nome bastante lembrando nos dias atuais. Parker atuou apenas em uma temporada pelo Chelsea, sendo essa sua única vez conquistando a Premier League.

Além dos Blues, passou ainda por Newcastle, West Ham, Tottenham e Fulham. Permaneceu nos Cottagers entre 2013 e 2017, quando se despediu dos gramados.

Jan Kruger Collection Getty Images Sport
Jan Kruger Collection Getty Images Sport

Ao final da carreira de jogador, ele retornou ao Tottenham, agora para ser o treinador da equipe sub-18. Após a experiência com os Spurs, mudou-se novamente para o Fulham, agora para ser o treinador da equipe principal.

No início, ficou na função de forma interina, ocupando o lugar deixado por Claudio Ranieri. No entanto, mesmo não conseguindo salvar a equipe do rebaixamento na última temporada, Parker foi efetivado como técnico, com um contrato de dois anos.

Atualmente busca levar o Fulham novamente à elite da Inglaterra.

Filipe Oliveira

Mais um português integrante da equipe campeã em 2004/2005. O jogador chegou ao clube em 2002, porém, teve pouquíssimas chances no elenco principal, sendo emprestado em mais de uma oportunidade.

Na temporada do título, disputou apenas uma partida. Após, acabou rodando por clubes de Portugal e Itália. Ficou por algum tempo no Videoton, atual Fehérvár, da Hungria. Sua última equipe foi o Sepsi OSK, da Romênia, clube que defendeu na temporada 2017/2018.

Damien Duff

O irlandês se notabilizou por suas passagens pelo futebol inglês. Além de Chelsea, também atuou pelo Newcastle e pelo Fulham. Por mais de uma década também defendeu as cores de sua seleção nacional, tendo participado de todos os jogos da Irlanda na Copa do Mundo de 2002.

Se aposentou da seleção após a disputa da Eurocopa de 2012. Já sua carreira em clubes se estendeu até dezembro de 2015, quando anunciou a sua aposentadoria após ter atuado por apenas nove partidas pelo Shamrock Rovers.

Atualmente é o treinador da equipe de formação do Celtic.

LEIA MAIS: Mercado do Chelsea: hora de gastar ou continuar investindo nos jovens?

Nuno Morais

Último luso no plantel do Chelsea. A exemplo de outros companheiros, teve poucas chances de atuar pelos Blues.

Nuno Morais se destacou defendendo o APOEL, do Chipre. Foram 12 anos na equipe, sendo o jogador que mais vezes defendeu a equipe cipriota, com 524 partidas.

Encerrou sua carreira recentemente, em julho de 2019 aos 35 anos.

Anthony Grant

Jovem promessa à época da conquista do título da Premier League, o inglês não teve muitas chances nos Blues, passando por várias outras equipes por empréstimo.

Após o fim do contrato com o Chelsea em 2008 acabou passando por clubes de ligas inferiores.

Atualmente com 32 anos, defende o Swindow, na League Two.

Joe Cole

Nome bastante importante e conhecido dos fãs do futebol inglês no início dos anos 2000. Formado na base do West Ham, transferiu-se para o Chelsea uma temporada antes da primeira conquista do título inglês na era Premier League.

Permaneceu na equipe até a temporada 2009/2010 quando foi para o Liverpool. No entanto, não conseguiu mais grandes atuações, sendo emprestado para o Nice até ser contratado novamente pelo West Ham.

Continuou sem mostrar grande desempenho, indo para o Aston Villa e Coventry ainda. Em 2016 chegou à liga dos Estados Unidos onde defendeu o Tampa Bay Rowdies.

Se aposentou em novembro de 2018 e atualmente, a exemplo de outros ex companheiros, desempenha função na comissão técnica do Chelsea.

Jiri Jarosik

Chegou ao clube durante a janela de inverno, em meio à campanha da conquista do título, atuando durante apenas 14 partidas naquela temporada. No início da temporada 2005/2006, foi emprestado para o Birmingham.

Passou ainda por Celtic, Real Zaragoza e Sparta Praga. Seu último clube foi o Deportivo Alavés, onde permaneceu entre 2013 e 2015. Na temporada passada foi anunciado como assistente técnico do MFK Ružomberok, da Eslováquia.

