Borussia Dortmund: onde estão os últimos campeões da Bundesliga?

2 minutos de leitura

Vencer o título da Bundesliga neste sábado (27) colocaria um fim de 11 anos de jejum para o Borussia Dortmund. A última vez que o clube aurinegro levantou a Salva de Prata foi na temporada 2011/12, quando era treinado por Jürgen Klopp e tinha Robert Lewandowski como principal estrela.

Na época, o BVB emendou um bicampeonato seguido, que fez o time chegar a cinco conquistas em sua história, se igualando ao Borussia Monchengladbach como os segundos que mais venceram no país.

A temporada 2011/12 também foi a primeira de Ilkay Gündogan, que chegou por 5,5 milhões de euros do Nuremberg (foi a contratação mais cara do ano), e Ivan Perisic, então um jovem jogador do Club Brugge.

A campanha foi extraordinária. A equipe começou irregular, com três derrotas nos seis primeiros jogos, mas depois não perdeu mais. O Borussia Dortmund venceu 23 das 28 partidas seguintes, incluindo dois 1 a 0 sobre o Bayern de Munique, e terminou a Bundesliga com oito pontos de vantagem para os rivais bávaros.

Os maiores destaques foram Lewandowski, que fechou o ano com 22 gols e 10 assistências, o meia japonês Shinji Kagawa, que aos 23 anos encantava a Europa com 13 gols e 12 assistências no campeonato.

O elenco ainda contava com outras referências, como goleiro Roman Weidenfeller, o zagueiro Mats Hummels, o capitão Sebastian Kehl e o meia-atacante Mario Götze. Também foram campeões os brasileiros Felipe Santana e Antônio da Silva, embora reservas.

Por onde andam os campeões alemães com o Borussia Dortmund em 2011/12

Roman Weidenfeller

O goleiro foi revelado pelo Kaiserslautern e, desde que chegou ao BVB em 2002, não jogou por nenhuma outra equipe. Era o vice-capitão em 2011/12 e se aposentou em 2018, já na condição de reserva, aos 38 anos.

Weidenfeller em sua última temporada no Borussia Dortmund - Foto: Twitter @BVB
Weidenfeller em sua última temporada no Borussia Dortmund – Foto: Twitter @BVB

Lukasz Piszczek

O respeitado lateral-direito ficou no Borussia Dortmund até 2021, quando saiu para o Goczalkowice Zdroj, da sua cidade natal Polônia. Aos 37 anos, está jogando na quarta divisão polonesa.

Neven Subotic

Depois de oito anos no BVB, o zagueiro sérvio foi emprestado para o Colônia em 2016/17 e vendido ao Saint-Etienne em 2017/18. Ainda jogou por Union Berlin, Denizlispor e SCR Altach antes de se aposentar em 2021, aos 33 anos.

Matts Hummels

O alemão trocou o Dortmund pelo Bayern de Munique em 2016, passou três anos na Baviera e retornou em 2019. Aos 34 anos, é o atual camisa 15 do BVB.

Felipe Santana

O zagueiro brasileiro ficou marcado pelo gol épico que garantiu a classificação na Champions League contra o Málaga, em 2013/14, mas nunca foi um protagonista da equipe nos cinco anos que jogou lá.

Tanto que trocou o BVB pelo maior rival, o Schalke, ainda em 2013. Ainda teve passagens por Olympiacos e Krasnodar antes de voltar ao Brasil para jogar no Atlético-MG, em 2018. Também jogou na Chapecoense e, em 2023, disputou o estadual pelo Atlético Catarinense. No momento está sem clube.

Marcel Schmelzer

O lateral-esquerdo é um dos raros jogadores que só defenderam um clube em toda a sua carreira. Schmelzer ficou no Borussia de 2005 a 2022, quando se aposentou aos 34 anos.

Sebastian Kehl

O capitão da conquista, que antes do Borussia havia jogado por Hannover e Freiburg, nunca saiu do Dortmund. Ele se aposentou no clube em 2015, com 35 anos.

Kevin Grosskreutz

O meia saiu do BVB somente três anos depois do título. Vestiu as camisas de Galatasaray, Stuttgart, Darmstadt, Uerdingen e hoje, com 34 anos, defende o Bovinghausen, da quinta divisão da Alemanha.

