A seleção da Europa na era PL sem repetição de países

Com um jogador de cada país, montamos nossa equipe europeia ideal

0
245
Imago Images

Já imaginou como seria a seleção ideal da Europa na era PL?

Repleta de astros internacionais, a Premier League já foi palco de grandes futebolistas de todos os cantos do mundo. Isso porque, em três décadas, mais de 100 nacionalidades já estiveram representadas na liga. Nesse meio tempo, por lá passaram muitos craques, de todos os continentes, além, é claro, dos próprios ingleses.

Pensando nisso, a PL Brasil embarcou no exercício criativo de montar seleções continentais dos jogadores que já passaram pela PL. No geral, levamos em consideração relevância, destaque e período na liga.

11 jogadores, 11 países

O diferencial, sobretudo, é que adotamos como critério a não repetição de países nas seleções. Assim, a fim de imaginar uma seleção que realmente reflita o continente como um todo, cada nacionalidade é representada por, no máximo, um único atleta.

Com isso, contudo, é evidente que grandes personagens da Premier League ficaram de fora de nossas equipes. Até porque seguimos esquemas táticos lógicos, tentando simular fielmente uma escalação que desfilaria pelos gramados ingleses. Nesta seleção da Europa na era PL, não entrou, por exemplo, o espanhol Fernando Torres. Além disso, pelo propósito do texto, também excluímos os jogadores ingleses.

Para o continente europeu, a formação escolhida foi o 3-4-3. Ao longo da equipe, estão representados Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Finlândia, Holanda, Irlanda, Itália, País de Gales, Portugal e Sérvia. Mas será que você concorda com a nossa escalação?

Escalando a seleção da Europa na era PL sem repetição de países

Peter Schmeichel (Dinamarca)

Mary Evans/Richard Seller – Imago Images

Histórico goleiro do Manchester United e até hoje considerado o melhor da posição na história da Premier League, Peter Schmeichel defendeu os Red Devils por sete temporadas de PL, campeão em cinco delas.

No período, eleito duas vezes o futebolista dinamarquês do ano, além de campeão da Euro 1992 pela seleção nacional. Depois disso, ainda passou brevemente por Aston Villa e Manchester City, totalizando 310 jogos e 129 clean sheets na elite do futebol inglês.

Leia mais: 7 ídolos de clubes ingleses que já jogaram no rival

Nemanja Vidic (Sérvia)

Imago Images

Também pentacampeão inglês pelo Manchester United, Nemanja Vidic defendeu os Red Devils entre as temporadas 2006/2007 e 2013/2014. Sem dúvidas um dos maiores zagueiros da era PL, formou dupla lendária ao lado de Rio Ferdinand.

O sérvio, que antes da independência do país igualmente defendera as seleções da Ioguslávia e de Sérvia e Montenegro, levou o prêmio de Melhor Jogador da Temporada em duas edições, feito que somente Cristiano Ronaldo e Thiery Henry também alcançaram.

Vincent Kompany (Bélgica)

Martin Rickett (Imago Images)

Símbolo da reconstrução do Manchester City no futebol inglês, Vincent Kompany conquistou quatro vezes a Premier League, durante sua trajetória de onze temporadas com a camisa dos Citizens. Nesse meio tempo, transformou-se em ídolo.

Xerife e capitão, também foi decisivo no ataque, além de sólido defensivamente, tendo marcado o “gol do título” da campanha 2018/2019. Aliás, balançou as redes 18 vezes, em nove edições diferentes, ao longo de 265 jogos na liga.

Leia mais: Os 10 maiores ídolos da história do Manchester City

Sami Hyypia (Finlândia)

Imago Images

Titular da zaga do Liverpool entre 1999 e 2008, Sami Hyypia foi eleito o jogador finlandês do ano por nove vezes durante seu período em Anfield. Multicampeão de copas, disputou 464 jogos pelos Reds, sendo 318 deles na Premier League.

Leia mais: O que aconteceu com os jogadores do Liverpool da Champions 2005?

Roy Keane (Irlanda)

Imago Images

Heptacampeão da Premier League pelo Manchester United, Roy Keane é um dos maiores da história do Campeonato Inglês. Ao longo de 14 anos, disputou 366 partidas e anotou 39 gols.

Eleito o melhor jogador da edição 1999/2000, o ídolo de Old Trafford também esteve na seleção ideal em outras três temporadas. Na primeira delas, a inaugural da era PL, aliás, foi na verdade defendendo o Nottingham Forest, em sua única participação pelo clube na liga.

