Brentford – História, Mercado da Bola e Estatisticas

0
609
Brentford - The Bees de Londres
Brentford - The Bees de Londres

A princípio, o Brentford Football Club é mais uma equipe da cidade de Londres. Porém, Brentford é um pequeno subúrbio, localizado a oeste da capital. Não só por aquela região, como também por toda a Inglaterra, o time é conhecido pelo apelido, The Bees. Após terminar a Championship 2020/21 na 3ª colocação, garantiu sua primeira vaga para a Premier League desde 1947.

Trajetória do Brentford, fundação, conquistas e ascensão

Antes de mais nada, a equipe londrina é mais uma que nasceu no século XIX, em 1889. Nesse período, surgiu um novo campo recreativo na região. Com isso, membros do clube de críquete e de remo discutiram como aquela área poderia ser bem utilizada. A maior dúvida foi na escolha da modalidade: futebol ou rúgbi. Em suma, num encontro posterior, escolheram a bola redonda.

Assim, surgiu o Brentford Football Club, que, na época, usava as cores salmão, vermelho vinho e azul-claro. Logo de cara, duas semanas após a fundação, estreou em partidas amistosas. Nesses primeiros anos como clube, disputou muitos amistosos e competições bastante regionais.

Contudo, em 1896, alcançou a 2ª divisão da London League e deixou os amistosos de lado. Ao final da temporada, terminou na 2ª colocação, onde garantira vaga para a 1ª divisão. Apesar do bom desempenho esportivo, o Brentford ainda não tinha o seu estádio. Ou seja, gastava muito dinheiro jogando em campos neutros. Mesmo assim, continuou sendo forte.

A jornada na Southern League

À primeira vista, os bons desempenhos levaram o clube à uma liga superior, a Southern League. Por lá, começando na 2ª divisão, o Brentford começou a se profissionalizar. Com isso, encontrou um local para jogar, entrou no mercado da bola e participou da sua primeira FA Cup.

Posteriormente, em 1901 o The Bees alcançou a primeira divisão da liga. Ainda por cima, permaneceu por 12 anos, até o rebaixamento em 1913. Contudo, no ano seguinte, a 1ª Guerra Mundial explodiu. Apesar da tentativa de manter o futebol, em julho de 1915 a Southern foi cancelada.

Entretanto, o esporte não parou totalmente. o Brentford começou a disputar a London Combination. Nesse torneio, a maioria dos clubes disputaram os jogos com um elenco B. Afinal, a guerra fez com que muitos atletas fossem convocados para lutar.

Ao final da Grande Guerra, em 1919, o clube se candidatou para a 1ª divisão da Southern League. Com um elenco completamente novo e uma boa temporada, conseguiu acesso às principais ligas do futebol inglês.

Brentford na Football League

Em 1920, o The Bees e outras 20 equipes ganharam acesso à Football League. Assim, novos jogadores apareceram e fortaleceram o clube na 3ª divisão. Mas, nos primeiros anos, não conseguiram grandes campanhas. Foi só em 1926, com a chegada de novos jogadores, que o Brentford subiu de patamar.

Assim, após alguns anos batendo na trave para subir de divisão, em 1932 alcançou a 2ª divisão. Contudo, não demorou muito tempo, pois chegara na 1ª divisão três anos depois. Um dos grandes sucesso foi o treinador Harry Curtis, conhecido também como The Guv'nor. Além disso, o estádio Griffin Park foi essencial para as campanhas positivas.

Por outro lado, quando as equipes estavam se preparando para a temporada 1939/40, a 2ª Guerra Mundial acontecera. Nesse ínterim do conflito, o Brentford disputou a Football League South. Na equipe, tinham muitos jogadores amadores e pouco conhecidos. Afinal, a maioria dos titulares estava no exército.

Após o fim do conflito, muitas daquelas peças do pré-guerra retornaram. Entretanto, já estavam mais envelhecidas. Portanto, o desempenho não foi mais o mesmo. Além disso, o grande técnico Harry Curtis deixou o cargo depois da temporada 1948/49. Por consequência, nos anos seguintes, o clube cairia da 1ª para a 3ª divisão.

As crises financeiras

Após a saída de um dos grandes treinadores de sua história e a queda para a 3ª divisão, a vida do Brentford ficou mais difícil. Ou seja, a questão financeira ficara mais apertada. Com isso, muitos jogadores foram negociados e a competitividade do time despencou. Além disso, a instituição cometeu diversos erros de investimento.

Depois da conquista da 4ª divisão, em 1962/63, o time buscava retomar sua força. Apesar das primeiras temporadas serem positivas, não conseguiu o acesso. Mas, depois de problemas no comando técnico, os Bees foram mais uma vez rebaixados no ano seguinte. Depois da queda, a conta dos investimentos nos últimos sete anos bateu: mais de 114 mil libras foram investidas e pouco retorno.

Para tentar amenizar, o Brentford contou com muitas doações de seus torcedores. Assim, o clube tentava a todo custo encontrar capital para aliviar as dívidas. Por consequência, surgiu uma proposta para sair do Griffin Park e se juntar ao Hillingdon Borough FC. Contudo, o ex-diretor do time de West London anunciou que emprestaria de graça 69 mil libras para equilibrar as contas.