Arjen Robben

Um dos principais nomes do futebol holandês na história. O jogador, com a sua conhecida e imbatível canhota teve uma carreira recheada de títulos e conquistas.

Esteve no Chelsea entre 2004 e 2007, porém não entrou em campo em muitas ocasiões. As lesões atrapalharam seu desempenho durante toda a sua carreira.

Após sair do Blues foi para o Real Madrid, onde jogou por duas temporadas. Sua última equipe foi o Bayern de Munique, onde ficou por dez temporadas consecutivas.

Conquistou títulos por todas as equipes que defendeu. Pela seleção holandesa tem um vice-campeonato mundial em 2010 e um terceiro lugar na Copa realizada no Brasil em 2014. Se aposentou do futebol no início da atual temporada aos 35 anos.

LEIA MAIS: Arteta: Arsenal aposta em velho conhecido para buscar recuperação

Mateja Kezman

Phil Cole Collection Getty Images Sport
Phil Cole Collection Getty Images Sport

Um cigano da bola, passou por inúmeras equipes durante sua carreira. Ficou apenas uma temporada no clube londrino, justo aquela da coroação máxima na liga nacional.

Atuou em 40 partidas somando todas as competições e marcou sete gols nesse período. Passou também por Atlético de Madrid, Fenerbahçe, Paris Saint-Germain e BATE.

Seu último clube foi o South China, de Hong Kong. Por lá teve duas passagens, sendo que a segunda se encerrou em janeiro de 2012, assim como sua carreira como jogador.

Didier Drogba

Drogba Chelsea Mike Hewitt Getty Images
Mike Hewitt Getty Images

Outro ídolo da torcida dos Blues. Drogba escreveu seu nome na história do clube com seus gols decisivos e inúmeros títulos. Autor dos gols decisivos na final da Champions League de 2011/2012 contra o Bayern de Munique, o marfinense teve duas passagens pelo Chelsea. A primeira entre 2004 e 2012 e a segunda na temporada 2014/2015.

Antes de chegar à equipe londrina, o atacante passou pelo futebol francês, onde defendeu Le Mans, Guigamp e Olympique de Marselha. Passou também pelo futebol chinês e pelo Galatasaray da Turquia.

Suas últimas experiências como jogador profissional foram no futebol norte-americano, onde atuou por Montreal Impact e Phoenix Rising. Aposentou-se apenas aos 40 anos, em novembro de 2018. Atualmente atua como dirigente na equipe do Arizona, que planeja integrar a MLS.

Eidur Gudjohnsen

Um dos principais nomes do futebol da Islândia, o atacante chegou ao Chelsea após se destacar atuando pelo Bolton. Ficou durante seis temporadas em Stamford Bridge, conquistando por duas vezes a Premier League.

Mark Thompson Collection Getty Images Sport
Mark Thompson Collection Getty Images Sport

Após sair de Londres, juntou-se ao Barcelona, onde seguiu conquistando títulos. Passou ainda por Tottenham, Stoke City, Fulham além de clubes do futebol belga, grego e chinês.

No cenário internacional conduziu e disputou com a Islândia pela primeira vez a Eurocopa em 2016, já na fase final de sua carreira aos 37 anos. Aposentou em 2017 após defender o Molde, em setembro de 2017. Atualmente, é o assistente técnico da seleção sub-21 da Islândia.

Mikael Forssell

Foi jogador do Chelsea durante muitas temporadas. No entanto, poucas vezes atuou pela equipe, sendo emprestado para outros clubes diversas vezes. Entre as equipes pelas quais passou estão Birmingham, Crystal Palace, Leeds United, entre outras.

Integrou temporariamente o elenco campeão da Premier League, tendo disputado somente uma partida, o último compromisso em casa contra o Charlton, que marcou a celebração pelo título conquistado.

Por vários anos defendeu a seleção finlandesa, onde formou dupla de ataque ao lado de Jari Litmanen. Aposentou-se em maio de 2018 aos 37 anos, depois de ter defendido o IFK Helsingfors.

Não há posts para exibir