Alisson no Liverpool: a peça que faltava

Brasileiro vem de ótima temporada na Roma

alisson
Investimento alto em Alisson mostra ambição do Liverpool

Após sofrer por várias temporadas com seus goleiros, o Liverpool finalmente buscou uma solução. Trata-se de Alisson Becker, que deixa a Roma após uma temporada irretocável.

A contratação do titular da Seleção é a mais cara da história envolvendo um goleiro. O negócio foi fechado por 66 milhões de libras.

O interesse dos Reds pelo arqueiro brasileiro não é de hoje. Em janeiro, jornalistas afirmaram que o atleta era um dos principais alvos de Jürgen Klopp para essa temporada.

A necessidade por um goleiro confiável foi evidenciada na final da Champions League, quando Loris Karius falhou de forma bizarra.

É verdade que Karius sofreu uma concussão antes de cometer seus dois erros, e segundo especialistas que o avaliaram após a partida, a lesão foi crucial tal desempenho.

No entanto, o goleiro alemão sempre foi inseguro e nunca conseguiu se firmar em Anfield. Não contratar alguém para posição era negligência.

A temporada entre os gigantes

Alisson comemorando a classificação da Roma para semi-final após 34 anos. Foto: Getty Images

A primeira temporada de Alisson na Roma não teve tanto brilho, tendo em vista que o goleiro era reserva de Wojciech Szczesny.

O brasileiro não atuou pelo Campeonato Italiano e jogou apenas 15 partidas – 11 jogos na Liga Europa e 4 pela Copa da Itália -.

Com a venda de Szczesny para a Juventus, a titularidade ficou para Alisson. E ele não desperdiçou.

O desempenho do goleiro como titular foi surpreendente, e suas defesas ajudaram a Roma na volta a semifinal da Liga dos Campeões após 34 anos.

O ex-treinador de goleiros da Roma, Roberto Negrisolo, afirmou meses atrás que Alisson estava entre os melhors goleiros do mundo.

 “é um fenômeno, o Messi dos goleiros. Ele nasceu para ser goleiro. Tem muita técnica, faz com simplicidade o que parece difícil e é completo. Para mim, está no nível de Zoff”.

Vejamos alguns números de Alisson na sua última temporada pela Roma:

37 jogos da Serie A:

– 28 gols concedidos (0,75 por jogo)

– 17 clean sheets

– 2/5 pênaltis defendidos

– 3 defesas em média por jogo

–  83% de precisão na distribuição

– Distância média na distribuição de 29m.

12 jogos pela Liga dos Campeões:

19 gols concedidos (1,5 por jogo)

– 5 clean sheets

– 3 defesas por jogo

– 81% de precisão na distribuição

– Distância média na distribuição de 36m

(Stats via Squawka e Sofascore)

Um goleiro decisivo

Alisson em sua apresentação no LIverpool. Foto: Liverpool FC

Liverpool nos últimos anos foi um clube desequilibrado em seus setores. E isso pode ter um fim com a chegada de Alisson.

O goleiro chega para mudar o patamar de uma defesa que até melhorou com a chegada de Virgil Van Dijk, mas não era o suficiente.

O brasileiro pode ser o diferencial para os Reds voltarem ao topo de suas conquistas, tendo em vista que ofensivamente o elenco é muito forte.

Uma estatística que chama atenção dele é o como ele evita o “xGA” (Gols que se espera levar).

Para ter uma noção do quanto ele foi decisivo para a Roma, ele impediu mais de 9 gols que eram esperados, garantindo assim 11 pontos que foram cruciais para o clube ir à próxima Liga dos Campeões.

Alisson já provou o seu potencial e a tendência é que cresça cada vez mais.

O período pós Copa fez o brasileiro ser alvo de inúmeras críticas. Sendo tratado como um goleiro inseguro por ter feito um mundial sem brilho.

Mas, analisar o goleiro por apenas 5 jogos não é justo.

Alguns questionam o valor, mas isso é um conjunto de fatores e o técnico Jürgen Klopp fez questão de ignorar.

´´Eu acho que é algo que temos que fazer. Ele não tem nada a ver com o preço, não temos nada a ver com o preço, é o mercado. É assim que é e não vamos pensar muito sobre isso´´.

Liverpool ganha um goleiro pronto, decisivo e com muito a oferecer. É um casamento que tem tudo para dar certo.