A busca por estabilidade do Brentford

Após os sustos financeiros, muitas mudanças surgiram. Agora, não haviam mais investimentos exagerados. Por algumas temporadas, o técnico precisou lidar com elencos bastante enxutos. Se houvesse alguma contratação, era de graça. Além disso, as vendas de alguns jogadores foram essenciais para o equilíbrio da balança.

Portanto, economicamente, o clube estava evoluindo. Ao final da temporada 1970/71, conseguiu um lucro de 20 mil libras. Por outro lado, ainda tinha muitas dificuldades de encontrar estabilidade no futebol. Porém, em 1978, chegou na 3ª divisão outra vez e permaneceu por lá até os anos 90. Com destaque para a temporada de 1991/92, a qual garantiu o título e a promoção para a 2ª divisão.

O caminho final até a Premier League

Apesar da evolução da equipe nos últimos anos, o Bees sofreu mais uma crise nas temporadas seguintes. Os anos 90, que poderiam colocar o time no topo, dificultou o processo. Na década seguinte, o Brentford passou por muitas mudanças, inclusive de donos e treinadores. No futebol, sempre transitava entre a 2ª e a 3ª divisão.

Mas, com o passar dos anos 2000, a equipe encontrou um momento mais calmo. Afinal, estava começando a quitar as dívidas pendentes no clube. Entre 2007 e 2014, o Brentford ficou acomodado na League One, antiga 3ª divisão. Depois de grandes campanhas, alcançou a Championship na temporada 2014/15.

Logo na primeira campanha da 2ª divisão do futebol inglês, chegou nos playoffs. Mas, caíra para o Middlebrough. Nas próximas três temporadas, o Brentford terminaria no top 10 da competição. Nesta última temporada, terminou na 3ª colocação da Championship. Por consequência, acabou entrando nos playoffs para a última vaga de acesso. Com a vitória por 2 a 0 sobre o Swansea City, a equipe retornou à elite do futebol inglês. Ainda por cima, com estádio novo, o Brentford Community Stadium.

Mercado de Transferências do Brentford

Como foi possível notar, a trajetória dos Bees teve muitas dificuldades financeiras. Não à toa, o clube permaneceu por muitos anos nas divisões inferiores e pouco apareceu nas grandes ligas. Contudo, o sucesso recente do Brentford está diretamente ligado à nova abordagem no mercado de transferências.

Com isso, muitos jogadores jovens acabam sendo prioridade no time. Além disso, o clube busca encontrar talentos de divisões menores ou pouco aproveitados das grandes. Essa nova ideia dentro do mercado da bola fez com que o Bees raramente brigasse para não cair. Veja algumas dessas contratações:

Kristoffer Ajer, vindo do Celtic, em 2021

Recentemente, o clube anunciou em suas redes sociais a contratação de Kristoffer Ajer. Com isso, o norueguês é a contratação mais cara da história do Brentford, custando 14 milhões de euros. Assim, o zagueiro de 23 anos pode ajudar de imediato o elenco, como também ser grande valor de transferência para o mercado da bola do futuro.

Foto destaque: Divulgação/Twitter/Brentford
Foto destaque: Divulgação/Twitter/Brentford

Ollie Watkins, vindo do Exeter City, em 2017

Atualmente, Ollie Watkins é jogador do Aston Villa. Contudo, surgiu com destaque no futebol inglês pelo Brentford. Em 2017, quando tinha 21 anos, chegou em Londres para defender o The Bees, que pagou 6.5 milhões de euros nele. Com 143 partidas com a camisa vermelha e branca, marcou 49 gols pelo clube. Além disso, foi vendido para os Lions por 30 milhões de euros na temporada passada.

Foto destaque: Reprodução/Alex Burstow/Getty Images
Foto destaque: Reprodução/Alex Burstow/Getty Images

Christian Nørgaard, vindo da Fiorentina, em 2019

Destaque do elenco da Dinamarca na Euro 2020, Christian Nørgaard é jogador do Brentford. Em 2019, quando tinha 25 anos, chegou por apenas 3.15 milhões de euros. Atualmente, alcançou o seu melhor valor dentro do mercado de transferências e é titular dos Bees.

Foto destaque: Divulgação/Twitter/Brentford
Foto destaque: Divulgação/Twitter/Brentford

David Raya, vindo do Blackburn, em 2019

Outra contratação importante do ano de 2019 foi o goleiro David Raya. Hoje, com 25 anos, alcança um valor dentro do mercado da bola de 12.6 milhões de euros. Por outro lado, o investimento do Brentford fora de apenas 3 milhões de euros. Nesta temporada, ele será o goleiro titular e pode subir ainda mais o seu valor.

Foto destaque: Reprodução/ANDREW COULDRIDGE/POOL/AFP via Getty Images
Foto destaque: Reprodução/ANDREW COULDRIDGE/POOL/AFP via Getty Images

Saïd Benrahma, vindo do Nice, em 2018

Ao lado de Ollie Watkins e, também, de Brian Mbeumo, Benrahma formou o famoso ataque “BMW”. Juntos, fizeram 58 gols na temporada 2019/20, a qual quase levara o Brentford para a Premier League. Em suma, o ponta esquerda argelino foi um grande negócio do The Bees. Afinal, custou 1.5 milhões de euros, vindo do Nice, e foi vendido por 20, para o West Ham.

Foto destaque: Reprodução/Alex Burstow/Getty Images
Foto destaque: Reprodução/Alex Burstow/Getty Images