10 brasileiros que passaram pela Championship e você não sabia

Passagens inusitadas na Championship:de figurinhas carimbadas a jogadores desconhecidos

Gareth Copley/Getty Images
Gareth Copley/Getty Images

Na atual temporada, a Championship conta com três brasileiros – além de Gustavo Hamer, catarinense naturalizado holandês. São eles João Pedro, joia do Wtaford e uma das estrelas da liga, Rafael Cabral, goleiro campeão da Libertadores 2011 pelo Santos e atualmente titular do Reading, e Felipe Araruna, ex-São Paulo, também do Reading.

Mas será que você sabia que esses jogadores estavam na segunda divisão inglesa? Possivelmente não. Pensando nisso, a PL Brasil listou dez brasileiros que passaram pela Championship e você provavelmente não sabia, aproveitando pra contar cada uma de suas trajetórias no futebol inglês.

10 brasileiros que passaram pela Championship e você não sabia

Leia mais: Championship 2019/2020: analisamos 7 destaques da atual edição

Júnior

Revelado pelo Fortaleza, Júnior rodou por diversos clubes brasileiros, como Vitória, Ceará e Bahia, até se aposentar, em 2016. Mas grande parte da carreira do atacante foi traçada na Europa – Espanha, Bélgica, França, Dinamarca e Suécia. Já na Inglaterra, defendeu três clubes, durante quatro temporadas, todas na segunda divisão.

Em 2002, após curta passagem pelo Treze, foi para o Walsall – quando a liga ainda era a First Division, anterior o surgimento da Championship. E o brasileiro foi um dos grandes destaques da fraca campanha do clube, com 15 gols em 36 partidas, incluindo um hat trick em vitória sobre o Derby County na penúltima rodada.

Stu Forster Getty Images
Stu Forster Getty Images

Com a boa impressão deixada, o atacante foi contratado pelo Derby para a temporada seguinte, após recusar renovação de contrato com o Walsall – atitude que, à época, desagradou, e muito, a diretoria de seu ex-clube.

No Derby, sofreu com lesão, não se firmou e pouco jogou: em duas temporadas, disputou apenas 32 partidas e anotou cinco gols, sendo quatro na First Division 2003/2004 e um na FA Cup 2004/2005. Já no primeiro ano de Championship, em 2004/2005, o clube chegou aos playoffs, mas o brasileiro não saiu do banco na eliminação ante o Preston North End.

E antes disso, na mesma temporada, Júnior havia sido brevemente emprestado ao Rotherham United, lanterna da competição. Pelo clube, foram 12 partidas, todas como titular, e balançou as redes duas vezes.

Sem conseguir repetir o sucesso dos tempos de Walsall, foi liberado pelo Derby County e, antes de se despedir de vez do futebol inglês, ainda assinou contrato com o Watford. Contudo, em razão de problemas relacionados ao visto de trabalho, deixou Vicarage Road logo depois, sem ter jogado pelo clube.

Anderson Silva

Natural de São Paulo, Anderson Silva nunca jogou profissionalmente no Brasil. O volante surgiu no Nacional, do Uruguai, e passou por Montevideo Wanderers e Racing Santander, da Espanha, antes de ser vendido ao Everton, em 2005, por um milhão de euros.

Laurence Griffiths Getty Images
Laurence Griffiths Getty Images

Contudo, atuou apenas dois minutos em campo pelos Toffes, contra o Charlton Athletic, pela Premier League 2006/2007. Grande parte de seu vínculo com Goodison Park se deu longe de Liverpool, em empréstimo, para Málaga e Barnsley – clube ao qual posteriormente se transferiu em definitivo.

Entre 2007 e 2010, foram três temporadas na Championship, nas quais o clube se acostumou a brigar na parte de baixo da tabela. E embora o brasileiro tenha sofrido com lesões, era figura constante na equipe, totalizando 84 partidas, das quais 76 como titular, com cinco gols e cinco assistências.

