Altos e baixos da Premier League #14: City oscilante, Leicester resiliente e Watford afundado

Hammers vencendo clássico londrino, Southampton vivo e muito mais

0
127
Naomi Baker Collection Getty Images Sport
Naomi Baker Collection Getty Images Sport

Do famoso grupo Big 6, apenas o líder Liverpool e o Tottenham venceram. E isso já explica as oscilações dessa rodada. Confira os altos e baixos da rodada 14 da Premier League.

Leia mais: 14ª rodada da Premier League: confira o resumo dos jogos 

Positivos

1) West Ham vence

Após sete jogos sem vitória na Premier League, o West Ham voltou a vencer. E triunfou diante do Chelsea, em pleno Stamford Bridge. O resultado pode ter um efeito multiplicador gigantesco na temporada dos Hammers. É aquele jogo onde os ânimos dos jogadores saem totalmente revigorados.

Além da vitória, o goleiro do West Ham também foi o destaque da partida. Aos 33 anos de idade, David Martin fez a sua estreia na Premier League. E de cara fez um bom jogo e foi peça fundamental no resultado.

Ao fim do jogo, o goleiro, que estava em lágrimas, saiu do campo e foi na arquibancada dar um abraço no seu pai, que acompanhou o jogo nas cadeiras do Stamford Bridge.

2) Um Leicester resiliente

A vitória do Leicester diante do Everton foi para provar que o time não é fogo de palha, mas sim que têm totais condições de se manter no top 4. É uma equipe que está conseguindo sair de situações adversas das mais variadas formas.

Após estar perdendo por 1 a 0, Brendan Rodgers foi mexendo na estrutura tática do time e  resultado foi a virada, com gol e assistência de Iheanacho, um dos nomes que entraram no segundo tempo.

Vencer sem jogar tão bem é uma marca que grandes equipes vencedoras do futebol conseguem em alguns momentos. E é importante que o Leicester siga desenvolvendo essa mentalidade vencedora em qualquer cenário.

3) Southampton está vivo

O Southampton já tinha deixado boas impressões na rodada passada, quando empatou com o Arsenal, no Emirates Stadium. E após vencer o frágil Watford, os Saints provaram que estão vivo e que vão lutar com todas as forças para sair da zona de rebaixamento.

O roteiro do jogo foi perfeito para gerar um efeito multiplicador tanto técnico como emocional no time. O Southampton perdia até os 33 minutos da segunda etapa, mas aí Danny Ings e James WardProwse apareceram e viraram a peleja.

Com o resultado, o Southampton está apenas a dois pontos de sair do inferno. E recebe, na próxima rodada, o Norwich, em um confronto direto da zona de rebaixamento. Caso os Saints vençam a partida e o Everton perca o clássico para o Liverpool, o Southampton deixa o Z3.

Negativos

1) Marco Silva

O português já virou figurinha carimbada aqui nos pontos baixos da rodada. O Everton até que foi competitivo em alguns momentos do jogo, mas sofreu a virada no último minuto. Com o resultado, o clube amarga a décima sétima posição, apenas dois pontos acima do Southampton, primeiro time que está no Z-3. 

O Everton tinha a obrigação de render bem mais do que está rendendo. Tempo de trabalho não pode ser usado como desculpa para um trabalho ruim e que não evolui. Olha o Leicester aí…

Próximo jogo? Nada menos que o Liverpool, em Anfield. E Marco Silva segue no comando do time. O motivo da permanência? Bom, só a diretoria do Everton pode explicar. Tecnicamente nada sustenta o português.

2) Um Watford afundado

Após brigar por Liga Europa na temporada passada, o Watford está afundado na lanterna da atual edição da Premier League, contrariando todas as expectativas iniciais geradas entorno do bom time.

A derrota de virada para o Southampton evidenciou o péssimo momento técnico e emocional que o Watford. Tomou dois gols em apenas cinco minutos e, obviamente, não teve forças para reagir.

De quebra, o técnico Quique Sánchez Flores foi demitido após o jogo contra o Southampton. Quem poderá salvar esse Watford, cada vez mais afundado em uma crise que parece não ter fim?

3) Mais um tropeço do atual bicampeão

O Manchester City tropeçou mais uma vez no campeonato e viu a distância para o líder Liverpool subir para 11 pontos. Excluindo os pontos perdidos para os times do big 6, este foi o terceiro jogo que o atual bicampeão tropeça na Premier League.

Além do péssimo resultado, vale destacar a fraca atuação coletiva do Manchester City. Nem de longe a equipe de Pep Guardiola conseguiu produzir tudo que pode e mais uma vez dependeram de Kevin de Bruyne, que segue espetacular.

O Manchester City precisa urgentemente voltar ao seu nível técnico o mais rápido possível. Desfalques à parte, a equipe de Pep Guardiola não pode ficar 11 pontos atrás do líder do campeonato. Seja ele quem for.