9 campeões da Champions por clubes ingleses que você não lembrava

Será que você se lembra de todos eles levantando o troféu da competição europeia?

0
457
Tom Heaton Burnley PAUL ELLIS Collection AFP campeões da champions
Tom Heaton Burnley PAUL ELLIS Collection AFP campeões da champions

Quando pensamos em jogadores campeões da Champions League, tendemos a lembrar daqueles titulares, importantes, decisivos, que marcaram seus nomes nas conquistas. Esses são os campeões eternizados na história.

Entretanto, em todas as conquistas, junto dos protagonistas, estão também os coadjuvantes, aqueles campeões que acabam esquecidos, ou mesmo desconhecidos.

A seguir, a PL Brasil elenca nove jogadores que foram campeões da Champions League pelos clubes ingleses, mas que você provavelmente não lembre, ou talvez nem saiba.

Quais critérios usamos?

O critério essencial de nossa lista é que o jogador tenha sido inscrito na edição em que o clube se sagrou campeão, ainda que não tenha sido relacionado para as partidas ou tenha se transferido durante a temporada.

Assim, não entra em nossa seleção, por exemplo, Romelu Lukaku, que, embora fizesse parte do elenco do Chelsea na edição 11/12, não fora inscrito no torneio – e, por isso, recusou-se a receber a medalha de campeão.

5 ESTÁDIOS INGLESES QUE NÃO EXISTEM MAIS

Leia mais: Quais ingleses jogariam a Champions caso não houvesse punição por Heysel?

Oriol Romeu

JOHN THYS Collection AFP
JOHN THYS Collection AFP

No Southampton desde 2015, Oriol Romeu surgiu no Barcelona e chegou ao Chelsea em 2011, por sete milhões de euros. E logo em sua primeira temporada em Stamford Bridge, fez parte do elenco campeão da Champions League.

O início de sua passagem por Londres teve certo destaque, enquanto dirigido pelo português André Villas Boas. Na fase de grupos do torneio europeu, o volante espanhol foi titular nas vitórias sobre Valencia e Genk e no empate com o clube belga.

Mas, com a chegada de Roberto Di Matteo, perdeu espaço na equipe, e voltou a figurar na competição europeia apenas na final contra o Bayern de Munique, quando selecionado para o banco de reservas, ante as ausências de Raul Meireles e Ramires, suspensos.

Jordi Cruyff

Laurence Griffiths Collection Getty Images Sport
Laurence Griffiths Collection Getty Images Sport

Filho do lendário Johan Curyff, Jordi iniciou a carreira de jogador no Barcelona, mas não conseguiu atingir o mesmo sucesso que seu pai alcançara 20 anos antes no clube catalão. Assim, em 1996, foi vendido ao Manchester United, por dois milhões de euros.

Pelos Red Devils, nunca foi um jogador de grande destaque e, em quatro temporadas, disputou apenas 55 partidas, com quatro assistências e oito gols marcados. Ainda assim, fez parte do elenco que se sagrou tricampeão da Premier League.

E, em Manchester, o meio-campista holandês também foi campeão da Champions League 98/99, embora tenha sido emprestado ao Celta de Vigo durante o torneio, no início de 1999. Assim, esteve relacionado apenas para as partidas da fase de grupos, quando participou das duas vitórias sobre o Brondby, além do empate com o Bayern de Munique.

Ryan Bertrand

Ryan Bertrand Christopher Lee Collection Getty Images Sport
Christopher Lee Collection Getty Images Sport

Ryan Bertrand chegou à equipe sub-18 do Chelsea em 2005, vindo das categorias de base do Gillingham. E permaneceu na equipe londrina até 2015, embora tenha passado mais tempo emprestado do que em Stamford Bridge.

Ao todo, foram 57 partidas pelos Blues – com dois gols e duas assistências – e até teve seus momentos de destaque pelo clube. O mais marcante deles, sem dúvidas, na final da Champions League 11/12, o maior título da história do Chelsea.

Bertrand não havia sido relacionado para nenhuma das 12 partidas do clube no torneio, nem mesmo como suplente, até a decisão em Munique. Mas na final, diante de inúmeros desfalques, o lateral inglês foi escalado, como titular, e na meia esquerda!

Gerard Piqué

PAUL ELLIS Collection AFP
PAUL ELLIS Collection AFP

Formado em La Masia, Gerard Piqué é um dos grandes ídolos da história do Barcelona, onde se sagrou tricampeão da Champions League. Mas a história de sucesso do zagueiro com o clube catalão só se iniciou em sua segunda passagem pelo Camp Nou.

Bem antes disso, em 2004, foi vendido ao Manchester United por pouco mais de cinco milhões de euros. Foram quatro temporadas pelos Red Devils, com um período de empréstimo ao Real Zaragoza, e apenas 23 partidas disputadas, até ser recontratado pelo Barcelona, em 2008.

