‘Abaixe o tom’: Real Madrid dá ultimato à CBF por conta de Ancelotti na seleção brasileira

5 minutos de leitura

A novela que envolve o desejo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de contratar Carlo Ancelotti para a seleção brasileira ganhou um novo capítulo nesta quinta (13) por conta da insatisfação do Real Madrid.

O jornal espanhol “Marca” publicou uma matéria com o título “Ancelotti liga ao Brasil para esclarecer que o Real Madrid é a sua prioridade absoluta“, na qual informa que as últimas atitudes do CBF incomodaram a cúpula do clube espanhol.

Ancelotti é o nome preferido do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, para assumir a Seleção desde a saída de Tite após a eliminação nas quartas de final da última Copa do Mundo. Ramon Menezes foi apontado como técnico interino no primeiro semestre de novo ciclo, e comandou o time em três amistosos (uma vitória contra Guiné e derrotas contra Marrocos e Senegal). Enquanto isso, Rodrigues afirmou que esperava um acerto com o italiano ao fim da temporada europeia.

Presidente da CBF garantiu que Ancelotti assumirá em 2024

A temporada europeia acabou e Ancelotti deixou claro, por mais de uma vez, que cumpriria o contrato com o Real, válido até junho de 2024. A circunstância fez com que a CBF apontasse Fernando Diniz como treinador provisório da seleção brasileira. O anúncio do novo técnico marcou também a primeira vez que Rodrigues afirmou que Ancelotti assumirá o Brasil.

— Diniz é o treinador, vai conciliar o Fluminense o período todo lá e como treinador da seleção brasileira. Ele tem contrato de 12 meses de duração. Vai chegar e fazer a transição da seleção brasileira para o treinador Ancelotti, que vai assumir ali na Copa América — prometeu o presidente da CBF.

Foi esse anúncio que, segundo a imprensa espanhola, é “conflitante com o que se comenta no Real Madrid” e fez com que a cúpula espanhola começasse a falar em “interesses cruzados, algo totalmente incompatível com a mentalidade do treinador bicampeão europeu com o clube branco“.

O “Marca” escreveu que o primeiro a ser surpreendido pela declaração do presidente da CBF foi o próprio Ancelotti. O treinador rechaça, por enquanto, a ideia de sinalizar um adeus ao Real, ainda mais em plena reformulação do elenco espanhol para a temporada 2022/23 — o clube perdeu nomes como Benzema e Asensio, mas acertou as chegadas de Bellingham e Joselu.

Todos os movimentos da negociação entre Ancelotti e CBF foram comunicados ao Real Madrid. Rodrigues conversou inclusive com José Angel Sanchez, presidente do clube espanhol. De acordo com o mesmo periódico, a última reunião entre presidentes teve Sanchez pedindo à CBF que “abaixe o tom das declarações e da pressão em cima da figura de Ancelotti”.

“Risco de vergonha gigantesca”

Logo após o anúncio da CBF, a rádio espanhola “Cope” já tinha adiantado o tamanho do risco que a seleção brasileira estava correndo ao prometer um treinador que não assinou nenhum contrato.

A rádio informou que Ancelotti e CBF têm apenas um compromisso verbal para que o italiano assuma a Seleção ao término do seu contrato com o Real. No entanto, não estão definidos ainda salário, comissão técnica, moradia e outras questões logísticas, o que bate com a apuração de veículos brasileiros.

Além disso, eles ainda garantem que, se o Real Madrid oferecer uma renovação de contrato a Carlo Ancelotti, o italiano não assumirá o Brasil em 2024.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista nascido em Campinas, morador de São Paulo e formado pela ECA-USP. Subcoordenador da PL Brasil desde 2023. Cobri Copa América, Copa do Mundo e Olimpíadas no EL PAÍS, eleições nacionais na Revista Veja e fui editor de conteúdo nas redes sociais do Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]