André Moritz

Revelado pelo Internacional, André Moritz desenvolveu-se um meio campista versátil, tendo o chute fora da área como característica marcante. Após ser campeão da Copa do Brasil com o Fluminense, em 2007, transferiu-se para o futebol turco, onde atuou por cinco temporadas. Em 2012, foi contratado pelo Crystal Palace, à época na segunda divisão.

Nos Eagles, chegou a formar ataque com Yannick Bolasie, Wilfred Zaha e Glenn Murray, e, apesar de não ter sido titular absoluto, foi importante na campanha de acesso à Premier League. Na Championship 2012/2013, disputou 29 partidas, incluindo os confrontos decisivos contra Brighton e Watford nos playoffs, totalizando três assistências e cinco gols marcados.

Após a temporada vitoriosa, a expectativa era de que André Moritz permanecesse na equipe, mas o jogador deixou o clube às vésperas da Premier League 2013/2014. Conforme ele próprio revelou anos depois, teria sido dispensado por Ian Holloway, então treinador do clube, sob justificativa inusitada: o técnico sonhara que o brasileiro não teria um ano feliz.

Ben Hoskins Getty Images
Ben Hoskins Getty Images

Leia mais: 10 jogadores que passaram pelo Bolton e talvez você nem saiba

Assim, deixou o Crystal Palace rumo ao Bolton Wanderers, a pedido de Dougie Freedman, o mesmo treinador que o contratara para os Eagles na temporada anterior. No Bolton, sofreu com lesões, tendo disputado 23 partidas na Championship 2013/2014, sendo apenas sete delas como titular. Ainda assim, foram sete gols e três assistências na liga.

Sem acertar sua renovação com os Trotters, foi especulado em outros clubes ingleses, sobretudo Leeds e Bournemouth, mas seu destino foi o futebol asiático. Em 2016, ainda foi sondado pelo Nottingham Forrest, novamente sob indicação de Dougie Freedman. De volta ao Brasil, defendeu Avaí, onde foi campeão estadual, Londrina e Confiança-SE, clube que defende atualmente.

Neuton

Revelado pelo Ypiranga, foi no Grêmio que o zagueiro Neuton teve certo destaque no futebol brasileiro, e o que levou a ser vendido à Udinese, em 2011, por três milhões de euros. Recém-chegado, foi titular na qualificatória da Liga dos Campeões 2011/2012, em duas derrotas para o Arsenal.

Richard Heathcote Getty Images
Richard Heathcote Getty Images

Mas, fora isso, teve poucas oportunidades no clube italiano, sendo sucessivamente emprestado. No primeiro desses empréstimos, foi para o Watford, para a disputa da Champinship 2012/2013.

E até teve início promissor, assumindo a titularidade logo que contratado. Entretanto, o período em campo foi breve, totalizando apenas oito partidas na segunda divisão, além um jogo da Copa da Liga, derrota por 3 a 0 ante o Manchester City.

Adryan

Adryan surgiu com destaque nas categorias de base do Flamengo e chegou a brilhar pela equipe sub-17 da seleção brasileira, quando autor de cinco gols no Mundial da categoria, em 2011.

Em 2014, após passagem curta e apagada pelo Cagliari, foi emprestado pelo clube carioca ao Leeds. Era um dos grandes destaques do pacote de contratações impulsionado por Massimo Cellino, que acabara de comprar o clube – e que já havia levado Adryan ao Cagliari, seis meses antes, quando ainda dono da equipe italiana.

Contudo, a esperança de presenciar a trajetória do “Novo Zico”, que contagiava a torcida do Leeds, logo se esvaiu. A passagem do brasileiro por Elland Road seria decepcionante – assim como a do dono italiano – marcada mais por uma simulação grotesca em partida contra o Derby County do que pelo futebol apresentado.

Gareth Copley/Getty Images
Gareth Copley/Getty Images

Apesar de toda a expectativa criada, Adryan demorou a estrear na Championship, tendo sua primeira aparição apenas na 12ª rodada. E assistência na partida seguinte, a sua primeira como titular, contribuiu para iludir um pouco mais a torcida.

