Cardiff – História, Mercado da Bola e Estatisticas

0
465
Cardiff – História, Mercado da Bola e Rumores
Cardiff – História, Mercado da Bola e Rumores

 

Antes de mais nada, Cardiff City Football Club é uma equipe do futebol Galês, localizado no sudoeste da cidade de Cardiff. A saber, Swansea City e Bristol City são seus principais rivais na Championship.

Assim, ele está situado na costa sul do País de Gales, no Reino Unido. No entanto, tem filiação a Football Association (Associação Inglesa de Futebol), pois, até 1992 não havia um campeonato de futebol profissional a ser disputado pelos Bluebirds.

Dessa maneira, o clube foi fundado em 1889 como Cardiff City Football Club. Ademais, os Bluebirds mandam os seus jogos no Cardiff City Stadium, situado no distrito de Leckwith, em Cardiff, País de Gales.

Trajetória do Cardiff, fundação, conquistas e ascensão

Desta vez, o clube joga na Premier League; em sua história Bartley Wilson membro do Riverside Cricket Club foi responsável pela fundação dos Bluebirds. Portanto, o clube foi fundado em 1899 como Riverside Association Football Club, se fundiu com o Riverside Albion três anos depois e mudou para o atual nome em 1908. Enquanto isso, seu estádio foi inaugurado em 2009 e é a casa do Cardiff City, da EFL Championship. 

Nesse sentido, em junho de 1989 o aiatolá Ruhollah Khomeini faleceu, isso que teve impactos no clube. Dessa maneira, seu funeral foi divulgado em diversos países, incluindo o País de Gales.

Em vista disso, o símbolo Iraniano para tristeza é considerado um tapa na cabeça, e mais tarde,  o gesto foi associado a partidas do Cardiff, em setembro de 1990. De antemão, houve um grande terremoto no Irã com mais de de 35 mil vítimas. Logo, as imagens ganharam força global, por esse motivo foram adotadas pelos torcedores do clube na época.

Os primeiros anos de Cardiff

Assim sendo, Cardiff City ganhou o apelido de Bluebirds. A princípio, em 1910 o clube alterou as suas cores originais de chocolate e âmbar para azul e branco.

Diante disso, no início do século XX, uma famosa peça infantil de literatura chamada Blue Bird foi escrita e chegou a cidade em outubro de 1911 e obteve, posteriormente, extrema popularidade vencendo um Prêmio Nobel de Literatura.

Isso que, vindo de um torcedor desconhecido da equipe, relacionou o clube com os Bluebirds. De tal maneira que, a ação referenciava as novas cores e notoriedade dos jogos do Cardiff City. Nesse contexto, o apelido acabou sendo o escolhido para representar os Pássaros Azuis até os dias atuais.

A era de ouro

Posteriormente, 1927 é considerado o melhor ano na história do clube. Do mesmo modo, conforme seu desenvolvimento no cenário esportivo o ano representa a conquista da FA CUP, Welsh CUP, Charity Shield agora conhecido como Community Shield.

Ao mesmo tempo, os Bluebirds emplacaram o feito de derrotar o Arsenal pela primeira vez, no dia 23 de abril em Wembley com mais de 90 mil pessoas como espectadores. Tal qual, o jogo terminou 1 x 0 com o gol do atacante Hughie Ferguson do Cardiff City.

Sobretudo, a FA CUP é considera como o único triunfo na história do clube. Desta vez, em duelo com Rhyl e gols de Len Davies e Sam Irving os Bluebirds levantaram a taça. De antemão, em 12 de outubro de 1927 venceu o Corinthians pelo de placar de 2 x 1 na Charity Shield.

A conquista do Campeonato Inglês antes de se tornar Premier League

Enquanto isso, Fred Keanor foi a primeira lenda do Cardiff Citty. Ademais, um exemplo para a história dos Pássaros Azuis. Logo depois de 19 anos no clube, o atleta teve participação na Primeira Guerra Mundial. Por fim, seria capitão durante as conquistas da década de 1920.

Sob o mesmo ponto de vista, na década de 60 os Bluebirds conseguiram sua a maior e mais intensa sequência de jogos numa competição europeia, em época denominada UEFA CUP. Embora, isso não tenha resultado em um final final feliz para o time com queda na semifinal do campeonato.