Em Manchester, as principais oportunidades de Piqué foram na temporada 07/08, quando conquistadas a Champions League e a Premier League. No título europeu, foi relacionado para nove partidas, e titular em três delas, contra Dinamo Kiev e Roma, na fase de grupos – os únicos jogos em que balançou as redes pelo clube – e novamente contra a Roma, nas quartas.

Dominic Solanke

Lynne Cameron Collection Getty Images Sport
Lynne Cameron Collection Getty Images Sport

Cria das categorias de base do Chelsea e promessa das equipes juvenis da seleção inglesa, Dominic Solanke chegou ao Liverpool em janeiro de 2017, contratado sem custos.

E já na temporada 17/18, teve diversas oportunidades na equipe principal, sobretudo na Premier League, com 21 partidas disputadas. Também foi figura constante entre os suplentes na Champions League, participando das vitórias contra Maribor e Manchester City.

Mas perdeu espaço na temporada seguinte, para Divock Origi e Daniel Sturridge. E apesar de inscrito na Champions League 18/19, sequer foi relacionado para alguma das partidas da fase de grupos. Assim, transferiu-se para o Bournemouth, em janeiro deste ano.

Danny Simpson

Danny Simpson Wayne Rooney Manchester United ANDREW YATES Collection AFP
ANDREW YATES Collection AFP

Marcado pela trajetória vitoriosa com o Leicester, o lateral inglês surgiu nas categorias de base do Manchester United e permaneceu no clube até 2010 – após sucessivos empréstimos – tendo disputado apenas oito partidas pelos Red Devils.

Mas na temporada 07/08 conquistou com o clube a Premier League e a Champions League – apesar de ter sido emprestado ao Ipswich em março de 2008, antes do término das competições.

Naquela edição do torneio europeu, disputou três partidas da fase de grupos – o empate com a Roma e as vitórias sobre o Dinamo Kiev. E deixou o clube rumo a Championship após a classificação nas oitavas, diante do Lyon.

Scott Carson

Matthew Lewis Collection Getty Images Sport
Matthew Lewis Collection Getty Images Sport

Atualmente emprestado pelo Derby County ao Manchester City, o goleiro de 34 anos já passou por onze clubes ingleses, dentre eles o Liverpool. Foi contratado pelos Reds durante a temporada 04/05, na condição de suplente imediato do polonês Jerzy Dudek.

Recém-chegado, disputou quatro jogos na Premier League e fez parte da campanha vitoriosa na Champions League. Foi titular na vitória por 2 a 1 sobre a Juventus, em Anfield, na partida de ida das quartas. E acompanhou do banco de reservas o título histórico em Istambul.

Ainda teve algumas oportunidades na temporada seguinte, mas perdeu espaço com a contratação de Pepe Reina. Assim, acumulou empréstimos sucessivos para Sheffield Wednesday, Charlton Athletic e Aston Villa, totalizando apenas nove partidas pelo clube.

Daniel Sturridge

IAN KINGTON Collection AFP
IAN KINGTON Collection AFP

Embora tenha tido pouco destaque na Champions League 18/19, Daniel Sturridge não está em nossa lista por seu recente título europeu com o Liverpool. Mas sim pela conquista com o Chelsea na edição 11/12.

Contratado pelos Blues em 2009 junto ao Manchester City, começou a ter mais destaque pelo clube londrino no início da temporada 11/12, com nove gols em 13 partidas no campeonato inglês. No torneio europeu, foi titular em quatro jogos na fase de grupos e autor do gol na derrota frente ao Bayer Leverkusen.

Ainda foi titular nas oitavas contra o Napoli, mas perdeu espaço após a saída do então treinador André Villas Boas. Só teve mais alguns minutos em campo na competição na fase seguinte, contra o Benfica, ficando apenas no banco de reservas nos jogos contra o Barcelona e na final diante do Bayern de Munique.

Tom Heaton

Tom Heaton Burnley PAUL ELLIS Collection AFP campeões da champions
PAUL ELLIS Collection AFP

Recém-contratado pelo Aston Villa, o goleiro da seleção inglesa também está na lista dos campeões da Champions. Elejá passou por outros oito clubes na carreira, entre a League Two (Quarta Divisão) e a Premier League. Tem grande identificação com o Burnley, equipe que defendeu por seis temporadas, totalizando 200 partidas e 65 clean sheets.

Mas teve vínculo ainda mais duradouro com o Manchester United, mesmo sem ter disputado um único jogo oficial pela equipe principal. Cresceu nas categorias de base dos Red Devils e foi promovido ao elenco profissional em 2004, sendo emprestado por diversas vezes, até 2010.

Ainda assim, a passagem do goleiro por Old Trafford lhe rendeu os dois grandes títulos de sua carreira – a Premier League e Champions League – ambos na temporada 07/08. E se naquele título europeu Heaton era apenas o terceiro goleiro da equipe, atrás de Van de Sar e Tomasz Kuszczak, ao menos esteve no banco de reservas em duas oportunidades, nas partidas contra a Roma na fase de grupos.