Aston Villa contará com cinco reforços contra o Chelsea, diz Dean Smith

0
219
Dean Smith fala sobre suas expectativas para o jogo contra o Chelsea.
(Foto: Reprodução/AVFC)

Dean Smith concedeu nesta sexta-feira (10) uma entrevista coletiva. Assim, ele falou sobre suas expectativas para o duelo contra o Chelsea neste sábado (11), às 13h30 (horário de Brasília), além de comentar sobre a situação dos argentinos convocados para as eliminatórias. Confira abaixo todos os detalhes sobre a entrevista do técnico do Aston Villa.

Mês difícil para o Villa, desafio para o elenco

Assim, Dean Smith foi questionado sobre o mês de Setembro, que deve ser um dos mais difíceis para o Aston Villa. A sequência de jogos do time de Birmingham é essa, respectivamente: Chelsea fora de casa (11), Everton em casa (18), Chelsea fora pela Copa da Liga (22) e Manchester United fora (25). Além disso, o mês seguinte terá partidas contra Tottenham, Wolves, Arsenal e West Ham. No entanto, Dean Smith mostrou otimismo para as partidas.

“é um mês importante porque mostrará para todos o que nós desejamos. não é muito diferente dos grandes campeões europeus, o Chelsea, por exemplo. Nós respeitamos muito nossos adversários, mas com certeza não teremos medo. É a oportunidade para mostrar para todos nossa capacidade”

Além disso, ele completou sua resposta lembrando o último jogo da temporada passada, quando o Villa venceu o Chelsea no Villa Park por 2 x 1.

“Vencemos o Chelsea no último jogo da última temporada, mas o Chelsea não estava completo e certamente teremos que jogar muito melhor para vencê-los novamente.”

Dean Smith também foi questionado sobre o lado do Chelsea para a partida. Dessa forma, ele disse que “Eles são um time fantástico, com um técnico fantástico. São os campeões da Champions League, deve ser um jogo difícil”. Por outro lado, o técnico destacou que deve contar com alguns reforços para o duelo.

“Nós estamos ficando mais saudáveis. perdemos alguns jogadores durante o início da temporada, e essa data FIFA nos deu a oportunidade de recuperar alguns deles. Ollie Watkins, por exemplo, jogou 15 minutos contra o Brentford, já está em melhores condições”

Ele continuou, lembrando outros jogadores que estão de volta:

“Leon Bailey já está completamente em forma agora, Bertrand Traoré treinou nos últimos dias. nós usamos esses dias para recompor estes jogadores. Além disso, John McGinn e Jacob Ramsey estão de volta após cumprirem o isolamento por conta da covid.”

Data FIFA para o Villa: Boa ou ruim?

Assim, Dean Smith falou sobre como a data fifa serviu para o time se reestruturar e recuperar alguns jogadores. Entretanto, a pausa também teve o efeito oposto. Por um lado, Emiliano Martinez e Emiliano Buendia viajaram para o Brasil e foram pegos pela Anvisa por não cumprirem isolamento de 14 dias imposto para viajantes do Reino Unido pelo Governo Federal.

“eles foram jogar pela Argentina e acabou sendo uma situação difícil para todos os envolvidos. Nós não sabíamos se devíamos deixá-los ir, foi uma decisão difícil. Uma vez que eles disseram ter conversado com outros jogadores e que queriam ir jogar, nós deixamos eles ir. Agora, eles estão em quarentena e estarão de volta para a partida contra o Everton”

Dean Smith também revelou onde eles estão cumprindo quarentena, e revelou ter se decepcionado com a paralisação do jogo entre Brasil e Argentina.

“eles estão na Croácia, falamos com as autoridades e eles disseram que está tudo bem, que isso é possível. Eles estão bem, estão por lá.

“eu fiquei surpreso como todos, querendo assistir um Brasil x Argentina. Um pouco “encucado”, já que eles estavam no país já faziam alguns dias. Eu não sei, foi uma situação estranha. Não falei com eles ainda, então não sei dos detalhes. No entanto, eles estão em um país de lista verde, estarão prontos para o duelo contra o Everton.”

