Arsenal constrói campos de futebol para refugiados no Iraque

Grande ação humanitária dos Gunners!

0
240
campos de futebol para refugiados

O Arsenal possui diversas iniciativas que visam ajudar jovens ao redor do planeta. Desde 2011, o Arsenal Foundation tem parceria com a ONG Save the Children, que defende os direitos das crianças no mundo desde 1919, para criar projetos sociais e contribuir com doações para tragédias, como a epidemia de ebola, o terremoto no Nepal. Além disso, o clube ajudou a criar campos de futebol para refugiados no Iraque.

Segundo a BBC, estima-se que desde janeiro de 2014 mais de três milhões de pessoas tiveram que abandonar suas casas e sendo metade delas crianças.

Para tentar ajudar a melhorar esse cenário, o Arsenal construiu dois campos de futebol em um acampamento de refugiados ao norte do Iraque.

O programa Victoria Derbyshire, da BBC, enviou a repórter Catrin Nye ao Iraque para acompanhar Alex Scott, estrela do time feminino do Arsenal (conhecido como Arsenal Ladies), no país em visita a meninas e meninos atendidos por esse bonito projeto.

Além da jogadora, os Gunners enviaram também um técnico para ensinar aos funcionários do Save the Children de lá o programa de treinamento do clube.

Leia mais: FIFA 20 Ultimate Team: os 10 melhores atacantes da Premier League 
Alex Scott com meninas beneficiadas pelo projeto (Foto: Reprodução/Twitter/Arsenal)

Cerca de 2.500 crianças tiveram a oportunidade de utilizar os campos de futebol, entre elas está Esra, que teve seu nome alterado pela reportagem da BBC.

A menina de 12 anos abandonou sua casa próxima a Bagdá para fugir para o Curdistão e agora mora em uma caravana de dois cômodos em um acampamento para refugiados. Quando questionada se havia algo bom em morar no acampamento, Esra respondeu: “Eu gosto da escola e do campo de futebol”.

“Tivemos que deixar (nossa casa) por causa das bombas e explosões que estavam acontecendo com medo de uma delas atingir nossa casa. Foguetes estavam sendo atirados, então nós saímos na pressa. Eu disse adeus para dois de meus amigos e os outros eu não pude ver”, contou Esra. “No começo eu estava muito confusa, eu não sabia como poderia deixar minha casa e vir para cá. Mas pelo menos nos sentimos seguros aqui, nós não estaríamos seguros em casa”, completou.

Segundo Ivan Gazidis, diretor-executivo do Arsenal, além de oferecer a estrutura a meninos e meninas, o projeto reitera o dever do clube com a comunidade.

“Existe uma importante confirmação, particularmente para as crianças, que as pessoas que você idolatra, o esporte que você assiste, se importam com você”.

Leia mais: Melhores zagueiros do Ultimate Team: listamos 10 defensores da Premier League 

Para Farah Sayegh, do Save the Children Iraque, a visita de Alex ao campo de futebol foi muito importante já que a existe uma cultura conservadora nos acampamentos de refugiados, uma vez que na cultura deles meninas não participariam desse tipo de atividade.

“Para elas Alex é uma fonte de inspiração pelo fato de ela ser uma mulher e ter uma carreira internacional”, afirmou. “Eu estava conversando com uma das garotas ontem. ela me disse ‘Eu espero pelo momento que virei aqui e esquecerei todos os meus problemas’.”, contou Farah.

O futebol não trará as casas das crianças de volta, mas dá esperança de trazer uma forma de escape da realidade em que vivem.

Para conferir as versões originais das reportagens, clique aqui e aqui.

Não há posts para exibir