Polêmicas, crise financeira e rebaixamentos

Eventualmente, em 2010 o bilionário Malaio, Vincent Tan, comprou os Bluebirds. As cores azul e branco símbolo do clube por 114 anos passaram a ser vermelho e com destaque para o dragão asiático. Porém, tentou alterar o nome da equipe para Cardiff Dragons, sem sucesso, pois a nomenclatura representava a Comunidade Gay da cidade.

Mais adiante, em 2013 uma mudança na comissão técnica também gerou polêmica. O assistente técnico do treinador Malky Malkay, foi substituído por um jovem de 23 anos que cuidava da estrutura do Cardiff Stadium. Logo, com efeito de críticas os Bluebirds voltaram a usar o azul e as anteriores métricas originais do time em 2015.

Tragédia do mercado de transferências 

Antes de mais nada, a movimentação do mercado de transferências pelo Cardiff também trouxe tumultos. Emiliano Sala, antes no Nantes, da França, Sala viajava ao País de Gales para começar no Cardiff como a contratação mais cara do clube.

Entretanto, antes de tudo, o avião que transportava o jogador caiu no Canal da Mancha. Assim, de fato no mercado de transferência, houve grande impacto na história do clube.

O sobe e desce do Cardiff City 

Na ocasião, os Bluebirds somam quatro rebaixamentos em seu currículo. Desta vez, em (2013 ,2014, 2018 e 2019). Afinal, foram dois anos de altos e baixos no campeonato inglês. Em virtude da falta de protagonismo no mercado transferências o clube se manteve bem financeiramente.

O retorno à Premier League

O clube foi capaz de garantir vaga na primeira divisão da Premier League em 16 de abril de 2013. Com isso, a glória foi alcançada após 50 anos de luta. Ainda assim, Bluebirds foram rebaixados para a Championship após o retorno à elite inglesa.

Mercado de transferências do Cardiff

Apesar de ser uma equipe com poucos recursos e movimentações no mercado de transferências, o Cardiff City, recentemente, abriu os cofres. Além disso, em seu passado, outros jogadores foram fundamentais para a história do clube. Confira cinco nomes:

James Collins, vindo do Luton Town, em 2021

Antes de mais nada, Collins é um jogador de 30 anos com bastante rodagem no mercado da bola. Destaque do Aston Villa (2004-2009), passando por Darlington, Northampton, Burton Albion e Shrewsbury. Na temporada passada, foi a principal contratação dos Bluebirds para a Championship, chegando sem custos no mercado de transferência após quatro temporadas no Luton.

Foto Destaque: Reprodução/ Twitter.

Peter Whittingham, vindo do Astrovila, em 2007

De antemão, a figura entre os maiores ídolos da história do Cardiff City. O meio-campista permaneceu dez temporadas vestindo a camisa dos Bluebirds e liderou a ascensão do clube a partir de 2007.

Em suma, com o inglês entre os melhores jogadores da Championship, o time pôde voltar a disputar a primeira divisão. Além disso, os chutes de fora da área do inglês se tornaram famosos em Gales, assim como sua capacidade nas bolas paradas.

Foto Destaque: Reprodução/ Getty Images

Len Davies em 1920

Possivelmente uma das maiores lendas do clube. Nascido em 1899, Len ingressou no clube em 1920, jogou a primeira temporada da Liga de Futebol. Em outras palavras, o astro trilhou uma carreira de onze anos no City e fez parte do time que venceu a final da FA Cup em 1927 contra o Arsenal. 

Foto Destaque: Reprodução/ Getty Images

Robert Earnshaw em 2002

De fato, Earnshaw foi acima de tudo goleador, marcando 105 gols em 205 jogos enquanto o Cardiff subia para a Primeira Divisão. Mas, depois de seis anos no time principal, durante os quais os Bluebirds recusaram várias ofertas para sua jovem estrela, o atleta se lançou ao mercado de transferências do futebol.

Foto Destaque: Reprodução/ Getty Images

Robert Glatzel, saída na última janela de transferências, 2021

Antes de mais nada, Glatzel chegou ao clube inglês no começo da temporada de 2021. Entretanto, teve um histórico de empréstimos para clubes alemães. Primeiramente, o Mainz após quatro meses de contrato. Diante disso, pelo mercado de transferências seu destino foi a Alemanha, saída avaliada no valor de 900 mil € para o clube Hamburgo.

Reprodução/Imago Images
Reprodução/Imago Images

Foto Destaque: Reprodução/oGol