Os jovens do Villa

Além deles, Carney Chukwuemeka e Philogene-Bidace se machucaram durante jogos da seleção de base inglesa, e também são desfalques. No entanto, ao ser questionado sobre a base do Villa, Dean se mostrou muito otimista, e afirmou que os jovens são muito bons.

“nós sentimos que temos uma base muito boa, nós temos bons jogadores jovens. Muitos dos campeões da FA Youth Cup saíram em empréstimo, mas nós mantivemos alguns conosco.

“Carney (Chukwuemeka) infelizmente se machucou durante o jogo da seleção, então deve perder o jogo deste final de semana. Philogene-Bidace também se machucou então deve perder este final de semana. Entretanto, nós temos bons jogadores conosco.”

Por outro lado, uma grata surpresa para Dean Smith foi a boa atuação de John McGinn pela seleção escocesa. O meio-campista estava fora por conta do protocolo de covid, e poderia ter sofrido por conta da falta de ritmo. Entretanto, Dean destacou o que pensa sobre sua atuação nas eliminatórias e o quão importante é o seu retorno.

“Muito importante. eu acho que ele foi nosso melhor jogador nos primeiros jogos. John começou muito bem contra o Watford, foi muito bem com Ramsey contra o Newcastle. Além disso, Ele foi assintomático. eu acho que ele jogou muito bem pela Escócia nas eliminatórias, primeiro 60, depois 90 minutos. Fiquei feliz em vê-lo jogar novamente, sei que vai nos ajudar.”

A tão esperada parceria pode estar vindo

Assim, Dean Smith comentou sobre a possibilidade de jogar com Ollie Watkins e Danny Ings no time titular. O assunto é de interesse da torcida do Villa há algum tempo, já que os dois parecem se completar, mas, para que eles joguem juntos, seria necessário repensar a formação da equipe.

“É possível, é algo que nós pensamos quando trouxemos Ings para o clube. Eu acredito que eles vão se complementar em termos de estilo de jogo e como eles podem atuar em equipe juntos”

Na sequência, ele foi questionado se utilizaria os dois juntos pela frente, ou se colocaria um deles pelo lado:

“Não, se jogar com os dois juntos certamente será com os dois pela frente, seria tolo de minha parte mover o Watkins para o lado quando ele marcou 16 gols na última temporada. O Ings também. Nós trouxemos o Ings porque sabemos que ele pode complementar o jogo do Watkins no ataque”.

Outras perguntas e respostas

Quão difícil vem sendo este início de temporada para manter o equilíbrio com tantas perdas no elenco?“Não é diferente das outras temporadas. Não conseguimos os pontos que queríamos nos primeiros jogos, as pessoas provavelmente esperavam nossa vitória no papel, mas não se vence jogos no papel. Teremos um teste importante sábado”.

Você acha que está faltando ritmo para a equipe? – “Acho que sim, nós tivemos alguns imprevistos na pré-temporada, tivemos jogos cancelados, enfim, acho que é algo que pode acontecer e devemos estar prontos para lidar com isso. Nosso trabalho agora é encontrar esse ritmo. Eu fiquei decepcionado com os primeiros 45 minutos contra o Watford. Mas eu vejo melhoras, o elenco vem trabalhando muito bem. Nosso trabalho é encontrar esse ritmo, espero que possamos mostrar isso contra o Chelsea”.

Assim, como você vê Leon Bailey sendo acolhido pela torcida? Tiveram muitos comentários positivos dos fãs nas fotos publicadas dele treinando novamente, a torcida está muito ansiosa para vê-lo jogar – “Nós o observamos por um bom tempo, quando ele jogava no Leverkusen, então não nos surpreendemos quando o vimos treinar, era o que nós já esperávamos. Dessa forma, ele treinou por cerca de dez dias, então o problema dele na coxa já passou. Nós estamos ansiosos para vê-lo jogar por mais tempo”.