Leia mais: Escalamos 11 jogadores que estiveram na seleção da Premier League por dois clubes

Cesc Fàbregas (Espanha)

Andy Rowland/Imago Images

Campeão mundial em 2010, Cesc Fàbregas é ídolo de dois rivais londrinos, Arsenal e Chelsea. Foram sete temporadas de PL pelos Gunners e cinco pelos Blues, vencedor em duas delas.

Segundo maior assistente da era PL, com 111 passes para gols em 350 partidas, o espanhol também acumula 50 gols na liga. E destaque para a edição 2009/2010, quando atingiu os dois dígitos nas duas estatísticas.

Leia mais: Os 10 maiores espanhóis da era Premier League

Ryan Giggs (País de Gales)

Imago Images

Pelo menos em números, Ryan Giggs é, possivelmente, o maior jogador da era Premier League. Campeão da liga 13 vezes, um recorde absoluto, é o 2º jogador com mais partidas: 632, distribuídas em 22 temporadas, entre 1993 e 2014.

Além disso, é líder de assistências na era moderna do Campeonato Inglês (162) e também ostenta a marca de mais de 100 gols na liga (109). E isso tudo por apenas um clube, o Manchester United. Ídolo dos Red Devils e lenda da PL.

Cristiano Ronaldo (Portugal)

Imago Images

Por vezes considerado o principal jogador da era Premier League, Cristiano Ronaldo alcançou tal status em apenas seis edições de PL. Tricampeão inglês, marcou 84 gols em 196, com incríveis 31 tentos na mágica temporada 2007/2008.

Naquele ano, inclusive, além de artilheiro do campeonato, eleito pela segunda vez consecutiva o craque da liga. Dá muita saudade, sem dúvidas, nos torcedores do Manchester United.

Leia mais: 5 jogos marcantes de Cristiano Ronaldo no Manchester United

Gianfranco Zola (Itália)

Michael Mayhe/Allstar/Getty Images

Em síntese, Gianfranco Zola é o grande ídolo do Chelsea na PL na era pré-Roman Abramovich. Por isso, bem verdade que não pegou o auge dos Blues, mas mesmo assim foi destaque absoluto.

Campeão das copas nacionais sendo protagonista, viveu momentos de muito brilho também na Premier League. Entre as temporadas 1996/1997 e 2002/2003, disputou 229 jogos e marcou 58 gols.

Leia mais: Os 10 maiores jogadores italianos da Premier League

Thierry Henry (França)

Imago Images

Um dos maiores ídolos da história do Arsenal, Thierry Henry é bicampeão inglês, tendo liderado o time dos Invencíveis. Pelos Gunners, entre 1999 e 2007 – mais breve passagem em 2012 – foram 258 jogos e incríveis 175 gols na PL, a 5ª maior marca da liga.

E o francês marcou mesmo época no campeonato. Autor de mais de 15 gols em sete edições consecutivas da Premier League, Henry foi o artilheiro em quatro delas. Além disso, esteve seis vezes na seleção ideal da PFA, duas como melhor jogador do ano.

Dennis Bergkamp (Holanda)

Imago Images

Para sempre lembrado por seus gols plásticos, Dennis Bergkamp chegou ao Arsenal após instabilidade na Inter de Milão. Mas nos Gunners ele correspondeu, e muito, retomando o brilho – e o faro artilheiro – dos tempos de Ajax.

Como resultado, foram 11 temporadas de Premier League e três títulos. Em 315 jogos, marcou 87 gols e concedeu 94 assistências, até hoje a 5ª maior marca da liga. Ídolo absoluto do time londrino, participou de esquadrões lendários e formou dupla, inclusive, com Thierry Henry.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube!

Escalada do 3-4-3, a seleção da Europa na era PL é, portanto:

Peter Schmeichel (Dinamarca); Nemanja Vidic (Sérvia), Vincent Kompany (Bélgica), Sami Hyypia (Finlândia); Roy Keane (Irlanda), Cesc Fàbregas (Espanha), Ryan Giggs (País de Gales), Cristiano Ronaldo (Portugal); Gianfranco Zola (Itália), Thierry Henry (França), Dennis Bergkamp (Holanda).

Afinal, o que achou da equipe? Pra você, qual seria a seleção ideal?