Brighton – História, Mercado da Bola e Estatisticas

0
568
Brighton & Hove Albion Fc
A gaivota branca é o mascote do Brighton e o destaque no brasão do clube. Foto: Reprodução/Getty Images

Brighton & Hove Albion Football Club é um time de futebol da cidade de Brighton e Hove, no sul da Inglaterra. De antemão, o clube foi fundado em 1901, mas só chegou a ser admitido na Football League no ano de 1920. Dito isso, a equipe viveu sua fase de ouro entre 1979 e 1983. Nesse ínterim, os Seagulls chegaram à Primeira Divisão e à final da FA Cup. Além disso, disputam a Premier League atualmente.

A casa do Albion é o Falmer Stadium, com capacidade para 35.750 pessoas. Contudo, o estádio é popularmente conhecido como American Express (Amex) Community Stadium, em virtude de seu patrocínio. Ademais, suas cores oficiais são azul e branco.

História do Brighton: fundação, conquistas e ascensão

Em suma, o Brighton conquistou seu primeiro título de expressão em 1910, quando se consagrou campeão da Supercopa da Inglaterra. Nessa época, o clube ainda fazia parte da Southern League. Porém, até os anos 70, o Albion não conseguiu se destacar tão expressivamente no cenário nacional.

Resumidamente, entre 1979 e 1983 os Seagulls atingiram seu momento de maior relevância no futebol inglês. Nesse sentido, tudo começou com o acesso à primeira divisão, em que o clube permaneceu por quatro anos. Além disso, a temporada de maior destaque, 1981-82. O Brighton terminou o campeonato em 13º lugar, com 52 pontos.

Já no ano de 1983, o Albion deixou a sua maior marca, chegou à final da FA Cup. Contudo, o Manchester United derrotou os Seagulls pelo placar de 4 x 0. Por fim, naquela mesma temporada o Brighton foi rebaixado e encerrou o ciclo mais marcante de sua história.

Além da conquista da Supercopa da Inglaterra, em 1910, o Brighton não chegou a ganhar muitos títulos. Basicamente, o clube se consagrou campeão da quarta divisão duas vezes, em 1964-65 e 2000-01. Ademais, o Albion levou o caneco da terceira em três ocasiões: 1957-58, 2001-02 e 2010-11.

Falmer Stadium é a nova casa do Brighton

Ainda, em 2012, o Brighton se mudou para sua casa atual, o Falmer Stadium. Antes disso, entre 1999 e 2011, o clube mandava os jogos no Withdean Stadium, que tem capacidade para 8850 lugares. Assim, o patrocínio da American Express foi necessário para que o Albion conseguisse um estádio mais adequado à primeira divisão inglesa de futebol.

Brighton Falmer Stadium Charlie Crowhurst Collection Getty Images Sport
Charlie Crowhurst Collection Getty Images Sport

Mercado de Transferências do Albion

Até a temporada 2018-19, o Brighton nunca havia feito uma negociação que ultrapassasse a casa dos 10 milhões de euros. Entretanto, com a consolidação na Premier League, o clube teve que recorrer a cifras mais altas para se firmar no mercado de transferências. Por fim, os jogadores que mais fizeram história do clube foram contratados por preços mais acessíveis.

Enock Mwepu do RB Salzburg por 23 milhões de euros

O volante é uma das mais recentes contratações do Brighton para a temporada 2021-22. Além de ser uma promessa para o clube, o jogador entra para a história do Albion. A compra do atleta foi a mais cara de toda a trajetória da equipe no mercado de transferências, segundo o Transfermarkt.

Enock Mwepu treinando pelo Brighton
Enock Mwepu participa de treino no Brighton. Foto: Divulgação/Twitter Enock Mwepu

Neal Maupay do Brentford ao Brighton por 22,2 milhões de euros

Seguindo a lógica recente do clube, o Brentford vendeu o centroavante ao Albion por 22,2 milhões de euros. O atleta é a segunda contratação mais cara da história do Brighton no mercado de transferências. Além disso, o atacante francês está no time desde 2019.

Neal Mupay em jogo oficial pelo Brighton
Neal Maupay em jogo oficial da Premier League. Foto: Reprodução/90 min.com

Adam Webster do Bristol City por 22,2 milhões de euros

Ainda, o Brighton  tratou de reforçar a sua defesa na temporada 2019-20. Nesse sentido, o defensor Adam Webster fecha o trio de contratações mais caras da história dos Seagulls. Em suma, o Bristol vendeu o jogador por mais que o dobro do valor estimado no mercado de transferências.

Adam Webster no Brighton
Adam Webster assina contrato com o Brighton. Foto: Divulgação/Premier League Brasil

Glenn Murray chega ao Brighton por 450 mil euros

Até o momento, os jogadores que mais marcaram a história do Brighton chegaram ao clube por valores mais modestos. Afinal, tratava-se de uma outra época no mercado da bola. Dessa forma, em 2008, o maior artilheiro do Albion chegava à equipe, diretamente do Rochdale FC, por 450 mil euros.

Além do mais, o atleta chegou a ser vendido a outros clubes desde então, mas retornou na era Premier League. Dito isso, Murray marcou 111 gols em 253 jogos pelos Seagulls.

Balanço da temporada 2018/2019 do Brighton na Premier League
Com 13 gols, Glenn Murray foi o artilheiro do Brighton na temporada 2018-19. Foto: Divulgação/Twitter Brighton

Ashley Barnes Plymouth Argyle por 470 mil euros 

Logo atrás de Glenn Murray, o centroavante Ashley Barnes é o segundo maior artilheiro do Brighton. Ao todo, são 53 gols em 170 jogos. Sob essa ótica, o atleta chegou ao clube em 2010, até ser transferido para Burnley, em 2014. Por fim, a soma das cifras dos jogadores mais importantes do não chega a um milhão de euros.

Ashley Barnes no Brighton
Ashley Barnes disputa partida oficial pelo Brighton. Foto: Divulgação/Brighton & Hove Albion
Artigo anteriorPalpite, Prognóstico e Odds para Stoke City x Reading – 07/08
Próximo artigoFechou! Stoke City contrata Sam Surridge
Escolhi o curso de jornalismo, pois sempre me identifiquei com a escrita como a melhor forma de autoexpressão. Além disso, a curiosidade me leva a pesquisar e a me interessar em aprender sobre os mais diversos assuntos, mas o que me dá mais prazer é levar a informação a outra pessoa. Sou daqueles que acredita na função social do Jornalismo. Difícil definir minha personalidade em um pequeno texto, então fico com os clichês trabalho em equipe e não recuar diante de um novo desafio. Flamenguista de berço, me apaixonei pelo futebol através das cores vermelho e preto, daí descobri que ser repórter é algo que me apetece muito, pois contempla o meu sonho de viajante: conhecer e documentar lugares ai redor do Brasil e do mundo. Como todo bom jornalista, falo um pouco sobre tudo. Ou pelo menos tento.