Balbuena elogia PL e diz que Tite pode treinar time grande da Inglaterra

Zagueiro do West Ham também comentou sobre a rivalidade entre os clubes de Londres

0
616
Balbuena West Ham
Alex Morton/Getty Images

Perto de completar dois anos desde que chegou à Inglaterra, o zagueiro Fabián Balbuena não vê a hora de repetir o sucesso que teve no Corinthians agora com a camisa do West Ham. Com a Premier League já com data para voltar (17 de junho), o defensor conversou com a PL Brasil sobre a adaptação ao futebol inglês e o momento dos Hammers no atual temporada.

Agora no meio do ano, você vai completar dois anos na Inglaterra. Como você analisa a diferença de ritmo e intensidade entre o futebol da América do Sul e o inglês?

Balbuena: Você citou os dois maiores aspectos dessa diferença. É a intensidade, a velocidade, o ritmo de jogo. Isso acontece porque todos os times têm jogadores de boa qualidade, fortes, rápidos.

Quando os 22 jogadores sabem jogar, o jogo em si fica mais rápido. É o que acontece na Premier League. Praticamente não tem time pequeno aqui e todas as equipes sabem sair jogando. Todos os defensores sabem jogar.

Isso tudo faz com que o jogo seja mais dinâmico. No futebol brasileiro, só os times grandes têm essa qualidade e, alguns deles, nem sabem sair jogando.

balbuena west ham
Jordan Mansfield/Getty Images

Você jogou no Paraguai, no Brasil e na Inglaterra. O que o futebol inglês te ensinou?

Balbuena: Acho que o nível de concentração. Claro, todo jogador tem, seja qual for a liga. Mas, na Premier League, você fica mais ligado ainda. Em questão de segundos, o adversário pode tirar vantagem. Isso eu aperfeiçoei.

Jogar em ritmo alto também foi muito importante. Nos primeiros meses, isso me custou e eu senti, mas, com o trabalho, você pega rápido e minha primeira temporada foi boa por causa disso.

Leia outras entrevistas da PL Brasil:

Joelinton: “Firmino é, sem dúvidas, uma grande inspiração”
Fábio Aurélio: “Liverpool x Everton é vida ou morte. Contra o United, não”
Firmino: ‘Com Klopp, penso o jogo de outra forma’
Tom Dulat/Getty Images

Embora muitos jogadores da América do Sul atuaram e ainda atuam na Premier League, o mesmo não acontece com os técnicos. Até agora, tivemos apenas seis treinadores sul-americanos em toda a era Premier League (Luiz Felipe Scolari, Manuel Pellegrini, Mauricio Pochettino, Mauricio Pellegrino, Ossie Ardiles e Gus Poyet).

Você acha que esse número pode aumentar nos próximos anos? O que técnicos sul-americanos poderiam acrescentar ao futebol inglês?

Balbuena: Pode aumentar? Logicamente pode. Tem muitos técnicos sul-americanos bons. O (Diego) Simeone, do Atlético de Madrid, sempre é sondado por times grandes da Europa.

O Tite pode, tranquilamente, dirigir um time grande da Premier League, da Europa. Mas acho que isso passa mais pelas diretorias dos clubes ingleses. Querem técnicos que conheçam mais e melhor o futebol inglês.

West Ham Balbuena
Stephen Pond Getty Images

A Premier League anunciou o retorno dos jogos para o dia 17 de junho. O West Ham está na 16ª posição na Premier League e foi eliminado precocemente das duas copas. O que falta para o time dar a volta por cima?

Balbuena: Acho que falta resultado. Temos trabalhado bem, feito bons jogos. Se você sofre um gol, a confiança cai e fica difícil dar a volta por cima. Se conseguirmos um bom resultado, isso vai dar confiança.

Estando nessa situação, você tem uma pressão extra. O que falta é o resultado para começar a sair disso.

Além do West Ham, são muitos os clubes de Londres na Premier League. Balbuena, já tendo jogado vários clássicos, qual é a maior rivalidade para o torcedor? Em qual partida, você sente o clima diferente?

Contra todos os times de Londres, os torcedores tratam como clássico. Mas os de maior importância, de querer ganhar mesmo, eu senti mais contra o Tottenham e o Arsenal, aqueles jogos que não pode perder.

A entrevista com Fabián Balbuena foi uma parceria com a site de apostas online Betway Esportes.

Siga a PL Brasil no Youtube

CRAQUES QUE NUNCA GANHARAM A PREMIER LEAGUE