AS Monaco – História, estatísticas e conquistas

AS Monaco – História, estatísticas e conquistas
AS Monaco

Associacion Sportive de Monaco é um clube de futebol do Principado de Mônaco, que é afiliado da Federação Francesa de Futebol. A saber, ele nasceu em 1924 da fusão de vários outros clubes da rica região litorânea, para representá-la na liga francesa. Então, com o dinheiro so milionários locais, o time foi um sucesso.

Em suma, o AS Monaco venceu oito títulos franceses, sendo um dos maiores campeões do certame. Além disso, joga no charmoso (e diferente) Estádio Louis II, que tem capacidade para 18 mil pessoas. Como possui muito dinheiro, sempre é uma equipe bem atuante no mercado da bola, comprando jogadores de grande qualidade.

Trajetória do AS Monaco: fundação, conquistas e ascensão

Em suma, o AS Monaco nasceu no ano de 1924, resultado da fusão de vários clubes pequenos que existia no Principado de Mônaco. Os milionários da região tinham o interesse de dominar o futebol francês com esse novo clube. Portanto, após um longo período de maturação, o clube deu frutos, e conseguiu conquistar títulos franceses entre as décadas de 1970, 80 e 90. A última vez foi em 2016/17, quando tinha Kylian Mbappé no seu elenco, e conquistou o título. Além disso, o AS Monaco tem cinco Coupe de France em seu “currículo”.

Mercado de Transferências do AS Monaco

Por ser financiado pelos milionários de Mônaco, o AS Monaco sempre é muito atuante no mercado de transferências. A saber, o clube sempre protagoniza grandes rumores no mercado da bola, seja comprando estrelas ou vendendo grandes revelações. Portanto, confira cinco vezes que o AS Monaco contratou jogadores que se tornaram ídolos.

Falcão García, do Atlético de Madrid, por €43 milhões, em 2013/14

Artilheiro no Atlético de Madrid, Falcão García talvez tenha sido a maior das surpresas do Monaco no mercado da bola. A saber, gigantes da Inglaterra e até o Real Madrid queriam contar com o colombiano, segundo rumores da época. Mas, na temporada 2013/14 o clube conseguiu se adiantar e pagar uma quantia absurda de €43 milhões ao Atleti pelo centroavante. A história é que ele virou ídolo do Monaco enquanto esteve no time, marcando muitos gols vestindo sua camisa. Depois que saiu nunca mais foi o mesmo.

Wissam Ben Yedder, do Sevilla, por €40 milhões, em 2019/20

Outro grande jogador que em pouco tempo já se tornou um dos maiores artilheiros da história do Monaco é o centroavante Ben Yedder. Outra aquisição cara do clube, rumores que pagou a bagatela de €40 milhões em 2019/20 para tirá-lo do Sevilla, onde também é ídolo.

Sonny Anderson, do Servette, por €8,5 milhões, em 1994/95

Uma boa aposta do Monaco no mercado da bola da temporada 1994/95 foi o atacante Sonny Anderson. A saber, o clube pagou uma quantia até baixa de €8,5 milhões para tirar o brasileiro do Servette, da Suíça. No Monaco, ele foi tão bem que depois foi negociado com o Barcelona.

Shabani Nonda, do Rennes ao AS Monaco por €20 milhões, em 2000/01

No fim da década de 1990 surgiu um africano que a crítica chamava de “novo Weah”. A saber, em comparação com George Weah, único africano a vencer a bola de ouro quando atuava pelo Milan. Assim, com grande expectativa, o jovem Shabani Nonda jogava muito pelo Rennes.

Dessa forma, atraiu a atenção do Monaco no mercado de transferências, que o contratou na temporada 2000/01 por €20 milhões para substituir Trezeguet, que havia ido para a Juventus. No clube, Nonda se tornou um dos maiores artilheiros da história.

Ludovic Giuly, do Lyon, por €7,5 milhões, em 1997/98

Baixinho, rápido e habilidoso, o atacante Ludovic Giuly chamava atenção no mercado da bola fazendo muitos gols pelo até então modesto Lyon. Então, o Monaco contratou a futura estrela francesa por €7,5 milhões na temporada 1997/98. No Monaco, Giuly foi um sucesso, marcou tantos gols que virou um dos maiores artilheiros da história do clube. Anos depois foi campeão da Champions League com o Barcelona, e vivia sempre na seleção.