A 90 minutos do inacreditável: a incrível campanha do Liverpool

A campanha do time que pode conquistar um titular importante na temporada que festeja 125 anos de história

0
240
campanha do liverpool

Neste sábado (26), o Liverpool enfrentará o Real Madrid em busca da sua sexta conquista na maior competição europeia. Em Kiev, Salah, Firmino e companhia terão a chance de conquistar algo que foi considerado inacreditável. Veja como foi a campanha do Liverpool.

Leia mais: Jordan Pickford, o garoto que não se intimidou

Palpites frustrados

Quando a PL Brasil fez a análise do Liverpool para o guia dos times ingleses na Liga dos Campeões, os palpites eram uníssonos: o Liverpool não passa das oitavas-de-finais do torneio!

Com as frequentes notícias de que Philippe Coutinho estaria assinando pelo Barcelona, as chances do Liverpool conquistar a Champions eram dadas como poucas.

Coutinho ficou e, dentro de campo, correspondeu aos pedidos dos torcedores, que comemoraram quando a janela de transferências fechou.

Para todos, o Liverpool ainda era a quinta – e última – força inglesa na competição. Os dois clubes de Manchester tinham dois dos melhores treinadores do mundo, além das contratações mais caras; o Chelsea, campeão inglês na temporada 2016/17, tinha a seu favor o recente retrospecto na competição, vencendo-a seis anos atrás; o Tottenham era considerado mais forte pelos dois vice-campeonatos seguidos da Premier League, além de ter a estrela inglesa, Harry Kane, em seu plantel comandado por Mauricio Pochettino.

O Liverpool não tinha feito uma boa temporada em 2016/17 mesmo não tendo participado de nenhuma competição internacional. O time perdeu a terceira posição para o Manchester City, na última rodada, tendo que começar a campanha rumo à Kiev nos play-offs da Liga dos Campeões.

Contra o Hoffenheim, o gol de Trent Alexander-Arnold ajudou o time a vencer o duelo por 2 a 1, na Alemanha. Em casa, 4 a 2 foi o resultado que sacramentou a passagem do Liverpool à fase de grupos.

O gol de falta do Alexander-Arnold sob análise do The Sun

Fase de grupos excelente

A fase de grupos, que deu ao Liverpool os confrontos contra Sevilla, Spartak e o Maribor, finalizou também a busca de Jurgen Klopp por uma formação com um futebol empolgante – o time venceu dois jogos por 7 a 0.

O alemão viu o 4-3-3 dar certo com Mané, Firmino e Salah, a melhor contratação da temporada, dando extrema intensidade ao time. Coutinho, então estrela do time, ainda jogava muito bem, mas já não era tão determinante no elenco.

Jurgen Klopp, assim como seu time, é extremamente intenso (Foto: Getty Images)

Muda o ano, e janela de transferência tira Coutinho, melhor jogador do time nos últimos anos, mas que vinha “estragando” o clima do elenco, e traz o reforço que o Liverpool precisava: Van Dijk.

Van Dijk foi a contratação mais cara da história do Liverpool (Foto: Getty Images)

O time, ainda era frágil em sua defesa. O goleiro Karius não é de total confiança dos torcedores, além da defesa, que sofreu com a ausência de Clyne.

Robertson se firmou aos poucos na lateral esquerda, enquanto os zagueiros eram os que amedrontavam os Reds.

Matip, Klavan, Gomez e Lovren foram utilizados na fase de grupos, mas nenhum encantou.

Atropelo nas oitavas

As oitavas chegaram e aqueles palpites diziam que o clube pararia por ali. Não, o Liverpool não foi eliminado. Muito pelo contrário, o time chamou a atenção de todos com a partida em Portugal, contra o Porto.

O 5 a 0 na ida e o empate sem gols em Anfield colocaram o Liverpool no radar. O clube pentacampeão europeu agora estava novamente entre os melhores do mundo.

Salah, Firmino e Mané já começavam a se tornar o “trio do momento”. O brasileiro vivia temporada mágica, enquanto o egípcio marcava gol toda rodada e o senegalês também encantava os olhos.

O trio do Liverpool é o maior fazedor de gols da temporada europeia (Foto: Getty Images)

Vitória imponente sobre o Manchester City

O Liverpool tinha um enorme desafio na frente: enfrentar o time que encantava a todos na própria Premier League.

O que muitos não analisaram era que o time de Klopp era “pedra no sapato” do time de Guardiola. Apesar da derrota por 4 a 0, no Etihad Stadium, no primeiro turno do campeonato inglês, o segundo jogo, em Liverpool, mostrou que os Reds dariam trabalho para os Citizens.

O 3 a 0 no primeiro jogo, em Anfield, deu ao Liverpool uma tranquilidade não imaginada anteriormente. O Manchester City ainda tentou, com uma ofensividade e agressividade enorme, mas viu Salah novamente decidir.

Reencontro nas semifinais

O Liverpool chegou às semifinais – e aqui Mohamed Salah mostrou que pode ser considerado um dos melhores jogadores do mundo. Os dois gols e duas assistências na primeira partida frente à Roma na vitória por 5 a 2 colocaram o time a um passo da final.

O time italiano assustou no Estádio Olímpico, porém nada poderia atrapalhar a temporada de Salah, Firmino, Mané, Klopp, Van Dijk, Milner, Henderson, Robertson e cia.

A campanha do Liverpool terminará com título?

Pronto, o time inglês chegou à final. O adversário agora é o campeão das últimas duas edições e vencedor outras nove vezes da Liga dos Campeões, que ainda tem o atual melhor jogador do mundo em seu elenco.

O Liverpool está a 90 minutos do que era dito impossível no início da temporada, mas que foi sendo construído durante toda a campanha. Aos jogadores e treinadores, os torcedores lembram a frase estampada por toda parte em Anfield e, é claro, no escudo do clube: Vocês nunca andarão sozinhos!

Não há posts para exibir