Arsenal x Liverpool terá VAR marcado por decisão polêmica e criticado por chefe de arbitragem

4 minutos de leitura

O clássico entre Arsenal e Liverpool, no próximo domingo (4), válido pela 23ª rodada da Premier League, já tem polêmica antes do início. Isso porque o árbitro escalado para a partida foi centro de grande reclamação no jogo dos dois rivais no primeiro turno.

A Professional Game Match Officials Limited (PGMOL), a comissão de árbitros do futebol inglês, anunciou que David Coote será o VAR no jogo entre Arsenal e Liverpool no domingo, apesar do chefe do órgão, Howard Webb, admitir que o árbitro deveria ter concedido um pênalti ao Liverpool no último jogo entre os dois.

Polêmicas no último Liverpool x Arsenal

Na partida entre Reds e Gunners em dezembro, o capitão do time londrino, Martin Odegaard, pareceu tocar com a mão na bola dentro da área, mas não foi marcada a penalidade, o que resultou na ira de jogadores, torcedores e até mesmo do técnico Jürgen Klopp.

odegaard arsenal liverpool
(Foto: Icon sport)

O time de Mikel Arteta escapou impune, e o jogo terminou em 1 a 1, para consternação do técnico do Liverpool, que esbravejou após a partida:

— Sim, eu vi. Tenho certeza de que alguém virá me explicar por que não foi considerado pênalti, mas não sei como. Não digo que o árbitro pode ver porque não sei onde ele estava naquele momento. Mas como alguém em um escritório pode ver isso e não chegar à conclusão de que talvez, possivelmente, valeria a pena o árbitro dar mais uma olhada — disse na ocasião.

Coote esteve no VAR no clássico em questão e não sugeriu a revisão do lance. Posteriormente, ele foi responsabilizado pelo erro, mas ainda assim foi nomeado novamente para o VAR no jogo entre as duas equipes.

PGMOL o responsabilizou pelo erro

Na sequência do jogo, o chefe da PGMOL, Howard Webb, deu sua opinião sobre o incidente e sugeriu que um pênalti deveria ter sido dado, falando no programa “Match Officials Mic’d Up”, do ex-jogador Michael Owen.

— O árbitro em campo reconheceu que Odegaard escorregou e viu seu braço tocar o chão. Já falamos no passado sobre braços de apoio quando alguém quebra a queda com o braço, é muito natural, e isso é um conceito bastante estabelecido — afirmou o chefe de arbitragem.

No entanto, ele reconheceu que houve erro de interpretação da arbitragem e o pênalti deveria ter sido assinalado:

— O VAR analisou (…) e esse é o elemento importante aqui – se é instintivo ou deliberado, ele obtém uma grande vantagem trazendo o braço de volta em direção à bola, e o feedback que recebemos foi muito claro; o jogo esperava um pênalti, nesta situação. Concordo, e como tal, acho que este foi um que não teve o resultado certo.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]