Antônio da Silva

Pouco conhecido do público brasileiro, o volante saiu do Rio de Janeiro ainda antes de se profissionalizar e fez quase toda a carreira na Alemanha. Ele jogou entre 2010 e 2012 no Borussia Dortmund — foi levado por Klopp, que o conhecia dos tempos de Mainz — e, depois, só fez mais uma temporada pelo Duisburg antes de se aposentar, com 34 anos.

Ilkay Gündogan

O meia alemão foi um dos que mais fez sucesso após o título. Ele foi vendido ao Manchester City por 27 milhões de euros em 2016 e virou uma referência no time de Guardiola, se tornando pentacampeão inglês. Com 32 anos, o meia ainda estuda se vai renovar com o time inglês ao fim da temporada 2022/23, mas também é alvo de interesse do Barcelona.

Shinji Kagawa

O meia japonês jogou duas temporadas pelo Borussia Dortmund, venceu duas vezes a Bundesliga e despontou como um dos maiores nomes do futebol asiático da época. Após o título em 2012, o Manchester United pagou 16 milhões de euros pelo meia mas, apesar da expectativa, Kagawa ‘flopou’ em Old Trafford.

Ele foi negociado de volta com o BVB pela metade do valor dois anos depois. Ainda jogou no Besiktas, Real Zaragoza, PAOK, Sint-Truiden e, desde o início de 2023, com 34 anos, joga pelo Cerezo Osaka, clube que o revelou no Japão.

Kagawa, já em sua volta, comemorando gol pelo BVB – Foto: Twitter @BVB

Jakub Blaszczykowski

O meia conhecido como “Kuba” deixou o Borussia após oito anos para jogar na Fiorentina, em 2015, e depois ainda atuou pelo Wolfsburg na Alemanha. Com 37 anos, ele joga pelo Wisla Krakow, na segunda divisão da Polônia, desde 2018.

Ivan Perisic

O ponta croata que hoje tem 34 anos ainda era uma promessa na única temporada que jogou pelo Borussia Dortmund. No ano seguinte, foi para o Wolfsburg — depois, Inter de Milão, Bayern e Tottenham, onde está atualmente.

Lucas Barrios

Na vasta carreira do artilheiro paraguaio, o BVB é o único time onde ele passou três temporadas seguidas, entre 2009 e 2012. Quando saiu, rodou o mundo: Guangzhou Evergrande, Spartak Moscou, Montpellier, Palmeiras, Grêmio, Argentinos Juniors, Colo-Colo, Huracán, Gimnásia La Plata, Defensa y Justicia, Patronato e, aos 38 anos, joga pelo paraguaio Sportivo Trinidense.

Mario Götze

O camisa 11 do título ainda era uma promessa do futebol alemão e, a exemplo de Hummels, trocou o Borussia pelo Bayern e voltou depois de três anos. Em 2020, saiu para o PSV e, depois de duas boas temporadas, voltou ao futebol alemão para jogar pelo Eintracht Frankfurt. Tem somente 30 anos e, nesse meio tempo, marcou o gol do título da Alemanha na Copa do Mundo de 2014.

Robert Lewandowski

O mais famoso de todo o elenco foi também o que mais teve sucesso no futebol. Lewandowski foi outro que trocou o Dortmund pelo Bayern dois anos depois do título, e se tornou um artilheiro ainda maior.

Venceu a Bundesliga outras oito vezes, além de uma Champions League, e foi eleito o melhor jogador pela Fifa em 2020 e 2021. Aos 34 anos, ele está concluindo sua primeira temporada pelo Barcelona, onde também já venceu a liga nacional.

Jürgen Klopp

O treinador ainda ficou mais três anos no Borussia até deixar o clube ao fim da temporada 2014/15. Passou alguns meses desempregado e logo foi contratado pelo Liverpool, onde faz história até hoje. Em quase sete anos, Klopp já venceu Premier League, Champions League, FA Cup e Copa da Liga Inglesa.

O que o BVB precisa para ser campeão?

O Borussia Dortmund nunca esteve tão perto de acabar o jejum. O clube chega à última rodada com dois pontos de vantagem para o Bayern e, para não depender de ninguém, precisa vencer o Mainz no Signal Iduna Park.

Mas, caso o Bayern não vença sua partida diante do Colônia, fora de casa, o Dortmund será campeão alemão pela nona vez independente do que aconteça em sua partida.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista nascido em Campinas, morador de São Paulo e formado pela ECA-USP. Subcoordenador da PL Brasil desde 2023. Cobri Copa América, Copa do Mundo e Olimpíadas no EL PAÍS, eleições nacionais na Revista Veja e fui editor de conteúdo nas redes sociais do Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]