Sobre McGinn e a defesa

É impressão minha ou vocês jogam mais na frente quando McGinn está no time?“Nós queremos jogar no campo do adversário, mas o John te dá tanta energia. Ele voltou ainda melhor para esta temporada, muitos já conhecem o clube há tanto tempo, ele ama os fãs e eu sei que suas performances falam por si”.

No final da última temporada, e no início desta, vocês não tiveram problemas para marcar gols fora de casa. No entanto, vocês não levaram os pontos. Como fazer para equilibrar isso? Como compensar? – “Nós não jogamos muito bem contra o Watford, mas nós começamos a última temporada defensivamente muito bem. Conseguimos alguns clean-sheets (jogos sem sofrer gol) e eu acho isso muito importante. Acredito que se nós conseguirmos um clean-sheet no próximo jogo, isso deve nos ajudar bastante”.

Como você se sente sobre os três primeiros jogos desta temporada?“Me sinto meio indiferente, nós tivemos algumas situações que precisamos lidar, tivemos a questão da saúde dos jogadores, alguns jogadores lesionados, mas nós estamos nos ajeitando, buscando uma preparação melhor para tentar um jogo que possamos aguentar os 90 minutos”.

Seguindo na questão da saúde dos jogadores, como é ter estes jogadores de novo no elenco? Você tem um bom elenco com você, não é?“Sim, nós temos um bom elenco onde eu tenho boas opções. Ele vai nos providenciar opções diferentes nesta temporada, nós sentimos que nós recrutamos muito bem, perdemos alguns jogadores mas com todos eles voltando, com certeza somos mais fortes”.

Sobre o Chelsea

O que você espera do Chelsea no campo? “Não espero nada muito diferente dos jogos dos últimos meses, você deve jogar com muita qualidade para superá-los. São muito fortes em todos os setores do campo, eles têm jogadas ensaiadas, têm o Lukaku, Mason Mount, é um esquadrão muito forte”.

Como lidar com isso então? – “Eu sempre vejo como uma boa oportunidade para nossos jogadores se testarem, sempre gosto de jogar contra esses times na liga, é uma boa oportunidade para eles se testarem e se superarem, se provarem”.

Você acha que eles podem ser uma ameaça ao Manchester City nesta temporada da Premier League? – “Acredito que sim, é um elenco muito forte, pode sim desafiá-los. Só olhar para a Champions do ano passado. Acredito que está aberto, não me surpreenderia se eles fossem campeões”.

Sobre as convocações, as seleções nacionais e o calendário

quão difícil é tomar a decisão de deixar os jogadores irem para as seleções? Parece ser uma situação onde é impossível vencer – “É uma situação que não dá para vencer. É o que eu falei, acho que é uma situação que depende de cada clube, cada clube deve entender o que é melhor para si mesmo. Legalmente, acho que a FIFA não tem o direito de nos punir, são os jogadores que devem decidir se vão ou não. Pessoalmente, eu não quero que eles vão porque não quero que eles percam nenhum jogo do Villa. Mas quando eu vi a paixão deles, nós tínhamos que encontrar uma solução boa para todos”.

Pensamentos do Dean Smith sobre a possibilidade de jogar a copa do mundo a cada 2 anos – “Eu não li muito sobre isso, nós temos a Euro a cada 2 anos, vai saturar um pouco? Acho que sim. Eu não vi muitos detalhes, só ouvi sobre isso ontem… Minha visão sobre isso é superficial, não dá pra entrar muito em detalhes”.

Assim, você acha que o calendário deve sofrer mudanças? – “Eu acho que deve ser observado. Infelizmente, nós temos uma pandemia acontecendo no momento, há muitas coisas acontecendo. Entretanto, eu acho que o calendário deve ser revisado, há muitas datas e pouco tempo de descanso para os jogadores. Quando terminamos a última temporada, os jogadores tiveram pouco tempo para descansar. Temos que olhar para o bem-estar dos atletas também”.