Quem é Áurio Teixeira, o único jogador angolano no futebol inglês?

8 minutos de leitura

A Angola é um país apaixonado pelo futebol. Esse amor se multiplica quando o assunto é a Premier League, mesmo sem atletas da seleção na elite inglesa. Contudo, quando se vasculha as divisões inferiores da Terra da Rainha, é possível encontrar uma jovem promessa que leva consigo a bandeira do território: Áurio Teixeira.

Colonizado por Portugal desde o século XV, Angola só conseguiu sua independência em 1975. Ao longo dos anos, assim como em diversas regiões africanas, a nação passou por um grande fluxo migratório de pessoas rumo ao Velho Continente em busca de melhores condições de vida.

Rafael Leão, astro do Milan, por exemplo, é filho de pai angolano, mas nasceu em Portugal e defende a seleção lusitana. A história se assemelha com a vida de Áurio Teixeira, também filho de angolanos que nasceu na Inglaterra e tenta a sorte no Hereford FC, da quinta divisão do futebol britânico.

Em entrevista exclusiva à PL Brasil, o jogador contou sua relação com o país africano e suas possibilidades de defender a seleção local.

‘Muita cultura e valores': a relação de Áurio Teixeira com Angola

O jovem nasceu em Birmingham, grande cidade no Centro-Oeste da Inglaterra, em setembro de 2002. Sua infância foi longe fisicamente da Angola, já que cresceu na terra dos “Peaky Blinders”, mas, ao mesmo tempo, seguiu conectado com as raízes de sua família. Áurio conta que seus país mantiveram acesa a chama de Angola em sua vida com os valores e a cultura do país.

–A minha ligação com Angola é que ambos os meus pais nasceram lá, mas eu próprio nasci na Inglaterra e também fui criado aqui. Mas em casa os meus pais têm muita cultura e valores de Angola, incluindo música, culinária e muito mais.

Áurio Teixeira não é o único jogador com sangue angolano no futebol inglês. O zagueiro Ezri Konsa, do Aston Villa, é filho de mãe angolana e também tem raízes no país. Ele esteve frequentemente convocado pela seleção inglesa de base e foi chamado por Gareth Southgate para os amistosos contra Brasil e Bélgica.

Elegível para Inglaterra e Angola, Áurio Teixeira sonha em defender a nação dos pais

Assim como Konsa, Áurio vestiu a camisa da seleção inglesa na base. Por outro lado, também fez parte de equipes de formação de Angola, como no período preparatório para o Mundial Sub-17, em 2019, disputado no Brasil. O meio-campista do Hereford FC ficou fora da relação final para disputa do torneio, mas valorizou a oportunidade.

Em 2019, tive a oportunidade de participar de um estágio de preparação para o Mundial Sub-17, que foi realizado no Brasil. Infelizmente não estive entre os 23 convocados, mas foi uma boa experiência e muito diferente do que estou acostumado com a Inglaterra. Eles tinham muitos jogadores talentosos que não tinham uma grande visibilidade. Foi bom para alguns jogadores como Zito Luvumbo (hoje no Cagliari) e Domingos Andrade (hoje no Felgueiras, de Portugal), só para citar alguns que estavam no topo da minha cabeça, que tiveram a oportunidade de conseguir uma mudança na Europa e avançar na carreira.

Áurio Teixeira gostaria muito de representar a Angola no âmbito principal. O jogador destacou que nunca recusou ou recusaria um chamado do país lusófono e deixou nas mãos dos destinos a possibilidade de vestir a camisa da nação onde seus pais nasceram.

–Nunca disse não à ideia se a oportunidade se apresentar. Então, por que não? Ficaria mais do que feliz em representar Angola. Quem sabe o que o futuro prevê. Quem sabe um dia também poderei jogar por Angola e fazer história.

A seleção angolana participou da Copa do Mundo apenas uma vez, em 2006. Os Palancas Negras foram eliminados nas quartas de final da última Copa das Nações Africanas, para a Nigéria. Gelson Dala é o grande jogador da geração.

Gelson Dala por Angola na Copa Africana de Nações (Foto: Icon Sport)

Quem é Áurio Teixeira?

A vida pessoal do representante angolano no futebol inglês já foi revelada. Mas e dentro de campo, como é a trajetória de Áurio Teixeira? O jovem se define como um meio-campista que pode atuar tanto como primeiro quanto segundo volante. É um atleta que contribui com a bola no pé, mas que também não tem problema para marcar quando necessário.

— Gosto de ditar o jogo, de jogar com a bola. Quanto mais toques para mim, melhor. Eu vou jogar e, para ser honesto, também acredito que essa é a forma correta de jogar futebol. Mas também sou agressivo na falta da posse de bola. Gosto de recuperar e alimentar os jogadores mais avançados e dizer “vá e ganhe o jogo para nós”. Eu diria que esses são meus maiores pontos fortes. Sou um jogador coletivo.

Áurio é cria das categorias de base do West Brom, onde ficou por algumas temporadas e foi colega do brasileiro Matheus Pereira, hoje no Cruzeiro. Ele não conseguiu se firmar no The Hawtorns e precisou buscar novos ares. Na última temporada, defendeu o Alverchurch, da sétima divisão inglesa.

Para 2023/24, recebeu chance no Hereford FC, da quinta divisão local. Ele tem uma temporada com forte presença em campo e valoriza bastante a chance recebida na equipe.

Estou gostando muito do meu tempo aqui no clube. É um grande clube com uma base de torcedores muito leal. Até agora tem sido muito bom. O técnico confiou em mim e me deu muita confiança. Ele me deixou ser livre. Cometi erros e ainda assim ele confie em mim para mudar. Isso é enorme para um jovem jogador como eu, que está tentando alcançar grandes coisas em minha carreira.

Com apenas 21 anos, Áurio Teixeira ainda tem muito o que viver em sua jornada. Ele torce e trabalha para que o destino seja gentil e o transforme em um representante de Angola na Premier League e no herói que a seleção nacional precisa.

Áurio Teixeira
Áurio Teixeira em ação no futebol inglês (Foto: Hereford FC)
Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.