‘Não volto’: atacante abandona seleção da Espanha em protesto contra Rubiales

5 minutos de leitura

O histórico título da Espanha na Copa do Mundo feminina no último domingo (20) teve uma página negativa, apesar da festa da taça. Jenni Hermoso, jogadora campeão, sofreu assédio durante a premiação. Ela foi beijada à força por Luis Rubialespresidente da federação de futebol do país (RFEF). O caso revoltou autoridades, instituições e atletas.

Nesta sexta-feira (25), um jogador da seleção espanhola masculina surpreendeu e anunciou que não pretende mais defender o time nacional, por conta do ocorrido contra Jenni Hermoso.

Através de suas redes sociais, Borja Iglesias, atacante do Real Bétis, se pronunciou e saiu em apoio de Hermoso. Ele se disse decepcionado, cobrou que haja punição para Rubiales e declarou que não volta à seleção espanhola até que a situação seja devidamente resolvida.

— Estou triste e decepcionado. Como jogador e pessoa, não me sinto representado pelo que aconteceu hoje na Cidade de Futebol de Las Rozas. Me parece lamentável que sigam pressionando e pondo o foco sobre uma companheira. Vestir a camisa da seleção espanhola foi a maior coisa da minha carreira. Não sei se em algum momento voltará a ser opção, mas tomei a decisão de não voltar até que as coisas mudem e esse tipo de ato não passe impune. Por um futebol mais justo, humano e decente –, comunicou.

Borja Iglesias
Borja Iglesias, através de seu Instagram – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Rubiales discursa e descarta renúncia

A posição tomada por Borja Iglesias se deu após um discurso de Rubiales na manhã desta sexta-feira (25). Em pronunciamento, o dirigente revelou que não irá recuar, se defendeu do caso justificando estava “muito emocionado”, atacou o movimento feminista e disse estar sofrendo uma caçada. Algumas frases polêmicas do cartola chamaram a atenção e não foram bem aceitas por parte da comunidade esportiva.

— O desejo que eu poderia ter ao dar aquele beijo era o mesmo desejo que eu poderia ter ao beijar minha filha, não houve domínio–, afirmou.

O falso feminismo não busca a verdade , busca colocar a medalha e pensar que estamos avançando. Eles não se importam com as pessoas–, atacou.

Políticos como Yolanda Díaz, Echenique ou Montero citaram violência sexual, sem consentimento, agressão… Essas pessoas estão tentando me assassinar socialmente publicamente e vou defender-me como todos os espanhóis, em tribunal –-, disse.

Além de Borja Iglesias, outros jogadores se pronunciaram sobre o episódio envolvendo Rubiales. Héctor Bellerín, Isco e Aitor Ruibal saíram em defesa de Jenni Hermoso e cobraram medidas.

Borja Iglesias pela seleção espanhola

Aos 30 anos, Iglesias defende o Bétis desde 2020. Foi pelo time andaluz que ele conseguiu ser chamado à seleção espanhola pela primeira vez, em 2022. À altura, a Roja ainda era comandada por Luis Enrique, hoje técnico do PSG. Ele esteve presente na equipe pela última vez na Data Fifa de março, e chegou a entrar em campo na derrota contra a Escócia.

  • 2 jogos
  • 0 gols

Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.