Entretanto, não conseguiu acumular boas atuações e sua aventura em Leeds se encerrou ao final da temporada, despedindo-se sem deixar saudades. Pelo clube, foram 12 jogos, sendo 11 na segunda divisão e um na FA Cup, titular em nove oportunidades – e nenhum gol marcado.

De volta ao Flamengo, foi novamente emprestado, dessa vez ao futebol francês, para o Nantes. Em 2017, transferiu-se em definitivo ao Sion, da Suíça. Já em 2020, transferiu-se para o Avaí, mas, após pouco jogar na Série B, deixou o clube ao final do ano.

Leia mais: 10 jogadores que passaram pelo Leeds que você talvez nem sabia

Dennis Souza

Dennis Souza surgiu profissionalmente no Matsubara, clube paranaense que fora bastante conhecido por suas categorias de base, e deixou o Brasil em 2000, aos 20 anos, rumo ao futebol belga. Em 2007, transferiu-se ao Barnsley, onde foi companheiro de outro brasileiro, Anderson Silva.

Na temporada 2007/2008, o zagueiro foi titular em 45 das 46 partidas do clube na Championship e esteve em campo em todos os minutos da campanha semifinalista na Copa da Inglaterra, quando o Barnsley eliminou os gigantes Liverpool e Chelsea. Ao todo, foram 87 partidas do brasileiro pelo clube, com dois gols marcados – curiosamente, ambos contra o Bristol City.

Shaun Botterill Getty Images
Shaun Botterill Getty Images

Em 2009, após perder espaço no Barnsley, se transferiu para o Al Sailiya, do Catar. Já na temporada seguinte, foi emprestado ao Doncaster Rovers, onde não conseguiu se firmar: disputou apenas oito partidas pelo clube na segunda divisão, sendo cinco saindo do banco de reservas.

Guly do Prado

Guilherme do Prado Raymundo surgiu na Portuguesa Santista e, aos 20 anos, transferiu-se para o futebol italiano, onde ficou por oito temporadas. Lá, recebeu o apelido de Guly. Em 2010, foi para o Southampton, por empréstimo, e, seis meses depois, contratado em definitivo.

Nos Saints, viveu o grande momento de sua carreira, como titular, referência e ídolo da torcida. Pelo clube, foram 118 partidas, com 23 gols e 15 assistências. Acostumado a ser volante, jogou de meio-campo, extremo e até centroavante. Com “Do Prado” no uniforme, utilizou os números 11 e 21, além da camisa 10.

GLYN KIRKAFP via Getty Images
GLYN KIRK AFP via Getty Images

Nas duas primeiras temporadas na Inglaterra, foram dois acessos: da League One para a Championship e da Championship para a Premier League. Esteve presente em 42 dos 46 jogos do clube na Championship 2013/2014, dos quais 36 como titular, sendo fundamental na campanha vice-campeã, com dez gols e seis assistências.

Já nas duas últimas temporadas pelo clube, sofreu com lesões e não conseguiu repetir o mesmo destaque na Premier League, disputando apenas 27 partidas da elite inglesa.

Após os anos em Southampton, defendeu o Chicago Fire, em 2015. No Brasil, ainda jogou por Ituano, Botafogo-SP, Luverdense, XV de Piracicaba, Osasco e Caldense.

Leia mais: PL Brasil entrevista Guly do Prado: Carinho dos Saints por mim é fora de série

Bruno Ribeiro

Originalmente lateral direito, Bruno Ribeiro foi revelado pelo Marília, e, aos 36 anos de idade, acumula 15 clubes em suas carreira de jogador, sendo 14 deles nacionais. A única equipe estrangeira que o brasileiro já defendeu foi o Blackburn Rovers, entre 2011 e 2013.

Bruno fez parte do bem sucedido elenco do Grêmio Barueri, que, em 2009, contava com nomes como Leandro Castán, Ralf e Val Baiano. Entretanto, em 2011, após os rebaixamentos nos campeonatos nacional e estadual, rescindiu seu vínculo com o clube – então Grêmio Prudente.

Em sequência, fez testes no Blackburn Rovers, à época na Premier League e, após participar da pré-temporada do clube na Áustria, foi oficializado como reforço, com três anos de contrato. E esteve no banco de reservas logo nas duas primeiras rodadas da liga nacional, mas não voltou a ser relacionado ao time principal na elite inglesa.

Já na temporada seguinte, na Championship, o brasileiro teve início como titular, disputando cinco das sete rodadas iniciais, nas quais atuou como meio-campista. Contundo, aquelas foram suas únicas partidas na segunda divisão, não tendo sido mais aproveitado pelo clube.

Ainda durante a Championship 12/13, o jogador foi emprestado ao Linense – transferência no mínimo inusitada quando encontrada nos registros – antes de ser liberado em definitivo ao clube do interior paulista, em janeiro de 2014. Depois disso, passou por equipes como Juventude, Joinville, Portuguesa e, novamente, Marília.

Wellington Silva

Em 2009, aos 16 anos e ainda nas categorias de base de base do Fluminense, Wellington Silva foi vendido ao Arsenal, com o status de promessa, por quatro milhões de euros. Antes de deixar o clube carioca, fez parte do elenco campeão brasileiro, em 2010.

Sem conseguir o visto de trabalho para defender os Gunners na elite inglesa, rodou pelas duas primeiras divisões do futebol espanhol – passando por Levante, Alcoyano, Ponteferradina, Real Murcia e Almería.

Em 2015, obteve o passaporte espanhol, finalmente estando apto para jogar pelo Arsenal na Premier League. Contudo, foi emprestado emprestado ao Bolton Wanderers, para a disputa da Championship 2015/2016.

Versátil, iniciou a temporada como titular, alternando atuações  no meio e mais avançado, pelas pontas – fosse esquerda fosse direita. Contudo, sofreu lesão na coxa, que o afastou dos gramados por dois meses. Quando retornou, a equipe já amargava a lanterna da competição, posição que manteve até o final do campeonato.

Clive Brunskill Getty Images
Clive Brunskill Getty Images

Leia mais: A crise financeira do Bolton Wanderers

Mesmo em meio à campanha tão desastrosa do clube, com apenas cinco vitórias em 46 rodadas, o brasileiro chegou a ter alguns lampejos de destaque. Das 22 partidas que disputou na segunda divisão inglesa, 14 foram como titular, alcançando dois gols e quatro assistências.

Encerrada a passagem pelo Bolton, sete anos após ser contratado pelo Arsenal, já estava totalmente fora dos planos do clube londrino. Assim, em 2016, retornou ao Fluminense, em transferência de três milhões de euros.

Iriney

Com passagem pela equipe juvenil do Nacional, do Amazonas, Iriney iniciou a carreira de profissional no São Caetano. Mas sua passagem pelo Anacleto Campanella foi curta e logo se transferiu para a Espanha, onde construiu grande parte de sua trajetória no futebol.

Nas duas principais divisões nacionais, passou por Rayo Vallecano, Celta de Vigo, Real Betis, Granada e Mallorca, acumulando 151 partidas em La Liga. Contudo, durante o período no futebol espanhol, ainda teve rápida passagem pela Inglaterra, quando emprestado pelo Granada ao Watford, em 2013.

Michael Steele Getty Images
Michael Steele Getty Images

Pelo clube, na Championship 2013/2014, foram 15 partidas, das quais 12 como titular – além de duas aparições na Copa da Inglaterra. Mas o volante perdeu espaço na equipe, chegando a ficar de fora até do banco de reservas, e retornou à Espanha no meio da temporada.

Leia mais: “Você pode ser um dos melhores do mundo”: a estadia de uma ex-joia brasileira no Arsenal